A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC) E OS DIZERES SOBRE O QUE É SER PROFESSOR POR ESTUDANTES DO ÚLTIMO ANO DE UM CURSO DE PEDAGOGIA

Palavras-chave: BNCC, Formação de Professores, Profissão Docente, Desenvolvimento Profissional.

Resumo

O presente artigo, no âmbito da Linha de Pesquisa Formação de Professores e Outros Agentes Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos, tem como eixo central analisar o que a Base Nacional Comum Curricular compreende como docência e o que os alunos que cursam o último ano de um curso de licenciatura em Pedagogia na referida universidade compreendem como docência. Obtivemos os dados por meio da aplicação de um questionário no Moodle com o objetivo de conhecermos o perfil dos inscritos e fizemos um levantamento teórico sobre o que é a docência nesse contexto atual. Apresentamos os resultados obtidos e uma análise dos dados buscando responder às questões norteadoras, concluindo com as inferências e considerações acerca do que foi estabelecido ao longo do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jucenilton Alves dos Santos, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar); Mestre em Letras pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB (2015-2017); Especialista em Gestão Escolar pela Universidade Federal da Bahia - UFBA (2012-2013); Especialista em Leitura, Produção e Interpretação de Textos pelas Faculdades Integradas Euclides Fernandes - FIEF (2011-2012); Especialista em Gestão Educacional pela Faculdade de Educação Superior do Piemonte da Chapada - FESPC (2011-2012); Graduado em Letras (Língua Portuguesa e Literaturas da Língua Portuguesa) pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB (2005-2009). Membro do Corpo Editorial da Revista Eletrônica de Educação (REVEDUC) da UFSCar. Tem experiência na área de Ciências Humanas com ênfase em Antropologia (gênero, sexualidade) e Educação (Práticas Pedagógicas, Gestão Escolar e Formação de Professores), na área de Linguística, Letras e Artes com ênfase em Literatura Brasileira e Portuguesa, Leitura, Escrita e Gêneros Discursivos e na área de Ciências Políticas com ênfase em Políticas Públicas e Movimentos Sociais.
Jussara Gabriel dos Santos, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
Servidora Pública da Universidade Federal de Uberlândia (UFU/MG), Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar/SP), Mestra em Educação pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM/MG), Especialista em Tutoria em Educação a Distância pela Universidade Cândido Mendes (UCAM/RJ), Especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal de Góias (UFG/GO), Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU/MG), instrumentista em piano pelo Conservatório Estadual de Música Cora Pavan Capparelli (Uberlândia/MG). Atua nas áreas de: formação de professores, formação continuada e desenvolvimento profissional de professores, tecnologia de informação e comunicação na educação, educação a distância, implementação da lei 10.639/03 e articulação política da juventude negra.
Micheli Fernanda Machado, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de São Carlos (2004) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2015). Atualmente é professora do Ensino Fundamental da Prefeitura Municipal de São Carlos - SP e doutoranda em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: alfabetização, formação de professores inicial e continuada, mentoria e narrativas.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Brasília, DF, 2017. Disponível em <http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2017-pdf/79631-rcp002-17-pdf/file>. Acesso em: 22 de julho de 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

CALLEGARI, C. BNCC na prática. 1ª ed. – São Paulo: FTD, 2018.

MARCELO, CARLOS. A identidade docente: constantes e desafios. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente. Belo Horizonte, 2009. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/233966608_A_identidade_docente_constantes_e_desafios. Acesso em: 17 out. 2019.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de L. S. Shulman. Educação, v.29, n.2, 2004. Disponível em http://coralx.ufms.br/revce. Acesso em: 16 out. 2019.

OLIVEIRA. R, M. M. A. Narrativas de formação: aspectos da trajetória como estudante e experiências de estágio. In: Revista Interacções, 2011. Nº 8, p. 229-245.

REALI, A. M. M. R., REYES, C. R. Reflexões sobre o fazer docente. São Carlos: EdUFSCar, 2009. 98 p. -- (Coleção UAB-UFSCar).

SHULMAN, Lee S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos Cenpec | Nova série, [S.l.], v. 4, n. 2, jun. 2014. ISSN 2237-9983. Disponível em: <http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/293/297>. Acesso em: 16 out. 2019.

TANCREDI, R. P. Aprendizagem da docência e profissionalização: elementos de uma reflexão. São Carlos: EdUFSCar, 2009. 62 p. -- (Coleção UAB-UFSCar).

Publicado
2020-05-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 166
  • PDF downloads: 88