ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DURANTE O ENSINO REMOTO NA APAE DE JACOBINA – BAHIA: POSSÍVEIS CAMINHOS PARA APRENDIZAGEM DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Palavras-chave: Educação Inclusiva; Práticas Pedagógicas; Ensino Remoto.

Resumo

Este artigo visa discutir sobre o trabalho desenvolvido com um grupo de alunos com deficiência intelectual, matriculados no Centro de Atendimento Educacional Especializado – CAEE/APAE de Jacobina Bahia. Neste trabalho são discutidos conceitos de Atendimento Educacional Especializado, educação remota e deficiência intelectual, destacando as experiências e práticas pedagógicas desenvolvidas no CAEE/APAE, durante o ensino remoto. O estudo contém relatos sobre a importância de uma prática pedagógica que contemple a diversidade e as diferenças, refletindo como os alunos com deficiência intelectual estão sendo assistidos e inclusos durante o ensino remoto, pois devido as suas limitações os impactos para a pessoa com deficiência são ainda maiores, assim destacamos a importância da garantia ao acesso à educação para esses alunos. Nas conclusões, aponta-se a importância do uso dos recursos tecnológicos para a aprendizagem da pessoa com deficiência intelectual, contextualizando a educação inclusiva e as relações com o uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação como potencializadores de aprendizagem.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maiara Oliveira Santos Ferreira, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Graduada em Letras Vernáculas pela Universidade do Estado da Bahia, graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências Educacionais Capim Grosso (FCG), pós graduada em Psicopedagogia Institucional, Clínica e Educação Especial. Mestranda em Educação e Diversidade (UNEB) Participante do grupo de pesquisa Cultura Visual Culti-vi. Pedagoga do Centro de Atendimento Educacional Especializado - CAEE/APAE em Jacobina- Bahia. 

Referências

BATISTA, C. A. M. MANTOAN, M. T. E. Atendimento Educacional Especializado em Deficiência Mental. In: GOMES, A. L. L. et al, Deficiência Mental. São Paulo: MEC/SEESP, 2007.

BRASIL, 2015, Lei nº 13.146, de 6 de jul. de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/ L13146.htm; acesso em: 01 Nov 2021.

BRASIL. CNE. CEB. Resolução n. 4, de 2 de outubro de 2009, que institui diretrizes operacionais para o atendimento educacional especializado na educação básica, modalidade educação especial. Brasília: 2009.

BRASIL. Lei 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão das Pessoas com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União. 2015; 7 jul.

BRASIL. MEC/SEESP. Presidência da República. Decreto nº 6.571, de 17 de março de 2008. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art.60 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto n. 6.253, de 13 de novembro de 2007. Diário Oficial da União, Brasília, nº188, 18 de setembro de 2008.

BRASIL. MEC/SEESP. Presidência da República. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília: 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Decreto Nº 5.296, de 02 de dezembro de 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004- 2006/2004/decreto/d5296.htm. Acesso em: 06 nov. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

CUPANI, A. Filosofia da tecnologia: um convite. 3. ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2011.

GALVÃO FILHO. T. A.; MIRANDA, T. G. Tecnologia Assistiva e salas de recursos. In: MIRANDA, T. G.; GALVÃO FILHO, T. A. (Org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012.

GARCIA, R. P.; TENÓRIO, R. M. O isso e as potencialidades do feedback processual na avaliação de aprendizagem. In: TENÓRIO, R. M.; FERREIRA, R. A.; LOPES, U. de M. Avaliação e resiliência: diagnosticar, negociar e melhorar. Salvador: EDUFBA, 2012.

GLAT, Rosana; VIANNA, Márcia Marin; REDIG, Annie Gomes. Plano educacional individualizado: uma estratégia a ser construída no processo de formação docente. Revista Universidade Rural, Série Ciências Humanas, v. 34, p. 79-100, 2012. Disponível em: Acesso em: 01 nov. 2021.

GROSSI, M. G. R. Usar tecnologias digitais nas aulas remotas durante a pandemia da COVID-19? Sim, mas quais e como usar?. Olhar de Professor, v. 24, p. 1-12, 12 jun. 2021.

JASKIW, E. F. B., & LOPES, C. V. G. (2021). A pandemia, as TDIC e ensino remoto na educação básica: desafios para as mulheres que são mães e professoras. SCIAS - Educação, Comunicação E Tecnologia, 2(2), 231–250. Disponível em: https://doi.org/10.36704 /sciaseducomtec. v2i2.5033.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologia: O novo ritmo da informação. 8 ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

MENDES, G. M. L.; SILVA, F. C. T.; PLETSCH, M.D. Atendimento Educacional Especializado: por entre políticas, práticas e currículo – um espaço tempo de inclusão?, Revista Contrapontos - Eletrônica, Vol. 11 - n. 3 - p. 255-265 / set-dez 2011 255.

MENDES. E. G.; MALHEIRO, C. A. L. Salas de recursos multifuncionais: é possível um serviço “tamanho único” de atendimento educacional especializado? In: MIRANDA, T. G.; GALVÃO FILHO, T. A. (Org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012.

MORAN JOSÉ. Educação híbrida um conceito- chave para a educação, hoje. In: Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação/organizadores, Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto, Fernando de Mello Trevisani. Porto Alegre: Penso, 2015.

PIMENTEL, S. C. Formação de professores para a inclusão: saberes necessários. In: MIRANDA, T. G.; GALVÃO FILHO, T. A. (Org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012.

PRETTO, Nelson; BONILLA, Maria Helena; SENA, Ivânia. Educação em tempos de pandemia: reflexões sobre as implicações do isolamento físico imposto pela COVID-19. Salvador: Edição do Autor, 2020.

SANTOS, E.; MARTINS, V. CIBERVÍDEOS E MULTILETRAMENTOS NA EDUCAÇAO ONLINE. Revista Observatório , v. 4, n. 5, p. 231-262, 1 ago. 2018.

SANTOS, Thaís Nascimento Santana. É desafio que se fala?: estágio, tecnologias e aula de língua portuguesa. Salvador, 2018.

WERNER, Hilda Maria Leite. O processo da construção do número, o lúdico e TICs como recursos metodológicos para criança com deficiência intelectual. Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE. Paranaguá – Paraná, 2008. Disponível em: < http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2443-6.pdf>. Acesso em: 15 jan. 2020.

Publicado
2022-01-21
Métricas
  • Visualizações do Artigo 241
  • Pdf downloads: 105
Como Citar
Oliveira Santos Ferreira, M. (2022). ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DURANTE O ENSINO REMOTO NA APAE DE JACOBINA – BAHIA: POSSÍVEIS CAMINHOS PARA APRENDIZAGEM DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL. Diálogos E Diversidade, 2, e13129. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/rdd/article/view/13129
Seção
Artigos de fluxo contínuo