EDUCAÇÃO E SAÚDE PÚBLICA: DETERMINAÇÃO DE CLORO E ESCHERICHIA COLI, NA ÁGUA UTILIZADA PARA CONSUMO NO IFPE, CAMPUS AFOGADOS DA INGAZEIRA

Sandra Cristina Alves de Lima, Carlos Alberto Batista Santos

Resumo


A água destinada ao consumo humano deve preencher condições mínimas para que possa utilizada. O Ministério da Saúde publicou em 2011 a Portaria nº2914, que estabelece os novos procedimentos e responsabilidades relativas ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano. O presente trabalho foi realizado com intuito de mostrar à população acadêmica do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia IFPE, e contribuir com o monitoramento da qualidade da água distribuída para consumo humano dentro do Instituto Federal de Pernambuco, ressaltando a importância do tratamento da água, para a manutenção da saúde humana. O tratamento da água previne a transmissão de micro-organismos a ela veiculadas e garante a saúde da população.  Este estudo foi realizado no IFPE, campus Afogados da Ingazeira, no período de agosto a dezembro de 2013. Para realização das análises de água, foram definidos estrategicamente cinco pontos de coleta, contemplando a chegada da rede de distribuição (Ponto 1) e a água vinda dos reservatórios, (Pontos 3, 3a, 4, 5, e 5a). Os métodos analíticos empregados obedeceram aos procedimentos e recomendações descritas no Standard Methods for Examination of Water and Wastewater. Nas amostras foram determinados o teste de Presença ou Ausência de coliformes totais, e Escherichia coli, e determinação de cloro total e residual livre. As análises físico-químicas registradas, estão dentro do que determina a Portaria nº2914/11, à exceção do Ponto 1 (torneira na chegada da rede de distribuição), que registrou um baixo nível de cloro. Recomendamos o monitoramento contínuo da qualidade da água, nas instituições de ensino, principalmente em bebedouros coletivos que são manipulados diariamente sem a higienização adequada, tendo por isso um alto potencial de contaminação.


Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, M. C. C., PORTO, E. R. Avaliação da qualidade bacteriológica das águas de cisternas: estudo de caso no município de Petrolina-PE. Relatório de Estágio, Curso Técnico de Saneamento, IFPE, 2000.

BRASIL. Portaria Nº 2914. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Ministério da Saúde, 2011.

______. Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental relacionada à qualidade da água para consumo humano. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, 2005a.

______. Resolução CONAMA nº 357. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente, 2005b.

______. Resolução CONAMA nº 274. Define os critérios de balneabilidade em águas brasileiras. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente, 2000.

FUNDAÇÃO NACIONAL DA SAÚDE, FUNASA. Teor de cloro residual. Disponível em http://www.funasa.com.br. Acessado em janeiro de 2014.

INSTITUTO TRATA BRASIL, ITB. Esgotamento sanitário inadequado e impactos na saúde da população 2008-2011. Disponível em: http://www.tratabrasil.org.br/esgotamento-sanitario-inadequado-e-impactos-na-saude-da-populacao. Acessado em 15 julho 2016.

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬LEAL, E. S. Modelagem da degradação de cloro residual livre em sistemas de adução de água de abastecimento de porte médio. (Dissertação de Mestrado) Mestrado em Engenharia Civil, Universidade Federal de Campinas Grande, 2012.

MACÊDO, T. A., SOARES, M, J. S., ALBUQUERQUE, W. F. Monitoramento da qualidade microbiológica da água destinada ao consumo em escolas da rede municipal na cidade de Teresina– PI. Resumos... Artigo apresentado 2011.

MORAES, F. A. Calibração de modelo de decaimanto de cloro aplicado a setor de rede de distribuíção de água. (Dissertação de mestrado). Mestrado em Hidráulica de Saneamento, Universidade de São Paulo, 2008.

PIMENTEL, F., MILHOMEM, L., BARROS, M. V. A. Investigação da atividade metabólica das bactérias. Relatório de estágio. Curso de Química Ambiental. Universidade Federal de Tocantins, 2012.

QUEIROZ, J. T. M. Água de consumo humano distribuída à população e ocorrência de diarreia: um estudo ecológico no município de Vitória - ES (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos Universidade Federal de Minas Gerais, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 Base de Indexadores: