Abordagem biográfica: a dimensão da vida presente nos enunciados de pesquisa em educação

Autores

  • Ruslane Marcelino de Mello Campos Novais Universidade Federal do Espírito Santo
  • Valdete Côco Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2018.v3.n8.p517-531

Palavras-chave:

Pesquisa biográfica, Pesquisa narrativa, Formação continuada, Educação Infantil.

Resumo

O presente artigo desenvolve reflexões sobre aspectos teórico-metodológicos da abordagem biográfica na educação, apresentando o delineamento metodológico elaborado para uma pesquisa narrativa no campo da formação continuada, que se desenvolve no contexto da educação infantil. O intuito deste estudo é refletir acerca dos enunciados que evidenciam os modos como os sujeitos atribuem sentidos à articulação entre vida e formação, em suas narrativas, identificando as marcas da dimensão biográfica imbricadas à dimensão formativa. Como resultados, evidencia-se explicitamente a articulação entre o eu pessoal e o profissional, reivindicando oportunidades para o diálogo sobre a formação continuada e a sua atuação docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ruslane Marcelino de Mello Campos Novais, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestranda em Educação pela UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Possui graduação em PEDAGOGIA pela FACULDADE DE FILOSOFIA CIÊNCIAS E LETRAS DE COLATINA (1998) e graduação em ARTES VISUAIS pela UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Tem experiência como professora em turmas de Educação Infantil e Alfabetização e na FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES. Atua como professora do curso de Pedagogia e em alguns cursos de Pós Graduação na FACULDADE CASTELO BRANCO. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em FORMAÇÃO DE PROFESSORES E EDUCAÇÃO INFANTIL.

Valdete Côco, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Espírito Santo (1989), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2000) e doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2006). Atualmente é professora no Departamento de Linguagens Cultura e Educação (DLCE) e no Programa de Pós-Graduação, do Centro de Educação, da Universidade Federal do Espírito Santo. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Formação e Atuação de Educadores (GRUFAE). Tutora do Programa de Educação Tutorial (PET): Projeto Educação (2010 - 2016). Coordenadora do GT07: Educação de crianças de 0 a 6 anos, da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd) (2016-2019). Tem experiência na área de Educação atuando principalmente nos seguintes temas: Formação de Professores, Linguagens e Educação Infantil.

Referências

AMORIM, M. O pesquisador e seu outro: Bakhtin nas ciências humanas. São Paulo: Musa Editora, 2004.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: HUCITEC, 2006.

BAKHTIN, Mikhail Mikailovich. Para uma filosofia do ato responsável. Tradução de Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. 2. ed. São Carlos: Pedro e João Editores, 2010.

BOSI, Ecléia. Memória e sociedade: lembrança de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

CÔCO, Valdete. A configuração do trabalho docente na educação Infantil. UFES/Brasil. 2010. Disponível em: <http://www.anpae.org.br/iberolusobrasileiro2010/cdrom/118>. Acesso em: 15 set. 2016.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. História oral: memória, tempo, identidades. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica ou a construção compartilhada de um saber do singular. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador, v. 1, n. 1, p. 133-147, jan./abr. 2016. Disponível em: <https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/2526/1711>. Acesso em: 20 dez. 2017.

FERRAROTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, António; FINGER, Mathias. (Orgs.). O método (auto) biográfico e a formação. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010. p. 31-57.

FREITAS, Maria Teresa de Assunção. A abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, n. 16, p. 20-39, 2002.

JOSSO, Marie-Christine. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Educação, Porto Alegre, ano XXX, n. 3 (63), p. 413-438, set./dez. 2007. Disponível em: <https://wp.ufpel.edu.br/gepiem/files/2008/09/a_tranfor2.pdf>. Acesso em: 02 mar. 2017.

LINHARES, Célia. Pesquisas Educacionais podem romper com profecias de nascimento? Memórias e projetos do magistério no Brasil. In: TRINDADE, Vítor; FAZENDA, Ivani; LINHARES, Célia. (Orgs.). Os lugares dos sujeitos na pesquisa educacional. 2. ed. Campo Grande: Ed. UFMS, 2001. p. 22-43.

LINHARES, Célia. Cotidiano e formação de professores. Brasília, DF: EDUA, 2011.

MOURA, Adriana Ferro; LIMA, Maria Glória. A reinvenção da roda: roda de conversa: um instrumento metodológico possível. Revista Temas em Educação, João Pessoa, UFPB, v. 23, n. 1, p. 98-106, jan./jun., 2014. Disponível em: <http://www.okara.ufpb.br/ojs/index.php/rteo/article/viewFile/18338/11399>. Acessado em: 02 mar. 2017.

NÓVOA, António. Os professores e a sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

NÓVOA, António. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: EDUCA, 2002.

SOUZA, Elizeu Clementino de. A arte de contar e trocar experiências: reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, UFRN, v. 25, n. 11, p. 22-39, jan./abr. 2006. Disponível em: <http://revistaeduquestao.educ.ufrn.br/pdfs/v25n11.pdf>. Acesso em: 06 jun. 2017.

SOUZA, Elizeu Clementino de. (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In: NASCIMENTO, Antônio Dias; HETKOWSKI, Tânia Maria. (Orgs.). Memória e formação de professores [online]. Salvador: EDUFBA, 2007. Disponível em: <http://books.scielo.org>. Acesso em: 10 jun. 2017.

Downloads

Publicado

2018-09-14

Como Citar

NOVAIS, R. M. de M. C.; CÔCO, V. Abordagem biográfica: a dimensão da vida presente nos enunciados de pesquisa em educação. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 3, n. 8, p. 517–531, 2018. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2018.v3.n8.p517-531. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/4352. Acesso em: 24 abr. 2024.