Vozes de paixão em Cantares de perda e predileção, de Hilda Hilst

  • Luís Alberto dos Santos Paz Filho PUCRS

Resumo

O presente trabalho tem como objetivas realizar uma interpretação da obra Cantares de perda e predileção, de Hilda Hilst, de forma a estabelecer relações entre poema e canção como método e metáfora para as concepções de paixão apresentadas em seus poemas. Para a realização desta leitura, conta-se como guia os estudos de Emil Staiger, Thomas Stearns Elliot e Octavio Paz acerca da poesia lírica, no tocante à musicalidade e voz poética, pretendendo constituir uma hipótese interpretativa da paixão em quatro poemas selecionados na obra da autora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ELLIOT, Thomas Stearns. A essência da poesia. Introdução de Affonso Romano de Sant’anna. Tradução de Maria Luiza Nogueira. Rio de Janeiro: Artenova, 1972.
HILST, Hilda. Cantares de perda e predileção. In: Hilda Hilst: Da Poesia. São Paulo: Companhia das letras, 2017.
PAZ, Octavio. Signos em rotação. São Paulo: Perspectiva, 1976.
STAIGER, Emil. Conceitos fundamentais da poética. Trad. Celeste Aída Galeão. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1977.
Publicado
2021-12-17
Métricas
  • Visualizações do Artigo 77
  • PDF downloads: 69
Seção
ARTIGOS