Atuação de egressos(as) das licenciaturas em Educação do Campo

reflexões sobre a práxis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n61.p138-159

Palavras-chave:

Licenciatura em Educação do Campo, Egressos, Trabalho, Escolas do Campo, Práxis

Resumo

RESUMO

 Este texto almeja refletir sobre a práxis de egressos da Licenciatura em Educação do Campo, objetivando perceber como esta foi abordada na produção do conhecimento científico na pós-graduação. Procedeu-se à análise de 25 pesquisas (teses e dissertações), buscando examinar os resultados em relação aos três perfis de formação pretendidos pelo curso: a) inserção e atuação dos egressos nas Escolas do Campo e os desafios da docência por área de conhecimento; b) inserção e atuação dos egressos em seus territórios, na gestão de processos educativos comunitários e c) tensões e contradições que envolvem seu ingresso/permanência no mundo do trabalho. As pesquisas analisadas reafirmam que o Projeto Político Pedagógico das LEdoCs, dada a sua materialidade de origem, vinculada à luta da classe trabalhadora, tem conseguido garantir um novo perfil de educadores às Escolas do Campo, porém a continuidade de tal projeto de formação enfrenta ameaças em diferentes ordens.

Palavras-chave: Licenciatura em Educação do Campo. Egressos. Trabalho. Escolas do Campo. Práxis.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Castagna Molina, UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

Doutora (pós doutora). Professora Associada da Universidade de Brasilia. Integra o grupo de pesquisa "Consciência – Grupo de Estudos e Pesquisas em Materialismo Histórico-Dialético e Educação"

Marcelo Fabiano Rodrigues Pereira, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF

Doutor em Educação. Professor da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal.

Referências

NGELO, A. A. Um estudo sobre a prática políti-co-social de egressos da Licenciatura em Educação do Campo da FaE/UFMG: possibilidades e desafios para a formação de educadores do campo. 2019. 315 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2019. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-04112019-182539/publico/ALINE_APARECIDA_ANGELO_rev.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

ANTUNES, R.; ALVES, G. As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 25, n. 87, p. 335-351, maio/ago. 2004.

BAZZO, V.; SCHEIBE, L. De volta para o futuro... retrocessos na atual política de formação docente. Revista Retratos da Escola, Brasília, DF, v. 13, n. 27, p. 669-684, set./dez. 2019. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde. Acesso em: 15 out. 2020.

BRITO, M. M. B.Formação de professores na perspectiva da epistemologia da práxis: análise da atuação dos egressos do curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade de Brasília. 2017. 348 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2017. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/31100. Acesso em: 15 out. 2020.

CALDART, R. S. Educação do Campo. In: CALDART, R. S. Et al. (org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 259-267.

CALDART, R. S. Licenciatura em Educação do Campo e projeto formativo: qual o lugar da docência por área? In: MOLINA, M. C.; SÁ, L. M. (org.). Licenciaturas em Educação do Campo: registros e reflexões a partir das experiências-piloto. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 95-121. (Coleção Caminhos da Educação do Campo, 5).

CALDART, R. S. Et al. Apresentação. In: CALDART, R. S. Et al. (org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 13-19.

CARMO, N. C. C. do. Mapeando a Educação do Campo em Minas Gerais: um estudo sobre egressos da Licenciatura em Educação do Campo da UFMG (2005-2011) do Vale do Jequitinhonha. 138 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Ciência) – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/32678/1/2021156Disserta%c3%a7%c3%a3o_NayaraCarneirodoCarmo_2019.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

CARVALHO, C. A. da S. Representações sociais das práticas artísticas na atuação de profes-sores do campo. 2017. 328 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUBDAW7MEQ/1/tese_cristiene_adriana_da_silva_carvalho.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

CASTRO, A. C. R. de. As práticas pedagógicas do educador do campo do território bragantino:um diálogo com os saberes e fazeres cotidianos do educando. 2017. 162 f. Dissertação (Mestrado em Linguagem e Saberes Interculturais da Amazônia) – Universidade Federal do Pará, Bragança, PA, 2017. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/bitstream/2011/9386/1/Dissertacao_Praticaspedagogicaseducador.pdf.Acesso em: 15 out. 2020.

CORDEIRO, D. R. Prática cultural docente: o habitus professoral dos egressos do curso de Licenciatura em Educação do Campo/UNIFESSPA. 2017. 238 f. Dissertação (Mestrado em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia) – Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), Marabá, PA, 2017. Disponível em:https://pdtsa.unifesspa.edu.br/images/DEBORA.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

CURADO SILVA, K. A. P. C. Epistemologia da Práxis na formação de professores: perspectiva crítica emancipadora. In: PORTO, M. D.; SANTOS, M. L. dos; FERREIRA, J. R. R. (org.). Os desafios do en-sino de ciências no século XXI e a formação de professores para a Educação Básica. Curitiba: CRV, 2016. p. 35-52.

