O anúncio publicitário na mídia digital: o amigo fake

  • Marilúcia dos Santos Domingos Striquer Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)
  • Fernanda de Oliveira Pereira

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar quais são os elementos que formam o gênero textual anúncio publicitário, especificamente o anúncio veiculado pela rede social Facebook, o qual denominamos, por ser um gênero textual específico, diferente dos veiculados em revistas, jornais e panfletos, de publicidade patrocinada o Facebook. A intenção é, principalmente, identificar quais os elementos que podem ser categorizados como os constituídos por estratégias persuasivas específicas desse gênero textual. Para tanto, pautamo-nos nos preceitos teórico-metodológicos do Interacionismo Sociodiscursivo. Os resultados colocaram em evidência as características sociocomunicativas, discursivas, linguísticas e multissemióticas do gênero, além de quais elementos configuram-se como estratégias persuasivas, as quais promovem que o anunciante instaure-se como um amigo no Facebook.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilúcia dos Santos Domingos Striquer, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)
Professora adjunta da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP). Doutora em estudos da linguagem

Referências

ARAÚJO, Raquel Amarante de. Comunicação de marketing em websites de redes sociais. 2013. Dissertação (Mestrado em Marketing) – Universidade de Aveiro, Aveiro, 2013.
BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. Trad. De Anna Rachel Machado, Péricles Cunha. São Paulo: EDUC, 2009.
CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2013, p. 61-78.
CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão. São Paulo: Ática, 2002.
COSTA, Maria T. P. M. Construção de um instrumento para medida de satisfação no trabalho. Revista Administração de empresas, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3. 1980, p. 59-68.
CRISTOVÃO, Vera Lúcia Lopes; STUTZ, L. Sequências Didáticas: semelhanças e especificidades no contexto francófono como L1 e no contexto brasileiro como LE. In: SZUNDY, Paula Tatianne Carréra Szundy et al (Org.). Linguística Aplicada e Sociedade: ensino e aprendizagem de línguas no contexto brasileiro. Campinas: Pontes Editores, 2011, p. 17-40.
DOLZ, Joaquim. Seminário 2015 – Palestra Prof. Joaquim Dolz (1/3). 2015. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=K68WLhIcSrc. Acesso em: 24 de março de 2019.
FARINA, Modesto; PEREZ, Clotilde; BASTOS, Dorinho. Psicodinâmica das cores em comunicação. São Paulo: Edgard Blücher, 2006.
GOMES, Neusa Demartini. Publicidade ou propaganda? É isso aí! Revista FAMECOS. Porto Alegre, n. 16, 2001.
GONZALES, Lucilene. Linguagem publicitária: análise e produção. São Paulo: Arte & Ciência, 2003.
LENHARO, Rayane Isadora. Participação social por meio da música e da aprendizagem de língua inglesa em um contexto de vulnerabilidade social. 2016. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2016.
MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In:
Publicado
2021-12-17
Métricas
  • Visualizações do Artigo 71
  • PDF downloads: 84
Seção
ARTIGOS