A fruição literária na Literatura Infantil Africana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n62.p76-88

Palavras-chave:

Literatura infantil africana, Fruição literária, Sulwe, Ombela

Resumo

A literatura infantil africana que vem adentrando no mercado editorial brasileiro tem fomentado um campo de análise sobre suas características e tendências. Interessado nesse movimento analítico, o presente artigo teve como objetivo analisar o caráter fruitivo das obras “Sulwe”, de Lupita Nyong'o (2019), e “Ombela: a origem das chuvas”, de Ondjaki (2014). O conceito de fruição relaciona-se à dinamicidade entre o texto literário, seu público e o processo de mediação (OBERG, 2014). Nessa perspectiva, na análise realizada foi possível identificar e realçar elementos da fruição, no plano verbal, em duas narrativas que abordam temas de valorização da identidade e cultura africana. Isso também contribuiu para evidenciar a importância de tais obras para a formação literária do público brasileiro, em especial das crianças, já que apresentam perspectivas mais positivas do que em momentos anteriores da literatura infantil disponível no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Cristina de Araujo, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná. Mestra em Educação pela UFPR. Especialista em Língua Portuguesa e Literaturas (2006) e graduada em Letras - Português/Inglês (2003) pela Universidade do Estado do Paraná, Campus de Paranavaí. Professora do Departamento de Teorias do Ensino e Práticas Educacionais do Centro de Educação - DTEPE/CE da Universidade Federal do Espírito Santo, atuando na área da Educação das Relações Étnico-Raciais.

Thiara Cruz de Oliveira, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestra em Letras (UFES). Revisora de textos no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac-ES).

Referências

ALTUNA, Pe. Raul Ruiz de Asúa. Cultura tradicional bantu. Portugal: Paulinas, 2014.

ARAUJO, Débora Oyayomi Cristina de; SILVA, Paulo Vinicius Baptista da. Diversidade étnico-racial e a produção literária infantil: análise de resultados. In: BENTO, Maria Aparecida Silva (Org.). Educação infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídicos, conceituais. São Paulo: Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades – CEERT, 2012, p. 194-220.

CUNHA JR., Henrique. O Etíope: Uma escrita africana. Educação Gráfica (Bauru), v. 11, p. 1-10, 2007. Disponível em: http://www.educacaografica.inf.br/wp-content/uploads/2011/06/01_O_Etiope.pdf. Acesso em: 15 jun. 2021.

CUTI (Luiz Silva). Literatura negro-brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010.

DEBUS, Eliane. A temática da cultura africana e afro-brasileira na literatura para crianças e jovens: lendo Joel Rufino dos Santos; Rogério Andrade Barbosa, Júlio Emílio Brás, Georgina Marins. Florianópolis: NUP/CED/UFSC, 2017.

HAMPATÉ BÂ, Amadou. A tradição viva. In: KI-ZERBO, Joseph (Ed.). História geral da África, I: Metodologia e pré-história da África. 2. ed. rev. – Brasília: UNESCO, 2010, p. 167-212.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. 1. ed. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

FABIO, Leite. Valores civilizatórios em sociedades negro-africanas. África: Revista do Centro de Estudos Africanos. USP, S. Paulo, 18-19 (1): 103-118, 1997.

MAGNANI, Maria do Rosário M. Leitura, literatura e escola: sobre a formação do gosto. São Paulo: Martins Fontes, 1989. (Coleção texto e linguagem)

NASCIMENTO, Elisa Larkin. Sankofa: significados e intenções. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (Org.). A matriz africana no mundo. São Paulo: Selo Negro, 2008, p. 29-54. (Sankofa: Matrizes africanas na cultura brasileira; 1)

NYONG´O, Lupita. Sulwe. Ilustrações de Vasti Harrison; tradução de Rane Souza. 1. ed. Rio de Janeiro: Rocco Pequenos Leitores, 2019.

OBERG, Maria Silvia Pires. Informação e significação: a fruição literária em questão. Doutorado (Ciência da Informação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, 2007.

OBERG, Maria Silvia Pires. Onde estão as chaves? Considerações sobre a formação do leitor e a fruição literária. In: BELMIRO, Célia Abcalil [et al.]. Onde está a literatura? Seus espaços, seus leitores, seus textos, suas leituras. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. p. 203-209.

ONDJAKI. Ombela: a origem das chuvas. Ilustrações de Rachel Caiano. Rio de Janeiro: Pallas Mini, 2014.

OLIVEIRA, Maria Anória de Jesus. Negros personagens nas narrativas literárias infanto-juvenis brasileiras: 1979-1989. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado da Bahia: Salvador, 2003.

OLIVEIRA, Maria Anória de Jesus. Literatura infanto-juvenil contemporânea no Brasil e em Moçambique: tecendo negritudes. Itabaiana: GEPIADDE, Ano 4, v. 7, p. 75-92, jan-jun de 2010.

OLIVEIRA, Maria Anória de Jesus. África e diásporas na literatura infantojuvenil no Brasil e em Moçambique. Salvador: EDUNEB, 2014.

OYĚWÙMÍ, Oyèrónké. Conceituando o gênero: os fundamentos eurocêntricos dos conceitos feministas e o desafio das epistemologias africanas. Tradução para uso didático de: OYĚWÙMÍ, Oyèrónké. Conceptualizing Gender: The Eurocentric Foundations of Feminist Concepts and the challenge of African Epistemologies. African Gender Scholarship: Concepts, Methodologies and Paradigms. CODESRIA Gender Series. v. 1, Dakar, CODESRIA, 2004, p. 1-8 por Juliana Araújo Lopes. Disponível em: https://ayalaboratorio.files.wordpress.com/2019/06/conceito-genero.pdf. Acesso em: 15 jun. 2021.

PAIVA, Aparecida. Reflexões sobre políticas públicas brasileiras de leitura. In: FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva [et al.] (Orgs.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 503-533. (Didática e prática de ensino).

SILVA, Paulo Vinicius Baptista da. Relações raciais em livros didáticos: estudo sobre negros e brancos em livros de Língua Portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. (Coleção Cultura Negra e Identidade)

TURCHI, Maria Zaira. O estético e o ético na literatura infantil. In: CECCANTINI, João Luís C. T. (Org.). Leitura e literatura infantojuvenil: memória de Gramado. São Paulo: Cultura Acadêmica; Assis: ANEP, 2004, p. 269-285.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. 6. ed. São Paulo: Global, 1987.

Publicado

2021-06-30

Como Citar

ARAUJO, D. C. de; OLIVEIRA, T. C. de. A fruição literária na Literatura Infantil Africana. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 30, n. 62, p. 76–88, 2021. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n62.p76-88. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/10933. Acesso em: 13 jun. 2024.