CURADO SILVA, K. A. P. C. Epistemologia da Práxis na formação de professores. In: MOLINA, M. C.; MARTINS, M. de F. A. (org.). Formação de formadores: reflexões sobre as experiências da Licenciatura em Educação do Campo no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2019. p. 279-298. (Coleção Caminhos da Educação do Campo, 9).

CURADO SILVA, K. A. P. C; LIMONTA, S. V. Formação de professores em uma perspectiva crítico-emancipatória: a materialidade da utopia. In: CURADO SILVA, K. A. P. C; LIMONTA, S. V. (org.). Formação de professores na perspectiva crítica: resistência e utopia. Brasília, DF: Ed. Universidade de Brasília, 2014. p. 11-28.

DALMOLIN, A. M. T. À sombra deste jacaran-dá: articulações entre Ciências da Natureza e Educação do Campo na formação docente. 2020. 263 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2020. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/210812/001115597.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 15 out. 2020.

FERNANDES, B. M. Movimentos socioterritoriais e movimentos socioespaciais: contribuição teórica para uma leitura geográfica dos movimentos sociais. Revista Nera, Presidente Prudente, SP, ano 8, n. 6, p. 14-34, jan./jun. 2005.

FERREIRA, M. J. L. Docência, Escola do Campo e formação: qual o lugar do trabalho coletivo? 2015. 235 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2015. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/20063/1/2015_MariaJucileneLimaFerreira.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

FREITAS, L. C. A escola única do trabalho: explorando os caminhos de sua construção. In: CALDART, R. S. (org.). Caminhos para a transformação da es-cola: reflexões desde práticas da Licenciatura em Educação do Campo. v. 1. São Paulo: Expressão Popular, 2010. p. 155-178.

FREITAS, L. C. Formação de quadros técnicos ou formação geral? Riscos de um falso dilema para o MST. In: VENDRAMINI, C. R.; MACHADO, I. F. (org.). Escola e movimento social: a experiência em curso no campo brasileiro. São Paulo: Expressão Popular, 2011a. p. 109-132.

FREITAS, L. C. Neotecnicismo e formação do educador. In: ALVES, N. (org.). Formação de pro-fessores: pensar e fazer. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2011b. p. 95-108.

FREITAS, L. C. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 35, n. 129, p. 1085-1114, out./dez. 2014.

FRIGOTTO, G. Educação e a crise do capitalismo real. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.Trabalho como princípio educativo.In: CALDART, R. S. et al. (org.). Dicionário da Educação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 750-757.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere.Tradução:Carlos Nelson Coutinho. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. (v. 2. Os intelectuais; O princípio educativo; Jornalismo).

KOSIK, K. Dialética do concreto. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

MARABÁ. Edital nº 001, de 07 de dezembro de 2018. Concurso público para vagas de quadro de pessoal efetivo da Prefeitura Municipal de Marabá-PA. Marabá, 2018. Disponível em: https://www.portalfadesp.org.br/midias/anexos/576_edital_n_01_2018_pmm_-_edital_de_abertura.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010. (Coleção Marx-Engels).MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MOLINA, M. C. A Educação do Campo e o enfrentamento das tendências das atuais políticas públicas. Educação em Perspecti-va, Viçosa, MG, v. 6, n. 2, p. 378-400, jul./dez. 2015. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/6809/2772. Acesso em: 15 out. 2020.

MOLINA, M. C. Contribuições das Licenciaturas em Educação do Campo para as políticas de formação de educadores. Educação & Sociedade, Campinas, SP, v. 38, n. 140, p. 587-609, jul.-set. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v38n140/1678-4626-es-38-140-00587.pdf.Acesso em: 15 out. 2020.

MOLINA, Mônica Castagna; HAGE, Salomão Mufarrej. Revista Educação em Questão, Natal, v. 51, n. 37, p. 121-146, jan./abr. 2015 7174-Texto do artigo-18356-2-10-20170417 (4).pdf. Acesso em 15 de outubro de 2015.

MOLINA, M. C. Panorama das Licenciaturas em Educação do Campo nas IFES no Brasil. In: RUAS, J. J.; BRASIL, A.; SILVA, C. da (org.). Educação do Campo: diversidade cultural, socioterritorial, lutas e práticas. Campinas, SP: Pontes, 2020. p. 85-110.

