O nome impede a morte: trajetórias de vidas de meninos desvalidos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n19.p1021-1034

Palavras-chave:

Asilo de meninos desvalidos, Ensino Profissional, Trajetórias de vida

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar, no contexto do século XIX, os debates acerca da proteção à criança desvalidas do sexo masculino, a concepção pedagógica de ensino primário profissional do Asilo de Meninos Desvalidos (1875-1894) e as trajetórias de vida de meninos internos daquela instituição asilar/escolar. Neste estudo foram mobilizadas diferentes fontes documentais, dentre elas, 713 pastas individuais dos alunos internos. O aporte teórico - metodológico advém dos estudos sobre biografias desenvolvidos por Pierre Bourdieu (2002) e do campo da História da Educação. O exame das trajetórias de vidas demonstrou que aqueles sujeitos históricos construíram a realidade social, inseridos numa rede de interdependência, para mudá-la ou preservá-la.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Zélia Maia de Souza, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora adjunta 2 da Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Membro do Grupo de Pesquisa GEPHES: Estudos e Pesquisa em História da Educação e Sociedade. 

Referências

ARRIADA, Eduardo & TAMBARA, Elomar (org.) Coletânea de leis sobre o ensino primário e secundário no período imperial: Lei de 1827; Reforma Couto Ferraz – 1854; Reforma Leôncio de Carvalho – 1879. Pelotas: Seiva, 2005.

BARBOSA, Rui. Reforma do ensino primário e várias instituições complementares da Instrução Pública. Volume X. Tomos III e IV. Fundação Casa de Rui Barbosa. Rio de Janeiro, 1982. Edição comemorativa do 1º centenário dos Pareceres apresentados na Câmara do Império em 1882.

BRAGA, José Theodoro de Medeiros. Subsídios para a memória histórica do Instituto

Profissional João Alfredo – desde a sua fundação até o presente (1875 – 14 de março de 1925). Rio de Janeiro: Santa Cruz, 1925.

BOURDIEU, Pierre (org.). A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. Usos & abusos da história oral. 6 ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006. p. 183-192.

CARRILLO, Maurício & PAES, Anna. (Orgs.). Cadernos de choro – Princípios do choro, vol. 5. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2003.

CAVALIERE, Ana Maria Villela. Educação integral: uma nova identidade para a escola brasileira? Educação e Sociedade. Campinas, v. 23, n. 81, p. 247-270, 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/. Acesso em: 20 jan. 2021.

FOUCAULT, Michel. O poder psiquiátrico. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

LEVI, Giovani. Usos da biografia. In: AMADO, Janaina & FERREIRA, Marieta de Moraes (org.). Usos & abusos da história oral. Rio de Janeiro. 6ª ed. Editora Fundação Getúlio Vargas, 2005. p. 167-182.

MARQUES, Jucinato de Sequeira. Os desvalidos: o caso do Instituto Profissional Masculino (1894-1910) – uma contribuição à história das instituições educacionais na cidade do Rio de Janeiro. 169 p. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação. Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, 1996.

LOURENÇO FILHO, Manoel Bergstrom. A pedagogia de Rui Barbosa. Ruy Lourenço Filho (Org.). 4ª ed., rev. e ampl. Brasília – DF Inep/MEC, 2001.MARm

RELATÓRIOS MINISTERIAIS. Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/hartness/imperio.html>. Acesso em: 10 jan. 2021.

RICCIARDI, Rubens. Francisco Braga. Disponível em: http://www.movimento.com/mostraconteudo.asp?mostra=3&codigo=1278. Acesso em: 20 dez. 2020.

RUBENS, Carlos. Vida e glória de Baptista da Costa. Rio de Janeiro: Edição da Sociedade Brasileira de Belas Artes, 1947.

RIZZINI, Irma. O cidadão polido e o selvagem bruto: a educação dos meninos desvalidos na Amazônia Imperial. 453 p. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em História Social. Instituto de Filosofia e Ciências Sociais. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, 2004.

SCHUELER, Alessandra Frota Martinez de. Educar e instruir: A Instrução Pública na Corte Imperial (1870 – 1889). 162 p. Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal Fluminense – UFF, Niterói, RJ, 1998.

SOUZA, Rosa Fátima de. Inovação educacional no século XIX: A construção do currículo da escola primária no Brasil. Caderno CEDES. 2000 vol. 20, n.º 51, p. 9-28. Disponível em: http://www.scielo.br/. Acesso em: 30 jan. 2021.

SOUZA, Maria Zélia Maia de. Educar, trabalhar e civilizar no Asilo de Meninos Desvalidos (1875-1894): caminhos possíveis. Dissertação (Mestrado em Educação). 114 p. Programa de Pós -Graduação em Educação. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Unirio, Rio de Janeiro, 2008.

SOOMA SILVA, J. C.; MAIA DE SOUZA, M. Z. Corpos educados, perigos controlados: as contribuições da ginástica escolar para a remodelação urbana carioca. Roteiro, [S. l.], p. 237–254, 2013. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/2523. Acesso em: 15 jun. 2021.

SOUZA, Maria Zélia Maia de. Educar o jovem para ser útil a si e à sua Pátria: a assistência pela profissionalização, Rio de Janeiro (1894-1932). 228 p. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Conhecimento e Inclusão Social em Educação. Universidade Federal do Estado de Minas Gerais. UFMG, Belo Horizonte, MG, 2001.

SPENCER, Herbet. Educação intelectual, moral e física. Porto: Livraria Moderna de Alcino Aranha & Companhia, 1886. BN: II - 293,5,19.

PROEDES/UFRJ/FE - pastas dossiês – 1874-1894

PORTES, Écio Antonio. Trajetórias escolares e vida acadêmica do estudante pobre da UFMG - Um estudo a partir de cinco casos. 259 p. Tese (Doutorado Sociologia da Educação). Programa de Pós-Graduação em Conhecimento e Inclusão Social em Educação. Universidade Federal do Estado de Minas Gerais. UFMG, Belo Horizonte, MG, 2001.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

MAIA DE SOUZA, M. Z. O nome impede a morte: trajetórias de vidas de meninos desvalidos . Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 6, n. 19, p. 1021–1034, 2021. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n19.p1021-1034. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/12293. Acesso em: 29 maio. 2024.