A concepção e o fim de uma escola inovadora

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1125

Palavras-chave:

Escolas inovadoras, Inovação educacional, Projeto Âncora

Resumo

A construção deste ensaio se apoia no discurso de diversos agentes escolares e na utilização de documentos institucionais para narrar a origem, o desenvolvimento e o fim da Escola Projeto Âncora. Apresento os bastidores, esforços e percalços para a criação de uma escola com práticas educacionais inovadoras que, após enfrentar sérios problemas financeiros, chegou ao fim no ano de 2020. Por fim, reflito sobre os obstáculos que uma instituição escolar pode enfrentar em seus intentos de inovação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Gomes de Oliveira Tavares, Universidade de São Paulo

Doutorando em Sociologia da Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Participa do grupo de pesquisa do Centro Universitário de Investigações em Inovação, Reforma e Mudança Educacional (Ceunir). Bolsista pesquisador da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Pesquisador-articulador do programa global Escolas 2030

Referências

CÂNDIDO, Antônio. A estrutura da escola. In: PEREIRA, Luiz; FORACCHI, Marialice Mercani (Org.). Educação e sociedade: leituras de sociologia da educação. São Paulo: Nacional, 1964. p. 107-128.

CARBONELL, Jaime. A aventura de inovar: a mudança na escola. Porto Alegre: Artmed, 2002.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora S.A, 1989.

GHANEM, Elie George Guimarães. A educação na mudança social: lugar central, lugar secundário e lugar nenhum. Educar em Revista, Curitiba, v. 28, n. 45, p. 213-229, jul./set. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/d8p9KPphXtVQMsvNbJMgvJh/abstract/?lang=pt Acesso em: 25 abr, 2019

GHANEM, Elie George Guimarães. Inovação em escolas públicas de nível básico: o caso Redes da Maré (Rio de Janeiro, RJ). Educação e Sociedade, Campinas, v. 34, n. 123, p. 425-440, jun. 2013a. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/Kcj5ZJSL4hYjNyb4B9sQxpj/abstract/?lang=pt. Acesso em: 25 abr. 2019.

GHANEM, Elie George Guimarães. Inovação em educação ambiental na cidade e na floresta: o caso Oela. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 150, p. 1004-1025, dez. 2013b. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/WYzFLZnDsbJZBQfmrVGp9qD/abstract/?lang=pt;. Acesso em: 26 abr. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IDH. 2019. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/. Acesso em: 24 abr. 2019.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas. Censo escolar. 2019. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/censo-escolar. Acesso em: 24 abr. 2019.

PROJETO ÂNCORA. Carta mensal junho. Cotia, 2003.

PROJETO ÂNCORA. Carta mensal abril. Cotia, 2013.

TAVARES, Fernando Gomes de Oliveira. Práticas educacionais inovadoras e costumeiras: fatores de diferenciação. 2020. 141 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

THURLER, Monica Gather. Inovar no interior da escola. Porto Alegre: Artmed, 2001.

Downloads

Publicado

2023-07-31

Como Citar

TAVARES, F. G. de O. A concepção e o fim de uma escola inovadora. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1125, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1125. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/13628. Acesso em: 24 abr. 2024.