MOLINA, M. C.; PEREIRA, M. F. R. Potencialidades da inter-relação entre a formação docente na graduação e na pós-graduação: contribuições a partir de experiências do Estágio Docência na Licenciatura em Educação do Campo na UnB. Revista Brasileira de Educação do Campo, Tocantinópolis, TO, v. 5, 2020. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo/article/view/10323/17329. Acesso em: 15 out. 2020.

MOLINA, M. C.; PEREIRA, M. F. R. A práxis como categoria estruturante do projeto de transformação na forma da Escola do Campo. REUNIÃO NACIONAL DA ANPEd – Educação Pública e Pesquisa: ataques, lutas e resistências, 39., 2019, Niterói, RJ. Anais eletrônicos [...]. Niterói, RJ: Universidade Federal Fluminense (UFF), 2019. Disponível em: http://39.reuniao.anped.org.br/wp-content/uploads/sites/3/trabalhos/5428-TEXTO_PROPOSTA_COMPLETO.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

MOLINA, M. C.; SÁ, L. M. A Licenciatura em Educação do Campo da Universidade de Brasília: estratégias político-pedagógicas na formação de educadores do campo. In: MOLINA, M. C.; SÁ, L. M. (org.). Licencia-tura em Educação do Campo: registros e reflexões a partir das experiências-piloto. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 35-61. (Coleção Caminhos da Educação do Campo, 5).

MOLINA, M. C.; SÁ, M. L. Escola do Campo. In: CALDART, R. S. Et al. (org.). Dicionário da Edu-cação do Campo. São Paulo: Expressão Popular, 2012. p. 326-333.NEVES, L. M. W. (org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

NEVES, L. M. W. O professor como intelectual estratégico na disseminação da nova pedagogia da hegemonia. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO (ANPEd), 36., 2013, Goiânia. Anais [...]. Goiânia: ANPEd, 2013. 1 CD-ROM.

NORONHA, O. M. Epistemologia, formação de professores e práxis educativa transformadora. Quaestio - Revista de Estudos em Educação, Sorocaba, SP, v. 12, n. 1, set. 2010. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/176. Acesso em: 27 jan. 2018.

NUNES, N. D. Representações sociais sobre o cam-po de professores egressos do curso de Licencia-tura em Educação do Campo FAE-UFMG. 2019. 70 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Docência) – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte 2019. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/32700/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20-Naiane%20Dias%20Nunes%20-%20Impres%C3%A3o%20%281%29.pdf. Acesso em: 15 out. 2020.

OLIVEIRA, D. A. As reformas educacionais e suas repercussões sobre o trabalho docente. In:OLIVEIRA, D. A. (org.). Reformas educacionais na América Latina e os trabalhadores docentes. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 13-38.

PAITER, L. L. Reflexões sobre a formação docente na área de conhecimento ciências da natureza: a Licenciatura em Educação do Campo. 2017. 190 f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/186991/PECT0340-D.pdf?sequence=-1&isAllowed=y.Acesso em: 16 out. 2020.

PEREIRA, M. F. R. A Licenciatura em Educação do Campo da UnB e a práxis docente na transfor-mação da forma escolar a partir da atuação de suas egressas. 2019. 325 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2019. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/35820/1/2019_MarceloFabianoRodriguesPereira.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

PEREIRA, M. L. S. As contribuições da Licencia-tura em Educação do Campo na transformação das relações de gênero: um estudo de caso com as educandas do Assentamento Virgilândia de Formosa/GO. 2014. 88 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2014. Disponível em: http://repositorio.se.df.gov.br/bitstream/123456789/652/1/2014_MariaDeLourdesSoaresPereira.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

RIBEIRO, M. A. de F. Território e currículo: a construção do conhecimento na licenciatura em educação do campo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - IFPA. 2017. 149 f. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Seropédica, RJ. 2017. Disponível em: https://tede.ufrrj.br/jspui/bitstream/jspui/2560/2/2017%20-%20Marcia%20Adriana%20de%20Faria%20Ribeiro.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

ROSA, A. C. Educadores do PROLEC:a realidade dos licenciados em Educação do Campo - UFS (Turma 2008): um estudo de caso com os egressos do município de Poço Redondo. 2015. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju, 2015. Disponível em: https://www.sigaa.ufs.br/sigaa/public/programa/defesas.jsf?lc=pt&id=136.Acesso em: 16 out. 2020.

SAGAE, É. Licenciatura em Educação do Campo: um processo em construção. 2015. 150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/169569/338108.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 16 out. 2020.

SANTA CATARINA. Secretaria de Educação do Estado. Nota Técnica SED/DIGR/DIGP nº 3, de 13 de dezembro de 2016. Reconhece a habilitação dos egressos dos cursos de Licenciatura em Educação do Campo. Florianópolis, 2016.

