Ela está no meio de nós

  • Roberto Remígio Florêncio FACED/UFBA

Resumo

Desde quando se olha o céu, admirando a imensidão de estrelas na escuridão da noite, Ela
está lá. Visto que já se faziam isso há centenas, milhares, quicá, milhões de anos. Ela sempre
esteve entre nós e, muito provavelmente, sempre estará.
O olhar contemplativo, reflexivo, comprobatório ou desobediente está em todas as coisas e
causas para se confirmar a Sua existência, não como fato, mas como dúvida, como descobrimento,
arrefecimento e desconstrução. E, ainda que nada disso chegue a existir, Ela estará ali, do lado.
Desde que se construíram a primeira obra da engenharia, da comunicação, da medicina, do
comércio, Ela sempre esteve, atualizando fatos, construindo tendências, corrigindo defeitos,
possibilitando retornos. Entre as atividades técnicas ou práticas, das ciências ou das artes, do
possível e do imaginável, resta-Lhe o principal alcance do pódio, a cereja do bolo, o ponto final (ou
as reticências) do texto. Ela é mãe e filha dos textos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-09-15
Métricas
  • Visualizações do Artigo 45
  • PDF downloads: 39
Seção
Editorial