Educação de Jovens e Adultos em contexto de privação de liberdade: análise de narrativas de um sujeito-educando

  • Cleia Pantoja Andrade Universidade Federal do Amapá
  • Alder de Sousa Dias UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ http://orcid.org/0000-0003-0996-0000
  • Eliane Leal Vasquez UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ
  • Waldir Ferreira Abreu UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
Palavras-chave: EJA, Privação de liberdade, Pesquisa (Auto)Biográfica, Narrativas, Sujeito-educando,

Resumo

O artigo analisa narrativas de um sujeito-educando da modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) de uma escola prisional. Resulta de uma pesquisa qualitativa do tipo (auto)biográfica. Aponta-se a carência afetiva familiar, relações desumanas na educação e o convívio com duas lógicas opostas dentro do cárcere: a da escola e a dos operadores do sistema penitenciário. Sobre a vida pós-cárcere, o sujeito-educando vislumbra reconstruir sua vida e vê na educação escolar um dos meios para esse fim. Conclui-se afirmando que a educação em espaço de privação de liberdade deve considerar a materialidade dos seus sujeitos-educandos nos princípios educacionais e nas estratégias metodológicas, tendo em vista a humanização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleia Pantoja Andrade, Universidade Federal do Amapá
Especialista em Educação pela UNIFAP. Professora de História da Escola Estadual Prisional São José. Licenciada em História pela UNIFAP. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Educação, Trabalho e Formação Humana (GEFOR/UNIFAP).
Alder de Sousa Dias, UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ

Professor Assistente do Curso de Licenciatura em Educação da Campo da UNIFAP. Doutorando em Educação pela UFPA. Coordenador da Cátedra Paulo Freire da Amazônia, no Amapá. Pesquisador vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação, Infância e Filosofia (GEPEIF/UFPA/CNPq), do Grupo de Pesquisa Amazônia Sustentável/UNIFAP/CNPq e Grupo de Estudos, Pesquisas e Práticas em Educação na Amazônia Amapaense (GEPEA/UEAP/CNPq).

Fonte: http://lattes.cnpq.br/9065211816414800

Eliane Leal Vasquez, UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ
Professora Adjunta do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas da UNIFAP. Doutora e mestra em História da Ciência pela PUC-SP. É líder do Núcleo de Pesquisa História da Ciência e Ensino (NUPHCE). E-mail: elianevasquez@gmail.com 
Waldir Ferreira Abreu, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
Pequisador do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pará. Líder do Grupo de Pesquisa "Educação, Infância e Filosofia". E-mail: awaldir@ufpa.br

Referências

ABREU, Almiro Alves de. Educação entre grades: um estudo sobre a educação penitenciária no Amapá. 2008. 130 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2008.

AMAPÁ. Plano Estadual Para o Sistema Penitenciário Amapaense. Macapá: Secretaria de Educação do Estado do Amapá; Secretaria de Segurança Pública, 2017.

______. Resolução nº 57 de dezembro de 2015. Fixa normas para a oferta da Educação de Jovens e Adultos em ambientes de privação de liberdade. Macapá: Conselho Estadual de Educação, 2015.

ARROYO, Miguel. Educação de Jovens e Adultos. Um campo de direitos de responsabilidade pública. In: SOARES, Leôncio; GIOVANETTI, Maria Amélia; GOMES, Nilma Lima. (Orgs.). Diálogos na Educação de Jovens e Adultos. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 19-50.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BERTAUX, Daniel. Narrativas de vida: a pesquisa e os seus métodos. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza; MAURÍCIO, Lúcia Velloso. Histórias de vida e práticas de formação. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; SOUZA, Elizeu Clementino de. (Orgs.). (Auto)Biografia: formação, territórios e saberes. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. p. 253-271.

BRASIL. Lei de Execução Penal. Lei nº 7.210, de 11 de julho de 1984. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L7210.htm>. Acesso em: 13 abr. 2018.

_______. Pacto Internacional Sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais. Decreto nº 591, de 06 de julho de 1992. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/d0591.htm>. Acesso em: 13 abr. 2018.

_______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394/1996. Disponível em: <http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2018.

_______. Plano Nacional de Educação. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/L10172.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2018.

_______. Resolução nº 2 de maio de 2010. Diário Oficial da União. Seção 1, p. 2, 20. Brasília, DF: 2010.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008.

DIAS, Alder de Sousa. Educação de pessoas jovens, adultas e idosas: reflexões e apontamentos conceituais na perspectiva da libertação. In: BRITO, Ângela do Céu Ubaiara; DIAS, Alder de Sousa. (Orgs.). Educação e diversidade na Amazônia: práticas, reflexões e pesquisas. Curitiba: CRV, 2017. p. 243-272.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 40. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Analfabetismo no Brasil. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. 23. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GADOTTI, Moacir; ROMÃO, José Eustáquio. (Orgs.). Educação de jovens e adultos: teoria, prática e proposta. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974.

HADDAD, Sérgio. Por uma nova cultura de Educação de Jovens e Adultos: um balanço de experiência do poder local. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 30., 2007, Caxambú. Anais... Caxambu, MG: ANPEd, 2007. p. 1-30.

MAEYER, Marc de. Aprender e desaprender. In: UNESCO. Educando para liberdade: trajetória, debates e proposições de um projeto para a educação nas prisões brasileiras. Brasília, DF: UNESCO, 2006. p. 43-47.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e de aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, v. 1, n. 12, p. 59-73, set./out./nov./dez. 1999. Disponível em: <http://anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE12/RBDE12_06_MARTA_KOHL_DE_OLIVEIRA.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2018.

ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano et al. Educação escolar entre as grades. São Carlos: Edufscar, 2007.

ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. Educação escolar na prisão: controvérsias e caminhos de enfrentamento e superação da cilada. In: LOURENÇO, Arlindo da Silva; ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. (Orgs). O espaço da prisão e suas práticas educativas: enfoques e perspectivas contemporâneas. São Carlos: Edufscar, 2011. p. 267-285.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris: ONU, 1948. Disponível em: <https://www.ohchr.org/EN/UDHR/Documents/UDHR_Translations/por.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2018.

UNESCO. Regras mínimas para o tratamento de reclusos. Primeiro Congresso das Nações Unidas Sobre a Prevenção do Crime e Tratamento do Delinquente. UNESCO, 1955. Disponível em: <http://pfdc.pgr.mpf.mp.br/atuacao-e-conteudos-de-apoio/legislacao/sistema-prisional/regras_minimas.pdf>. Acesso em: 29 dez. 2016.

______. Educando para a liberdade: trajetórias debates e proposições de um projeto para a educação nas prisões brasileiras. Brasília, DF: UNESCO, 2006.

VASQUEZ, Eliane Leal. Sociedade cativa. Entre cultura escolar e cultura prisional: uma incursão pela ciência penitenciária. 2008. 163 f. Dissertação (Mestrado em História da Ciência) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2008.

VIANA, Selma da Silva. Educação de Jovens e Adultos em ambiente prisional: narrativas educacionais de vidas encarceradas. 2015. 88 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Pedagogia) – Universidade do Estado do Amapá, Macapá, 2015.

Publicado
2019-04-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 846
  • PDF downloads: 664
Como Citar
ANDRADE, C. P.; DIAS, A. DE S.; VASQUEZ, E. L.; ABREU, W. F. Educação de Jovens e Adultos em contexto de privação de liberdade: análise de narrativas de um sujeito-educando. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 4, n. 10, p. 378-393, 19 abr. 2019.