Por uma educação libertadora e uma didática fundamental com pessoas em privação de liberdade

Palavras-chave: Educação, Didática, Violência simbólica, Educação bancária, Educação libertadora, Ação dialógica, Privação de liberdade

Resumo

Neste artigo, objetiva-se refletir sobre a educação libertadora no contexto da Socioeducação ou da Educação em Prisões, fundamentados nas dimensões político-social e humana de uma educação libertadora, com vistas à superação da prática da educação bancária e da violência simbólica, com pessoas em privação de liberdade. Pretende-se aprofundar a discussão acerca dos aspectos pedagógicos e da atuação docente na educação com pessoas em privação de liberdade por meio de uma breve articulação conceitual entre as perspectivas de Paulo Freire (2018), Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron (2013) acerca da cultura escolar. Como é possível praticar uma educação libertadora, com vistas à superação da educação bancária e da prática da violência simbólica, com pessoas em privação de liberdade? Para responder tal problemática, recortamos uma abordagem metodológica fundamentados na perspectiva multidimensional da Didática apresentada por Candau (2013) e empreendemos uma pesquisa bibliográfica a fim de pensar a educação com pessoas em privação de liberdade no âmbito político-social e humano, escolhendo como autores de referência as contribuições de Freire (2018) e Bourdieu e Passeron (2013). Na sequência, partimos para as contribuições de autores que são referência no âmbito da dimensão humana do processo de ensino e aprendizagem, tais como Neill (1995) e Rogers (2004). Ainda que parciais, os resultados apontam que a prática da ação dialógica com pessoas em privação de liberdade é uma proposta que permite superar a educação bancária e a violência simbólica, contribuindo para a emancipação social destas pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rui Dias Florêncio, Casa da Criança do Morro da Penitenciária

Mestre em Reabilitação Psicomotora (Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa). Psicomotricista na Casa da Criança do Morro da Penitenciária (Florianópolis – SC) e na Associação Caminhos para a Vida (Florianópolis – SC). E-mail: ruidiasflorencio@gmail.com

Jilvania Lima dos Santos Bazzo, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação (UFSC). Professora do Departamento de Metodologia de Ensino (MEN) e do Programa de Pós-Graduação em Educação (UFSC). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Didática e suas Multidimensões - GEPDIM. E-mail: jilvania.bazzo@ufsc.br

Referências

BICALHO, Renata de Almeida; PAULA, Ana Paula Paes de. Violência Simbólica: uma leitura a partir da Teoria Crítica Frankfurtiana. II ENCONTRO DE GESTÃO DE PESSOAS E RELAÇÕES DE TRABALHO, Curitiba, 2009. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2020.
BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Tradução de Reynaldo Bairão. 6a Edição. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2013 [1969].
___________. Os herdeiros: os estudantes e a cultura. Florianópolis: Editora da UFSC, 2014 [1964].
BRANCO, Maria. Vida, Pensamento e Obra de João dos Santos. Lisboa, Livros Horizonte, 2000.
BUBER, Martin. Eu e Tu, 10ª edição revista, 3ª reimpressão, São Paulo, Centauro, 2009.
DUARTE, Ana Maria Tavares; PEREIRA, Cleyton Feitosa. A educação de pessoas privadas de liberdade numa perspectiva inclusiva e ressocializadora: limites e contradições. Interritórios – Revista de Educação da Universidade Federal de Pernambuco, Caruaru, Brasil, V.3, N.5, 2017.
FONSECA, Débora. Escolarização de adolescentes em privação de liberdade: análise do tema em uma amostra de periódicos. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, SP: UFSCar, v. 7, no. 1, p. 13-31, mai. 2013. Disponível em http://www.reveduc.ufscar.br. Acesso em: 30 nov. 2020.
FOUCAULT, Micheal. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 35ª Edição. Petrópolis: Vozes, 2008.
FREIRE, Paulo. Pedagogy of the Opressed. New York, Bloomsbury Academic, 4th edition, 2018 [1968].
_________. Pedagogia da Esperança: Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
GLASS, Ronald David. Revisitando os fundamentos da educação para a libertação: o legado de Paulo Freire. Educ. Real. [online]. 2013, vol.38, n.3, pp.831-851. ISSN 2175-6236. https://doi.org/10.1590/S2175-62362013000300008.
KOHAN, Walter. Infância, estrangeiridade e ignorância. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2007.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 12.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
NEILL, Alexander. Summerhill School: A New View of Childhood. NewYork, 1st Ed. St. Martin's Griffin, 1995 [1960].
OLIVEIRA, Paulo. Vidas compartilhadas: cultura e co-educação de gerações na vida cotidiana. São Paulo: Hucitec: Fapesp, 1999.
ONOFRE, Elenice. Educação escolar para jovens e adultos em situação de privação de liberdade. Cad. CEDES [online]. 2015, vol.35, n.96, pp.239-255. ISSN 1678-7110. http://dx.doi.org/10.1590/CC0101-32622015723761.
ONOFRE, Elenice; FERNANDES, Jarina; GODINHO, Ana Paula. A EJA em contextos de privação de liberdade: desafios e brechas à educação popular. Educação, 42(3), 465-474, 2019. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2019.3.33770.
PESSOA, Manuella; ALBERTO, Maria de Fatima; LEITE, Fernanda; DOS SANTOS, Denise; ROCHA, Gabriela. Sujeitos da educação de jovens e adultos privados de Liberdade: um olhar na perspectiva histórico cultural. Em SANT’ANA, Nélson; TANUSS, Rebecka (org.). Educação de jovens e adultos privados de liberdade: ensaios interdisciplinares, João Pessoa: Editora do CCTA, 2019.
ROGERS, Carl. On Becaming a Person: A therapist´s view of psychotherapy. London, Robinson Ed, 2004 [1961].
TOSCAN, Loines Aparecida. Violência Simbólica reproduzida na escola à luz do pensamento de Freire, Bourdieu e Foucault. X Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, PUC Paraná, Curitiba 7 a 10 de Novembro de 2011. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2020.
Publicado
2021-04-27
Métricas
  • Visualizações do Artigo 29
  • Html downloads: 2
Como Citar
Florêncio, R. D., & Bazzo, J. L. dos S. (2021). Por uma educação libertadora e uma didática fundamental com pessoas em privação de liberdade. Plurais Revista Multidisciplinar, 6(1), 137-154. https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2021.v6.n1.10545