Instruir, moralizar e civilizar para o desenvolvimento da Bahia:

estratégias das campanhas de saneamento e educação rural de 1918 e 1952

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p417-431

Palavras-chave:

Liga Pró-saneamento, Campanha Nacional de Educação Rural, Moralizar valores, Desenvolvimento da Bahia

Resumo

O presente artigo discute as concepções políticas das campanhas de saneamento e educação destinadas aos sertões e zonas rurais da Bahia, implantadas, respectivamente, pela Liga Pró-Saneamento, instituída em 1918, e a Campanha Nacional de Educação Rural, em 1952. Examina conceitos de saneamento, educação rural e instrução usados, por esta última, como estratégias para modificar modos de viver e produzir de moradores rurais tendo em vista inserilos, no contexto de 1950, nos mercados nacional e internacional. A pesquisa recorreu à produção bibliográfica de Neiva e Penna (1999), Penna (1923), Santos (1985, 1998), Williams (1989), Brito (1999), Lima e Hochman (2000),
Hochman e Armus (2004), Stepan (2004), Hochman (2005), Mariani (1957), Hall (1950a, 1950b), Souza (2009), Monarcha (2009) e Ramos (2017), bem como a artigos e relatos publicados na Revista da Campanha Nacional de Educação Rural (RCNER), cujos propósitos eram moralizar e civilizar moradores de zonas rurais para o desenvolvimento da Bahia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEVEDO, Carmem Lúcia. Jeca Tatu e Macunaíma: a preguiça e a brasilidade. 2012. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2012.

BAHIA. Relatório do Secretário de Educação e Cultura Aloysio Short apresentado ao Exmo. Governador do Estado Antônio Balbino. Salvador: Biblioteca Pública do Estado da Bahia, 1957.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Lei Ordinária nº 378, de 13 de janeiro de 1937. Dá nova organização ao Ministério da Educação e Saúde Pública. Rio de Janeiro, DF, 1937. Disponível em: www2.camara.leg.br/.../lei/.../lei-378-13-janeiro-1937. Acesso em: 07 dez. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Revista da Campanha Nacional de Educação Rural. Rio de Janeiro, DF, n. 6, 1956.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Revista da Campanha Nacional de Educação Rural, Rio de Janeiro, DF, n. 8, 1959.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento Nacional de Endemias Rurais. Relatório de Endemias Rurais. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 1968.

BRITO, Gilmário Moreira. Pau de colher na letra e na voz. São Paulo: EDUC, 1999.

CARVALHO, Eliane Vianey de. O discurso educativo para a população na legislação da saúde pública de Minas Gerais em 1927. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 7., 2013, Cuiabá, MT. Anais eletrônicos [...]. Cuiabá, MT: Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), 2013. Disponível em: http://sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe7/pdf/01. Acesso em: 23 dez. 2019.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio eletrônico Século XXI. São Paulo: Nova Fronteira, 1999.

HALL, Robert King. O problema da educação rural. Curso promovido pelo INEP. Revista do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos, n. 47, 1950a.

HALL, Robert King. A educação para o desenvolvimento de um país. Educação e Cultura, ano I, n. 1, p. 48, 1950b.

HOCHMAN, Gilberto. Reformas, instituições e políticas de saúde no Brasil (1930-1945). Curitiba: Editora UFPR, 2005.

HOCHMAN, Gilberti; ARMUS, Diego (org.). Cuidar, controlar, curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004.

HOUAISS, Antônio. Novo dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Objetiva, 2009.

LEITE, Rinaldo César Nascimento. E a Bahia civiliza-se... ideias de civilização e cenas de anti-civilidade no contexto de modernização urbana, Salvador, 1912 a 1916. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia (FFCH/UFBA), Salvador, 1996.

LIMA, Nísia Trindade; HOCHMAN, Gilberto. Pouca saúde, muita saúva, os males do Brasil são... Discurso médico sanitário e interpretação do país. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 5, n. 2, p. 313-332, 2000.

MARIANI, Clemente. Análise do problema econômico baiano. Planejamento, Salvador, v. 5, n. 4, p. 55-121, 1977.

MONARCHA, Carlos. Brasil arcaico, escola nova: ciência, técnica & utopia nos anos 1920-1930. São Paulo: Ed. UNESP, 2009.

MOREIRA, João Roberto. Campanha Nacional de Erradicação ao Analfabetismo. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, DF, 1959.

NEIVA, Arthur; PENNA, Belisário. Viagem cientifica: pelo norte da Bahia, sudoeste de Pernambuco, sul do Piauí e de norte a sul de Goiás (1918). Brasília, DF: Senado Federal, 1999.

PENNA, Belisário. Saneamento do Brasil: sanear o Brasil é povoá-lo; é enriquecê-lo; é moralizá-lo. Rio de Janeiro: Jacintho Ribeiro dos Santos, 1923.

RAMOS, Eliene Rodrigues. Campanha Nacional de Educação Rural – CNER: as Missões Rurais na Bahia e uma nova perspectiva de educação rural (1952-1963). 2017. 141f. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) – Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC/UNEB), Salvador, 2017.

SANTOS, Luiz A. de Castro. As origens da reforma sanitária e da modernização conservadora na Bahia durante a Primeira República. Dados – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 41, n. 3, 1998. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0011-52581998000300004. Acesso em: 12 mar. 2017.

SANTOS, Luiz A. de Castro. O pensamento sanitarista na Primeira República: uma ideologia de construção da nacionalidade. Dados – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 28, n. 2, p. 193-210, 1985.

SOUZA, Christiane Maria Cruz de. A gripe espanhola na Bahia: saúde, política e medicina em tempos de epidemia. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; Salvador: EDUFBA, 2009.

STEPAN, Nancy Leys. Eugenia no Brasil 1917-1940. In: HOCHMAN, G.; ARMUS, D. (org.). Cuidar, controlar, curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004. p. 330-391.

WILLIAMS, Raymond. O campo e a cidade: na história e na literatura. Tradução Paulo H. Brito. São Paulo: Cia das Letras, 1989.

Publicado

2020-10-29

Como Citar

BRITO, G. M. .; RAMOS, E. R. . Instruir, moralizar e civilizar para o desenvolvimento da Bahia: : estratégias das campanhas de saneamento e educação rural de 1918 e 1952. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 29, n. 59, p. 417–431, 2020. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p417-431. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/9897. Acesso em: 25 jul. 2024.