A produção documental de Antonio Olavo: lutas e memórias do povo negro

Palavras-chave: Documentário; Antonio Olavo; Narrativas

Resumo

A contribuição do cinema documentário para a compreensão de fatos históricos e pautas contemporâneas tem se confirmado nos últimos anos com uma produção significativa de filmes, sobre temas variados. Este artigo aborda a obra do cineasta baiano Antonio Olavo, realizador de cinco filmes documentários de longa metragem, uma série para TV e diversos  curtas e médias-metragens sobre a história social e, particularmente, a memória negra no Brasil. Buscamos compreender a trajetória profissional do cineasta entrelaçada com sua história de vida, as concepções  sobre o fazer cinematográfico e as esferas de influências incorporadas em sua obra. Para isso apresentamos seus principais filmes, destacando a série documental Travessias Negras (2017) sobre trajetórias particulares de estudantes universitários cotistas, buscando referências nas narrativas que se articulam em continuidades e rupturas, evidenciando sentidos diante do padrão de discriminação racial que se faz presente na sociedade brasileira. Privilegiamos o entendimento sobre cinema e narratividades a partir de autores como Xavier (2003), Bernadet (2017), Benjamin (1994), Matos (2001), entre outros, e utilizamos entrevistas com o cineasta colocando em perspectiva suas percepções acerca das lutas históricas de resistência, sobre preconceito, racismo, políticas afirmativas e cinema negro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciene Maria Silva, UNEB

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Professora Titular da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Líder do Grupo de Pesquisa Estudos sobre inclusão e Sociedade.

Daiane Rosário, Mostra Itinerante de Cinemas Negros - Mahomed Bamba

Bacharel em Artes pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

 

Referências

ALBUQUERQUE, Wlamira Ribeiro; FRAGA FILHO, Walter. Uma história do negro no Brasil. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais; Brasília: Fundação Cultural Palmares, 2006.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BERNADET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BERNADET, Jean-Claude. Entrevista. Revista Continente. Ed. 199, s/p, julho de 2017. Disponível em: <https://revistacontinente.com.br/edicoes/199/rninguem-nunca-conseguiu-definir-o-documentarior>. Acesso em: 17 mar. 2021.

CARDEL, Lidia Maria Pires Soares. Canudos: a essência do sertão baiano. Revista Extraprensa, São Paulo, USP, v.8, n. 2, p. 36-45, 2015. https://doi.org/10.11606/extraprensa2015.85148

COSTA, Flávia Cesarino. O primeiro cinema: espetáculo, narração, domesticação. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2005.

DA-RIN, Silvio. Espelho partido: tradição e transformação do Documentário. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2004.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Ed. 34, 2006.

IANNI, Otávio. O ciclo da revolução burguesa. Petrópolis, RJ: Vozes, 1984.

JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin. Entrevista Narrativa. In: BAUER, Martin; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. p. 90-113.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MACHADO, Arlindo. Apresentação. In: COSTA, Flávia Cesarino. O primeiro cinema: espetáculo, narração, domesticação. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2005. p. 11-16.

MATOS, Olgária. A narrativa: metáfora e liberdade. História Oral, São Paulo, v. 4, p. 9-24, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.51880/ho.v4i0.32. Acesso em: 12 fev. 2021.

NÓVOA, Jorge. Apologia da relação cinema-história. O Olho da História - Revista de História Contemporânea, v. 1, n. 1. Salvador, p. 109-122, 1995.

OLAVO, Antonio. Entrevista Biográfica: Vida e Obras de Antonio Olavo. [Entrevista concedida a] Luciene Silva e Daiane Rosário. Salvador, 21 jan. 2021.

OLAVO, Antonio. A produção do vídeo Paixão e Guerra no sertão de Canudos. O olho da história - Revista de História Contemporânea, Salvador, v. 2, p. 156-164, nov. 1996.

OLAVO, Antonio. Memórias fotográficas de Canudos. Salvador (BA): Portfolium, 1989.

QUEIROZ, Delcele Mascarenhas. O Estágio Atual das Políticas Afirmativas nas Universidades Brasileiras. Revista TOMO, n. 24, p. 275-295, 2014. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/tomo/article/view/3192. Acesso em: 8 fev. 2021.

SANTOS, Jocélio Teles. Ações afirmativas e educação superior no Brasil: um balanço crítico da produção. Revista Brasileira Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 93, n. 234, [número especial], p. 401-422, maio/ago. 2012. p. 401-422. Disponível em: http://rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/rbep/article/view/3570. Acesso em: 15 fev. 2021.

TEIXEIRA, Inês Assunção de Castro; PÁDUA, Karla Cunha. Virtualidades e alcances da entrevista narrativa. Anais... II Congresso Internacional de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, Uneb, 2006.

TOULET, Emmanuelle. O cinema, invenção do século. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 1988.

XAVIER, Ismail. O olhar e a cena. Melodrama, Hollyhood, Cinema Novo, Nelson Rodrigues. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

Referências Filmográficas

Paixão e Guerra no sertão de Canudos. Direção: Antonio Olavo. Produção: Portfolium, 1993. 78’.

Quilombos da Bahia. Direção: Antonio Olavo. Produção: Portfolium Laboratório de Imagens, 2004. 98’.

Abdias do Nascimento: memórias negras. Direção: Antonio Olavo. Produção: Portfolium Laboratório de Imagens, 2008. 95’.

A cor do trabalho. Direção: Antonio Olavo. Produção: Portfolium Laboratório de Imagens, 2014. 72’.

Revolta dos Búzios. Direção: Antonio Olavo. Produção: Portfolium Laboratório de Imagens, 2018. 74’.

Travessias negras. Direção: Antonio Olavo. Produção: Portfolium Laboratório de Imagens, 2017. 5x26’.

Publicado
2021-09-06
Métricas
  • Visualizações do Artigo 69
  • pdf downloads: 56
Como Citar
SILVA, L. M.; ROSÁRIO, D. A produção documental de Antonio Olavo: lutas e memórias do povo negro. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 6, n. 18, p. 490-508, 6 set. 2021.