Interculturalidade no ensino de ciências

uma revisão sistemática de literatura

Palavras-chave: ensino de ciências, interculturalidade, revisão sistemática de literatura, Lei 11.645/08

Resumo

Este artigo é de natureza teórica e tem por objetivo fazer uma reflexão acerca da importância da implementação da Lei 11.645/08 e da perspectiva intercultural no ensino de ciências. Para isso, recorreu-se aos argumentos centrais do pluralismo epistemológico e na metodologia de revisão sistemática de literatura chamada Methodi Ordinatio, para selecionar os artigos mais recentes sobre a temática, além de contemplar os demais trabalhos presentes na literatura sobre a temática. Assim, o artigo apresenta-se como um portfólio bibliográfico, que versa sobre importantes trabalhos e pesquisas que tratam sobre o processo de ensino-aprendizagem em ciências e a sua relação com a perspectiva intercultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ATWATER, M. M.; RILEY, J. P. Multicultural science education: Perspectives, definitions and research agenda. Science Education, vol. 77, p. 661 – 668, 1993.

Autor et al. xxxx

BAPTISTA, G. C. S. Importância da demarcação de saberes no ensino de ciências para sociedades tradicionais. Ciência & Educação, v. 16, n. 3, p. 679 – 694, 2010.

BAPTISTA, G. C. S.; ANDRADE, A. M. Science Teachers’ Conceptions About the Importance of Teaching and How to Teach Western Science to Students from Traditional Communities. Human Arenas, v. 26, p. 1 – 28, 2020.

BENITE, A. M. C.; BASTOSI, M. A.; VARGAS, R. N.; FERNANDES, F. S.; FAUSTINO, G. A. A. Cultura africana e afro-brasileira e o ensino de química: estudos sobre desigualdades de raça e gênero e a produção científica. Educação em Revista, v. 34, e193098, p. 1 – 36, 2018.

BENITE, A. M. C.; FAUSTINO, G. A. A.; SILVA, J. P.; BENITE, C. R. M. Dai-me agô (licença) para falar de saberes tradicionais de matriz africana no ensino de química. Quim. Nova, vol. 42, n. 5, p. 570 – 579, 2019.

BRANDÃO, C. R. A pergunta a várias mãos: a experiência da pesquisa no trabalho do educador. São Paulo: Cortez, 2003.

BRICCIA, V. Sobre a natureza da ciência e o ensino. In: CARVALHO, A. M. P. (Org.) Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2020.

BRITO, A. A.; BOOTZ, V.; MASSONI, N. T. Uma sequência didática para discutir as relações étnico-raciais (Leis 10.639/03 e 11.645/08) na educação científica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 35, n. 3, p. 917 – 955, 2018.

CAMPOS, E. R.; PAGANI, R. N.; RESENDE, L. M.; PONTES, J. Construction and qualitative assessment of a bibliographic portfolio using the methodology Methodi Ordinatio. Scientometrics, v. 116, n. 1, p. 815 – 842, 2018.

CANEN, A. A pesquisa multicultural como eixo na formação docente: potenciais para a discussão da diversidade e das diferenças. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., v. 16, n. 59, p. 297 – 308, 2008.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 4. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2006.

COBERN, W. W.; LOVING, C. C. Defining “science” in a multicultural world: Implications for science education. Science Education, vol. 85, p. 50 – 67, 2001.

EL-HANI, C. N.; MORTIMER, E. F. Multicultural education, pragmatism, and the goals of science teaching. Cultural Studies of Science Education, vol. 2, n. 3, p. 657 – 687, 2007.

FLEURI, R. M. Desafios à educação intercultural no Brasil. PreCursos, v. 2, n. 0, p. 1 – 14, 2001.

FRANCISCO JR., W. E.; YAMASHITA, M. Traditional Knowledge as a Tool for Discussing History and Philosophy of Science in Teacher Education. Creative Education, vol. 9, p. 567 – 574, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GONZAGA, R. T.; SANTANDER, M. A.; REGIANI, A. M. A Cultura Afro-Brasileira no Ensino de Química: A Interdisciplinaridade da Química e a História da Cana-de-Açúcar. QNesc, vol. 41, n. 1, p. 25 – 32, 2019.

MARTINS, K. V., BAPTISTA, G. C. S., ALMEIDA, R. O. Etnoecología en el aula de clase: una propuesta para la formación docente contextualizada en comunidades tradicionales: une proposition de formation des enseignants contextualisée aux communautés traditionnelles. Praxis & Saber, v. 12, n. 28, e11532, 2021.

MATTHEWS, M. R. Science teaching: The role of history and philosophy of science. New York: Routledge, 1994.

MIZETTI, M. C. F. O desafio do ensino de ciências nas escolas indígenas do Rio Grande do Sul. Dissertação. Mestrado em Educação em Ciências. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2017.

MONTEIRO, E. P.; ZULIANI, S. R. Q. A Abordagem Intercultural nas Escolas Indígenas Tikuna do Amazonas: o Ensino de Química. Ciência & Educação, v. 26, e20059, p. 1 – 13, 2020.

MOREIRA; P. S. F. D.; RODRIGUES FILHO, G.; FUSCONI, R.; JACOBUCCI, D. F. C. A Bioquímica do Candomblé – Possibilidades Didáticas de Aplicação da Lei Federal
10639/03. Quim. Nova, vol. 33, n. 2, 2011.

NANNI, A. L’educazione interculturale oggi in Italia. Brescia: EMI, 1998.

