ASPECTOS HIDROGEOLÓGICOS DO ALTO CRISTALINO DE SALVADOR, BAHIA

Autores

  • Sérgio Augusto de Morais Nascimento
  • Johildo Salomão Figueiredo Barbosa

DOI:

https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2010.v1.n1.%25p

Palavras-chave:

Potenciometria, Hidrogeologia, Sistema aquífero de Salvador

Resumo

O estudo sobre a morfologia do embasamento cristalino da parte alta da cidade de Salvador mostrou que o mesmo não é homogêneo, visto que apresenta altitudes diferenciadas em relação ao nível do mar, com quatro blocos bem distintos, limitados por falhas como a do Iguatemi e fraturamento transversal que passa pelo vale do Terminal Rodoviário de Salvador. O bloco situado à noroeste apresenta a maior altitude, sendo responsável pelas nascentes dos maiores rios que drenam Salvador, destacando-se o Camarujipe, o Pituaçu e o Jaguaripe. Nesse bloco encontram-se os mais altos valores potenciométricos do lençol freático cujo fluxo subterrâneo segue para leste e sul em direção ao Oceano Atlântico e para norte, em direção à bacia do rio Ipitanga. Devido à sua constituição textural predominantemente areno-argilosa, a presença das coberturas regolíticas e sedimentar sobre o embasamento cristalino fissural contribui muito com as taxas de recargas que são relativamente altas nessa região de clima úmido e chuvoso. Essas coberturas constituídas pelo regolito, sedimentos da Formação Barreiras e pelos cordões arenosos litorâneos têm a capacidade de armazenar e transmitir água para o embasamento fissural devido a sua permeabilidade e porosidade efetiva. Assim, essas coberturas funcionam como reservatórios temporários do embasamento cristalino principalmente em zonas com maior densidade de fraturamento. De um modo geral, a vazão média dos poços tubulares na região é da ordem de 4,0 m3/h, podendo oscilar estatisticamente entre 3,2 e 4,8 m3/h, considerando um de intervalo de confiança de 95%, variando muito pouco entre os sistemas aquíferos constituídos pelas coberturas e o embasamento cristalino fissural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Augusto de Morais Nascimento

Geólogo (UFBA). Mestre em Geociências na área de Geoquímica de Exploração Mineral. Doutor em Geologia. Professor Associado I do Departamento de Geologia e Geofísica Aplicada (Instituto de Geociências/UFBA). Pesquisador Associado do Núcleo de Estudos Hidrogeológicos e do Meio Ambiente - NEHMA (IGEO/UFBA).

Johildo Salomão Figueiredo Barbosa

Geólogo (UFBA). Mestre, Doutor e Pós-Doutor em Geociências na área de Petrologia e Geotectônica. Professor Titular lotado no Departamento de Geoquímica do Instituto de Geociências (UFBA). Pesquisador do CNPq. Coordenador do Núcleo de Geologia Básica - NGB (Instituto de Geociências/UFBA).

Downloads

Publicado

2020-08-07

Como Citar

MORAIS NASCIMENTO, S. A. de; FIGUEIREDO BARBOSA, J. S. ASPECTOS HIDROGEOLÓGICOS DO ALTO CRISTALINO DE SALVADOR, BAHIA. Plurais - Revista Multidisciplinar, Salvador, v. 1, n. 1, 2020. DOI: 10.29378/plurais.2447-9373.2010.v1.n1.%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/plurais/article/view/8. Acesso em: 17 abr. 2024.