Saberes artísticos experienciais

um estudo no contexto da educação de pessoas jovens, adultas e idosas

Palavras-chave: Ensino de arte. Educação de pessoas jovens, adultas e idosas. Processos artísticos experienciais. Saberes experienciais.

Resumo

O estudo1, situado no campo do ensino da arte na educação de pessoas jovens, adultas e idosas, tem como objetivo compreender a origem e as características de saberes artísticos experienciais de estudantes dessa modalidade, bem como sentidos atribuídos à arte por docente e estudantes. De
natureza qualitativa e de cunho fenomenológico, a pesquisa foi realizada numa escola da rede municipal de ensino da Bahia, incorporando princípios
e procedimentos da pesquisa biográfica e colaborativa. Reflexividade crítica, inéditos viáveis, narrativas de si, arte-educação, entre outros, foram conceitos
nucleares do estudo. O artigo argumenta que os saberes artísticos experiencias se (re)elaboram por meio de processos mobilizadores interiores e/
ou exteriores, individuais ou coletivos, fomentados ao longo da experiência de vida. Com a investigação realizada, a arte passou a ocupar um lugar especial
na vida de estudantes e docente, potencializando movimentos de cria-ção artística, de desconstrução e (re)construção de concepções sobre a arte
nessa modalidade de educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dileide Matos do Nascimento, Universidade de Lisboa-Portugal

Doutoranda em Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa-Portugal (IE ULisboa),
na especialidade de Formação de Adultos. Mestra em Ensino pelo Programa de Pós Graduação em Ensino
(PPGEn) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), na Linha de Pesquisa Ensino, Sociedade
e Cultura (2018). Grupo Colabor(Ação): estudos e pesquisas em educação de pessoas jovens, adultas e
idosas do DFCH/UESB.

José Jackson Reis dos Santos, UESB

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com estágio doutoral na
Universidade de Lisboa (ULisboa), Portugal. Professor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
(UESB), vinculado ao Departamento de Filosofia e Ciências Humanas (DFCH) e ao Programa de Pós-graduação
em Ensino (PPGEn-UESB). Coordenador do Grupo Colabor(Ação): estudos e pesquisas em educação
de pessoas jovens, adultas e idosas do DFCH/UESB.

Carmen Cavaco, Universidade de Lisboa

Doutora em Ciências da Educação, na especialidade de Formação de Adultos pela Faculdade de Psicologia
e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Professora Auxiliar do Instituto de Educação da
Universidade de Lisboa e investigadora da Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Educação Formação.Áreas de investigação: formação de adultos, formação experiencial, reconhecimento e validação
de adquiridos experienciais, políticas públicas de educação de adultos, investigação biográfica.

Referências

ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. Tradução: IvonneTerezinha Faria. São Paulo: Pioneira. Tomson Learning, 2005.
ARROYO, Miguel G. Passageiros da noite - do trabalho para EJA: itinerários pelo direito a uma vida justa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.
BARBIER, René. A pesquisa-ação. Tradução de Lucie Didio. Plano. Brasília: Série Pesquisa em Educação, v.3, 2002.
BARBOSA, Ana Mae. Tópicos utópicos. Belo Horizonte: C/Arte, 1998, 2a Reimpressão, 2007.
BRASIL. LEI Nº 13.415, de 16 de Fevereiro de 2017- Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e dispõe que o ensino da arte, especialmente em suas expressões regionais, constituirá componente curricular obrigatório da educação básica. Disponível em: Acesso em: 05 jul. 2021.
____. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Nº 9394/96, de 20 de Dezembro de 1996- estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Disponível em Acesso em: 13 jul. 2021.
CARPI, Lúcia Garcia de. História del arte: las vanguardias del siglo xx. Madri: S.A.E.P.A. Ediclube, 1992.
CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013.
DELORY-MOMBERGER, Christine. São Paulo:Educação e Pesquisa, v.32, n.2, p. 359-371, maio/ago., 2006.
____. Biografia e educação: figuras do indivíduo -projeto. 2. ed., Natal: Edufrn, 2014.
DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo: Panda Educação, 1994.
DESGAGNÉ, Serge. Université Laval | Québec | Canadá. Tradução Adir Luiz Ferreira Margarete Vale Sousa. Universidade Federal do Rio Grande
do Norte. O conceito de pesquisa colaborativa: a idéia de uma aproximação entre pesquisadores universitários e professores práticos. Revista
Educação em Questão. Natal: v. 29, n. 15, p. 7-35, maio/ago. 2007.
EDWARDS, Betty. Desenhando com o artista interior. Tradução de Maria Cristina Guimarães Cupertino. São Paulo: Claridade, 2002.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra. 1996.
____. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.
____. Ação cultural para a liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 2010.
HADDAD, Sergio; DI PIERRO, Maria Clara. Escolarização de Jovens e Adultos. Revista Brasileira de Educação. Maio/Jun./Jul./Ago., p.
108-194, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/YK8DJk85m4BrKJqzHTGm8zD/?format=pdf. Acesso em: 05 jul. 2021.
IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líder Livro, 2008.
JANSON, Horst Waldemar. JANSON, Anthony F. Iniciação a história da arte. Tradução: Jefferson Luiz Camargo- 3. ed. São Paulo: Editora
WMF Martins Fontes, 2009.
JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Tradução de José Cláudio e Júlia Ferreira; adaptação à edição brasileira Maria Viana.
São Paulo: Cortez, 2004.
LENGRAND, Paul. Introdução à educação permanente. Lisboa: Livros Horizonte Ltda, 1971.
NASCIMENTO, Dileide Matos do. Processos artísticos experienciais mobilizados por estudantes da EPJAI em ateliês de pesquisa-formação:
origens e características. Orientador: José Jackson Reis dos Santos. 2018. 173f. il. Dissertação (Mestrado em Ensino) - Programa de Pós Graduação em Ensino – PPGEd- Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, 25 de Outubro de 2018. Vitória da Conquista. Bahia, 2018.
OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. Petrópolis: Vozes, 1987.
____, Fayga. Universos da arte. 24 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.
SANTOS, José Jackson Reis dos. Saberes necessários à docência na educação de jovens e adultos. Orientadora: Márcia Maria Gurgel Ribeiro e Orientadora Associada: Maria Manuela Franco Esteves. 2011. Tese (Doutorado em Educação). Centro de Educação. Programa de pósgraduação em Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.
SANTOS, José Jackson Reis dos; NASCIMENTO, Dileide Matos do; MORAIS, Paula Varlanes Brito. CONSTRUÇÃO DE DADOS PARA A PESQUISA EM EDUCAÇÃO: uma proposta baseada em Paulo Freire. In Encontro Internacional de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos, IV, 2017, Salvador. Anais. Salvador: UNEB- MPEJA, 2017. P. 01-03.
SCHUTZ, Alfred. Sobre fenomenologia e relações sociais. Tradução de Raquel Weiss. Petrópolis: Vozes, 2012.
Publicado
2021-09-17
Métricas
  • Visualizações do Artigo 66
  • pdf downloads: 85