NASCIMENTO, A. C.; VIEIRA, C. M. N.; LANDA, B. S. Experiências interculturais na universidade: a presença dos indígenas e as contribuições à lei n° 11.645/08. Cad. Cedes, v. 39 n. 109, p. 397 – 416, 2019.

NEVES, F. H. G.; QUEIROZ, P. P. O Ensino de Ciências e a Saúde: por uma Docência Intercultural e Crítico-Reflexiva na Escola Básica. Ciên. Educ., v. 26, e20013, p. 1 – 17, 2020.

NÓVOA, A. Os professores e a sua formação. 2 ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

NUNES, A. A. C; SILVA, A. L. F. S.; ROCHA, L. F. B. V. A Lei 10.639/03 como instrumento político-pedagógico na perspectiva da Interculturalidade. Dialogia, n. 29, p. 95 – 110, 2018.

OGAWA, M. Science education in a multiscience perspective. Science Education, vol. 79, p. 583 – 593, 1995.

PAGANI, R. N.; KOVALESKI, J. L.; RESENDE, L. M. Methodi Ordinatio: a proposed methodology to select and rank relevant scientific papers encompassing the impact factor, number of citation, and year of publication. Scientometrics, v.105, p. 2109 – 2135, 2015.

PAGANI, R. N.; KOVALESKI, J. L.; RESENDE, L. M. Avanços na composição da Methodi Ordinatio para revisão sistemática de literatura. Ciência da Informação, v. 46, n. 2, p. 161 – 187, 2017.

PEREIRA, A. S. M.; GOMES, D. P.; CARMO, K. T.; MOTA E SILVA, E. V. Aplicação das leis 10.639/03 e 11.645/08 nas aulas de educação física: diagnóstico da rede municipal de Fortaleza/CE. Rev Bras Ciênc Esporte, vol. 41, n. 4, p. 412 – 418, 2019.

PERRELLI, M. A. S. “Conhecimento tradicional” e currículo multicultural: Notas combase em uma experiência com estudantes indígenas Kaiowá/Guarani.Ciência & Educação, vol. 14, n. 3, p. 381 – 396, 2008.

RÉDUA, L. S.; KATO, D. S. Oficinas Pedagógicas na Formação Inicial de Professores de Ciências e Biologia: Espaço para Formação Intercultural. Ciência & Educação, v. 26, e20001, 2020.

ROSA, I. S. C.; ALMEIDA, R. O.; SANTANA, C. S. C. Universalismo, pluralismo epistemológico e multiculturalismo crítico: problematizando a possibilidade de uma nova posição epistemológica. Rev. Espaço do Currículo, vol.13, n. Especial, p. 726 – 742, 2020.

SIEGEL, H. Science education: multicultural and universal. Interchange, vol. 28, p. 97 – 108, 1997.

SILVA, M. L. S.; BAPTISTA, G. C. S. Conhecimento tradicional comoo instrumento para dinamização do currículo e ensino de ciências. Gaia Scientia, v. 12, n. 4, p. 90 – 10, 2018.

SILVA, J. A.; RAMOS, M. A. Conhecimentos tradicionais e o ensino de ciências na educação escolar quilombola: um estudo etnobiológico. Investigações em Ensino de Ciências, v. 24, n. 3, p. 121 – 146, 2019.

SILVA, V. A.; REBOLO, F. A educação intercultural e os desafi os para a escola e para o professor. Interações, v.18, n. 1, p. 179 – 190, 2017.

SILVA, L. H. A., ZANON, L. B. A experimentação no ensino de ciências. In: SCHNETZLER, R. P.; ARAGÃO, R. M. R. (orgs.). Ensino de Ciências: fundamentos e abordagens. Piracicaba: CAPES/UNIMEP, 2000.

SOUTHERLAND, S. A. Epistemic universalism and the shortcomings of curricular multicultural science education. Science Education, v. 9, p. 289 – 307, 2000.

SNIVELY, G.; CORSIGLIA, J. Rediscovering Indigenous Science: Implications for Science Education. Science Education, v. 85, p. 6 – 34, 2001.

VALADARES, J. M.; PERNAMBUCO, M. M. C. A. Criatividade e silêncio: encontros e desencontros entre os saberes tradicionais e o conhecimento científico em um curso de licenciatura indígena na Universidade Federal de Minas Gerais. Ciênc. Educ., Bauru, v. 24, n. 4, p. 819 – 835, 2018.

VALADARES, J. M.; SILVEIRA JÚNIOR, C. Interculturalidade e Ensino de Ciências: O Cotidiano de uma Sala de Aula. Education Policy Analysis Archives, v. 28, n. 153, p. 1 – 17, 2020.

VANUCHI, V. C. F.; BRAIBANTE, M. E. F. O uso de corantes naturais por algumas comunidades indígenas brasileiras: uma possibilidade para o ensino de química articulado com a Lei 11. 645/2008. Revista Debates em Ensino de Química, v. 7, n. 2, p. 54 – 74, 2018.

XAVIER, P. M. A.; FLÔR, C. C. C. Saberes populares e educação científica: um olhar a partir da literatura na área de ensino de ciências. Ensaio, v.17, n. 2, p. 308 – 328, 2015.
Publicado
2022-08-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 158
  • PDF downloads: 0
Como Citar
GAUDÊNCIO, J. DA S. Interculturalidade no ensino de ciências : uma revisão sistemática de literatura. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 67, p. 325-340, 16 ago. 2022.