Husserl e a fenomenologia nos estudos (auto)biográficos de Sartre

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1143

Palavras-chave:

Fenomenologia, Edmund Husserl, Jean-Paul Sartre, Personalidade, Pesquisa (auto)biográfica

Resumo

Neste artigo, analisamos a apropriação que Sartre faz da fenomenologia de Husserl em seus primeiros estudos. Isso que lhe permite chegar à sua tese principal, que articula sua obra de ponta a ponta: “a transcendência do Ego”. Essa teoria do Ego assume como pressuposto a “intencionalidade da consciência”, noção desenvolvida por Edmund Husserl (1859-1938) inspirado em seu mestre Franz Bretano (1838-1917). Sartre constata, após revisar Husserl, que este acabou por esquecer a realidade exterior ao tudo colocar entre parênteses quando de suas reduções fenomenológicas, restando a constatação apodítica ou verdade autoevidente, isenta de dúvidas, a exemplo de Descartes. Esses pressupostos filosóficos permitem a Sartre erigir uma ontologia combativa aos subjetivismos ou objetivismos, idealismos ou realismos de sua época, sem diluir a objetividade na subjetividade ou a subjetividade na objetividade. Além disso, estabelece a sua base epistemológica para a antropologia e a psicologia, como também para pesquisa (auto)biográfica dedicada aos estudos sócio-históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Pinto, Universidade Federal de Pelotas

Doutor em Ciências da Educação, pela Universidade Paris 8 – Saint Denis. Pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Professor da UFPel. Membro do grupo de Estudos Biográficos Sartreano/Núcleo de Estudos e Pesquisa Educação e Sociedade Contemporânea. 

Lara Fuck, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre e Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Psicóloga e psicoterapeuta do consultório Relações. Integrante do Núcleo Castor – estudos e atividades em existencialismo (NUCA) e do Grupo de Estudos Biográficos Sartreano/Núcleo de Estudos e Pesquisa Educação e Sociedade Contemporânea.

Ana Cláudia Wendt Santos, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC/2022). Psicóloga e psicoterapeuta do consultório Superações. Integrante do Núcleo Castor – estudos e atividades em existencialismo (NUCA) e do Grupo de Estudos Biográficos.  Sartreano/Núcleo de Estudos e Pesquisa Educação e Sociedade Contemporânea.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. A força da idade. Tradução Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BERTOLINO, Pedro. (org.). A Personalidade. Cadernos de formação. Florianópolis: Nuca Edições Independentes, 1996.

CONTAT, Michel e RIBALKA, Michel. Les Écrits de Sartre: Chronologie, Bibliographie commentée. Paris: Gallimard, 1970.

DEPRAZ, Natalie. Compreender Husserl. Tradução Fábio dos Santos. Petrópolis: Editora Vozes, 2007.

FRAGATA, Julio. A Fenomenologia de Husserl - como fundamento da filosofia. Braga: Livraria Cruz, 1959.

FUJIWARA, Gustavo. Sartre fenomenólogo: a radicalização da intencionalidade na Transcendence de L’Ego. Sapere Aude, Belo Horizonte, PUC/MG, volume 5, número 10, p. 84-100, 2o sem. 2014. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/SapereAude/article/view/7260/pdf. Acesso: 10 abr. 2022.

HUSSERL, Edmund. A Filosofia como ciência de rigor, Coimbra: Atlântida, 1965.

HUSSERL, Edmund. Meditações cartesianas. Porto: Rés.

HUSSERL, Edmund. A idéia da Fenomenologia. Tradução Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1986.

HUSSERL, Edmund. Conferências de Paris. Lisboa: Edições 70, 1992.

HUSSERL, Edmund. Investigações lógicas: 6ª. Investigação. Trad. Zeljko Loparic e Andréa M. A. C. Loparic. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

HUSSERL, Edmund. A crise das ciências européias e a Fenomenologia transcendental: uma introdução à filosofia fenomenológica. Tradução Diogo Falcão Ferrer. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

NOUDELMANN, François et Philippe, Giles. (Dir.) Dictionnaire Sartre. Paris: Honoré Champion, 2004.

RODRIGUES, Adriano Carvalho Tupinambá. Karl Jaspers e a abordagem fenomenológica em psicopatologia. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., v. VIII, n. 4, p. 754-768, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rlpf/a/xwYw4QxWhhxHSDQjjyhMyQB/?format=pdf&lang=pt. Acesso: 10 abr. 2022.

SARTRE, Jean-Paul. Une idée fondamentale de la phénoménologie de husserl: l’intentionnalité. La Nouvelle Revue Française, n. 304, p.129-131 janvier 1939, [N.T].

SARTRE, Jean-Paul. Critique de la Raison Dialectique (précédé de Question de Méthode). Paris: Gallimard, 1960.

SARTRE, Jean-Paul. A transcendência do Ego. Tradução Pedro Alves. Lisboa: Edições Colibri, 1994.

SARTRE, Jean-Paul. O ser o nada. Tradução Paulo Perdigão. Petrópolis: Vozes, 1997.

SARTRE, Jean-Paul. Situações I. Tradução Cristina Prado. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

SARTRE, Jean-Paul. O que é a Subjetividade? Tradução Estela dos Santos Abreu. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 2015.

WORMS, Frédéric. La philosophie em France au XX℮ siècle. Moments. Paris: Gallimard, 2009.

Downloads

Publicado

2023-12-27

Como Citar

PINTO, F.; FUCK, L.; SANTOS, A. C. W. Husserl e a fenomenologia nos estudos (auto)biográficos de Sartre. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1143, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1143. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/17064. Acesso em: 13 abr. 2024.