A EDUCAÇÃO APRENDE COM O HOMEM A CONTINUAR O TRABALHO DA VIDA – EDUCAÇÃO, TRABALHO E SAÚDE EM ALGUMAS EXPERIÊNCIAS FUNDADORAS

Daisy Moreira Cunha, Wanderson Ferreira Alves

Resumo


O texto aborda algumas significativas formulações que, articulando trabalho e
formação, se desenvolveram na Itália, na França e no Brasil em torno da temática
da saúde do trabalhador. Assim, o artigo apresenta e discute algumas iniciativas que, em tempos e locais distintos, fortaleceram e fortalecem a noção de homem e mulher como sujeitos políticos, iniciativas que têm a particularidade – e que representa um fio condutor comum entre elas – de ter em primeiro plano o trabalhador, seu trabalho e seus saberes. Trata-se de um texto de natureza teórica e que articula as contribuições de diferentes áreas do conhecimento, como os estudos na área da saúde do trabalhador, da educação e da filosofia. O texto destaca que, se na educação popular parte-se da premissa que o trabalhador é, no sentido forte do termo, compreendido como sujeito
dos processos no qual está inserido, o mesmo não ocorre quando se fala do trabalho no âmbito da relação salarial ou dos processos saúde e doença nos meios laborais.
Todavia, há perspectivas que oferecem outra visada sobre a questão e possibilitam a construção de práticas contra-hegemônicas.


Palavras-chave


Trabalho. Saúde. Formação humana. Educação popular.

Texto completo:

PDF

Referências


ALALUF, Mateo. Introduction. In: ALALUF, Mateo; ROLLE, Pierre; SCHOETTER, Paul. (Coord.). Division du travail et du social. Toulouse, FR: Octares, 2001.

BRANDÃO, Carlos, R. O que é Educação?São Paulo: Brasiliense, 1981.

______. Prefácio: cinqüenta e um anos depois. In: STRECK, Danilo; ESTEBAN, Maria T. (Org.). Educação popular: lugar de construção social e coletiva. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

CANGUILHEM, Georges. Écrits sur la médecine. Paris: Le Seuil, 2002.

______. La connaissance de la vie. 10. ed. Paris: Vrin, 2009.

CUNHA, Daisy. M. (Org.). Trabalho: minas de saberes e valores. Belo Horizonte: NETE/FAE/UFMG, 2007.

MINAYO-GOMEZ, Carlos. Campo da saúde do trabalhador: trajetória, configuração, transformações. In: MINAYO--GOMEZ, Carlos; MACHADO, Jorge M. H.; PENA, Paulo G. L. (Org.). Saúde do trabalhador na sociedade

brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2011. p. 23-36.

OLIVEIRA, Rosiska D.; OLIVEIRA, Miguel. Pesquisa social e ação educativa: conhecer a realidade para poder transformá-la. In: BRANDÃO, C. R. (Org.). Pesquisa participante. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1988. p. 43-55.

FREIRE, Paulo. Criando métodos de pesquisa alternativa. In: BRANDÃO, C. R. (Org.). Pesquisa participante. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1988. p. 33-41.

ODDONE, Ivar; RE, Alessandra; BRIANTE, Gianni. Redecouvrir l’Experiense Ouvrière– vers une autre psychologie du travail? Paris: Editions Sociales, 1981.

TAYLOR, Frederick W. Princípios da administração científica. São Paulo: Atlas, 1985.

SCHWARTZ, Yves. A comunidade científica ampliada e o regime de produção de saberes. Revista Trabalho e Educação, Belo Horizonte, n. 7, p. 38-46, jul./dez. 2000,.

______. Reconnaissances du travail: pour une approche ergologique. Paris: Universitaires de France, 1997.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Projeto conexões de saberes sobre trabalho: saúde e segurança no trabalho. Caderno de textos do IV Módulo. Belo Horizonte: UFMG/FaE/NETE, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2015.v24.n43.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

 Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0