SANTOS, E. M. dos. Trabalho coletivo, interdisci-plinaridade e auto organização dos educandos: contribuições da LEDOC para práticas educativas contra hegemônicas na experiência do ProJovem Campo Saberes da Terra do Distrito Federal. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, 2017. Disponível em: https://1library.org/document/qmw0g88z-universidade-brasilia-faculdade-educacao-graduacao-educacao-educacao-educacao.html. Acesso em: 16 out. 2020.

SANTOS, E. V. Representações sociais de egressos da Licenciatura em Educação do Campo da FAE/UFMG sobre o campo. 2018. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Docência) – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUOS-B4BPCS/1/disserta__o___ellen_vieira_santos.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

SANTOS, J. B. dos. Questão agrária, Educação do Campo e formação de professores: territórios em disputa. 2015. 252 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/21471/1/Tese_Janeide%20Bispo%20dos%20Santos_vers%c3%a3o%20atualizado.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

SANTOS, J. dos. Licenciatura em Edu-cação do Campo e território ribeiri-nho:desafios e potencialidades na formação de educadores para a resistência na Amazônia. 2020. 236 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2020. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/38895/1/2020_JenijuniodosSantos.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

SANTOS, L. dos. Concepção e prática da or-ganização escolar desenvolvido no curso de Licenciatura em Educação do Campo da UFS (2008/2012). 2015. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe UFS), São Cristóvão, SE, 2015. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/4801/1/LEANDRO_SANTOS.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

SANTOS, S. P. dos. A Licenciatura em Educação do Campo no estado de Roraima:contribuições para a Escola do Campo. 2018. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2018. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/32676/1/2018_SilvanetePereiradosSantos.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

SÃO JOÃO DO ARAGUAIA. Edital nº 001, de 03 de abril de 2018. Concurso público para vagas de quadro de pessoal efetivo da Prefeitura Municipal de São João do Araguaia-PA. Disponível em: http://paconcursos.com.br/v1/wp-content/uploads/2018/04/1-EDITAL-SJARAGUAIA-2018-retifica%C3%A7%C3%A3o-n%C2%BA02.pdf.Acesso em: 18 out. 2020.

SARMENTO, C. da S. A formação profissional de egressos do curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Fede-ral de Roraima (UFRR): desafios da profissão na contemporaneidade. 2018. 66 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Roraima (UERR), Boa Vista, 2018. Disponível em: https://www.uerr.edu.br/ppge/wp-content/uploads/2019/01/DISSERTA%C3%87%C3%83O-CONSUELEM.pdf. Acesso em: 18 out. 2020.

SILVA, A. de A. Educação do Campo no Ins-tituto Federal do Pará/Tucuruí: currículo e educação para as relações etnicorraciais. 2017. 81 f. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola) – Instituto de Agronomia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Seropédica, RJ, 2017. Disponível em: https://tede.ufrrj.br/jspui/bitstream/jspui/2437/2/2017%20-%20Analielle%20de%20Araujo%20Silva.pdf. Acesso em: 18 out. 2020.

SILVA, M. C. L. e. Caminhos da interdisciplina-ridade: da formação por área de conhecimento à prática educativa de egressos da Licenciatura em Educação do Campo - Procampo/IFPA, Campus de Castanhal, PA. 2017. 317 f. Tese (Doutorado em Educação Brasileira) – Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, 2017. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/26673/1/2017_tese%20mclsilva.pdf. Acesso em: 18 out. 2020.

SILVA, H. S. A. Et al. Formação de professores do campo frente às “novas/velhas” políticas implementadas no Brasil: r-existência em debate. Revista Eletrônica de Educação, UFSCAR, São Carlos, SP, v. 14, p. 1-22, jan./dez. 2020. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/download/4562/1067. Acesso em: 18 out. 2020.TONET, I. Método científico: uma abordagem ontológica. São Paulo: Instituto Lukács, 2013.

TRINDADE, A. C. P. Representações sociais de egressos do curso de Licenciatura em Educação do Campo da UFPA: formação e atuação no contexto social do campo. 2016. 176 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, 2016. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/bitstream/2011/8660/1/Dissertacao_RepresentacoesSociaisEgressos.pdf.Acesso em: 18 out. 2020.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da Práxis. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011

Publicado

2021-10-19

Como Citar

MOLINA, M. C.; PEREIRA, M. F. R. Atuação de egressos(as) das licenciaturas em Educação do Campo: reflexões sobre a práxis. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 30, n. 61, p. 138–159, 2021. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n61.p138-159. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/10082. Acesso em: 13 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)