O Impacto da taxa de aprovação em disciplinas de física básica no percurso formativo de estudantes na graduação em física

Palavras-chave: Graduação em Física, Taxa de aprovação, Disciplinas de Física Geral

Resumo

A cultura da reprovação é altamente alardeada nos cursos de graduação em física, seja pela suposta falta de preparo e maturidade dos estudantes, ou pela suposta complexidade das disciplinas introdutórias de Física e de Cálculo. O estudo apresentado neste artigo questiona esse pressuposto, a partir da análise da taxa de aprovação de estudantes em disciplinas de física básica na relação com o percurso formativo nos cursos de licenciatura e bacharelado em física. Trata-se de um estudo de caso realizado em uma universidade pública brasileira, conduzido na forma de uma pesquisa quantitativa, longitudinal, que analisou informações sobre disciplinas de física básica ofertadas no período de 2000 a 2019. Os dados foram organizados e analisados a partir de três eixos principais: número de matrículas na disciplina; número de alunos aprovados; e taxa de aprovação. Conclui-se que o desempenho dos estudantes nessas disciplinas não melhora com o tempo de permanência no curso, corroborando com a baixa eficiência dos cursos de graduação em física para formar novos profissionais. Os resultados indicam ainda a necessidade de reflexões mais amplas e aprofundadas sobre a organização curricular e a forma de oferta das disciplinas de física básica, que compõem os currículos dos cursos de graduação em Física, no sentido de formar mais e melhor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio Akashi Hernandes, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutor em Ciências (UFJF). Docente do Programa de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (UFJF). Departamento de Física. Brasil. E-mail: jahernandes@gmail.com.

Paulo Henrique Dias Menezes, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutor em Educação. Docente do Programa de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (UFJF). Brasil. E-mail: paulo.menezes@ufjf.edu.br.

Giovana Trevisan Nogueira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Doutor em Ciências. Docente do Programa de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (UFJF). E-mail: giovana@ice.ufjf.br.

Referências

ALMEIDA, João B.; SCHIMIGUEL, Juliano. Avaliação sobre as causas da evasão escolar no ensino superior: estudo de caso no curso de licenciatura em física no Instituto Federal do Maranhão. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 2, n. 2, p. 167-178, 2011.

BARROSO, Marta F.; FALCÃO, Eliane BM. Evasão universitária: o caso do Instituto de Física da UFRJ. IX Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Física, v. 9, p. 1-14, 2004.

BORGES, Oto. Formação inicial de professores de Física: formar mais! Formar melhor! Revista Brasileira de ensino de Física, v. 28, n. 2, p. 135-142, 2006.

BRASIL. Lei nº 9.394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 30/04/2021.

DE ATAÍDE, Jair S. P.; LIMA, Lourivaldo Mota; DE OLIVEIRA ALVES, Edvaldo. A repetência e o abandono escolar no curso de licenciatura em física: um estudo de caso. Physicae, p. 21-32, 2006.

FERNANDES, João et al. Estudo da evasão dos estudantes de Licenciatura e Bacharelado em Física: uma análise à luz da Teoria do Sistema de Ensino de Bourdieu. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 37, n. 1, p. 105-126, 2020.

FERRAZ, Mariana. Procuram-se mestres. Ciência Hoje, v.42, p.48-51, julho, 2008.

GOBARA, Shirley T.; GARCIA, João R. B. As licenciaturas em física das universidades brasileiras: um diagnóstico da formação inicial de professores de física. Revista brasileira de ensino de física, v. 29, n. 4, p. 519-525, 2007.

INEP – INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Censo da Educação Superior 2017: divulgação dos principais resultados. Brasília, Inep, 2018. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/documentos/apresentacao_censo_superior2018.pdf. Acesso em 21/05/2020.

KELLER, Fred S. Adeus, Mestre! Ciência e Cultura, v. 24, p. 207-217, 1972.

LIMA JR, Paulo; OSTERMANN, Fernanda; REZENDE, Flavia. Análise dos condicionantes sociais da evasão e retenção em cursos de graduação em Física à luz da sociologia de Bourdieu. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 12, n. 1, p. 37-60, 2012.

MANCEBO, Deise; VALE, Andréa Araújo; MARTINS, Tânia Barbosa. Políticas de expansão da educação superior no Brasil 1995-2010. Revista brasileira de educação, v. 20, n. 60, p. 31-50, 2015.

McDERMOTT, Lillian C.; SHAFFER, Peter S. Tutorials in Introductory Physics, 1st Edition. Prentice Hall, New Jersey, 2002.

OLIVEIRA, Valéria Aparecida de; SILVA, André Coelho da. Uma revisão da literatura sobre a evasão discente nos cursos de licenciatura em física. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 22, 2020.

SBF – SOCIEDADE BRASILEIRA DE FÍSICA. Ensino de Física: reflexões MEC/SBF. Brasília: UNB -11 e 12/08/2005. Disponível em: http://www.sbfisica.org.br/arquivos/reflexoes.pdf. Acesso em: 30/04/2021.

TOKARNIA, M. Agência Brasil. EBC. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/print/1008557. Publicado em 28/03/2016. Acesso em: 11/04/2016.

Publicado
2021-07-14
Métricas
  • Visualizações do Artigo 61
  • HTML downloads: 5
Como Citar
Hernandes, J. A., Menezes, P. H. D., & Nogueira, G. T. (2021). O Impacto da taxa de aprovação em disciplinas de física básica no percurso formativo de estudantes na graduação em física. Plurais Revista Multidisciplinar, 6(2), 103-123. https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2021.v6.n1.12206
Seção
Dossiê Temático