Reescrita historiográfica da educação secundária em mato grosso (2000-2018)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p62-76

Palavras-chave:

Educação secundária, Historiografia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul

Resumo

Neste texto tomamos como fontes e objetos dissertações na investigação da educação secundária regionalizada, defendidas nos Programas de Pós-Graduação em Educação nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Para as análises pretendidas, buscamos identificar a presença (ou ausência) do diálogo com a historiografia consagrada e/ou analítica da historicidade. Para tanto, incursionamos pela versão da comparação nominada “estudos comparados” que, no contexto da história da educação, problematiza a ‘interpretação/representação do eu-outro’, provocando rompimentos, no caso da História, com o conceito cronológico de tempo e, no caso da Educação Comparada, com o conceito geográfico de espaço. Em conclusão, a reescrita historiográfica aponta a necessidade de aprofundamentos e desdobramentos dos aspectos singulares da regionalidade, que mantêm conexão e alimentam interdependências entre si e na relação com práticas políticas, econômicas, culturais e educativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiany de Cássia Tavres Silva, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

DOUTORADO EM EDUCAÇÃO - PUC/SP

Eurize Caldas Pessanha, UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS

Doutorado em Educação - USP - 1992

Silvia Helena Andrade de Brito, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

DOUTORADO EM EDUCAÇÃO - UNICAMP

Referências

ABREU, Jaime. A educação secundária no Brasil: ensaio de identificação de suas características principais. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, DF, v. 86, n. 212, p. 39-84, jan./abr. 2005. Disponível em: http://rbepold.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/849/824. Acesso em: 20 abr. 2020.

BRAGHINI, Katya Mitsuko Zuquim. O ensino secundário nos anos 1950 e a questão da qualidade de ensino. 2005. 234 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2005.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Lei nº 16, de 12 de agosto de 1834. Faz algumas alterações e adições à Constituição Política do Império, nos termos da Lei de 12 de outubro de 1832. Rio de Janeiro, 1834. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/leimp/1824-1899/lei-16-12-agosto-1834-532609-publicacaooriginal-14881-pl.html. Acesso em: 20 abr. 2020.

BRASIL. Ministerio dos Negocios da Instrucção Publica. Decreto nº 981, de 8 de novembro de 1890. Approva o Regulamento da Instrucção Primaria e Secundaria do Districto Federal. In: BRASIL. Collecção das leis da Republica dos Estados Unidos do Brazil de 1891: parte II – de 31 de julho a 31 de dezembro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1892. v. 2. p. 3474-3497. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/colecao-anual-de-leis/colecao1.html. Acesso em: 18 fev. 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Decreto nº 19.890, de 18 de abril de 1931. Dispõe sobre a organização do ensino secundário. In: BRASIL. Coleção das Leis de 1931. Atos do Governo Provisório: Decretos de janeiro a abril. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1942a. v. 1. p. 470-482. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/colecao-anual-de-leis/colecao5.html. Acesso em: 30 mar. 2020.

BRASIL. Decreto nº 21.241, de 04 de abril de 1932. Consolida as disposições sobre a organização do ensino secundário e dá outras providências. In: BRASIL. Coleção das Leis da República dos Estados Unidos do Brasil de 1932. Atos do Governo Provisório (janeiro a março). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1932. v. 1. p. 11-32. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/colecao-anual-de-leis/colecao5.html. Acesso em: 30 mar. 2020.

BRASIL. Decreto-lei n° 4.244, de 9 de abril de 1942. Lei orgânica do ensino secundário. In: BRASIL. Coleção das Leis de 1942: Atos do Poder Executivo (Decretos-Leis de Janeiro a Março). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1942b. p. 20-37. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/colecao-anual-de-leis/colecao6.html. Acesso em: 31 mar. 2020.

BRITEZ, Adriana Espíndola. A representação da educação secundária em Campo Grande nas fontes da historiografia regional e memorialística (1920-1960). 2014. 202 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campo Grande, 2014.

BRITO, Silvia Helena Andrade de. Educação e sociedade na fronteira oeste do Brasil: Corumbá (1930-1954). 2001. 393 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, 2001.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

CERTEAU, Michel de. A operação historiográfica. In: CERTEAU, Michel de. A escrita da História. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010. p. 65-119.

DALLABRIDA, Norberto. O MEC-INEP contra a Reforma Capanema: renovação do ensino secundário na década de 1950. Perspectiva, Florianópolis, v. 32, n. 2, p. 407-427, maio/ago. 2014.

DALLABRIDA, Norberto. Bourdieu e as estratégias de distinção no ensino superior francês. Cadernos de História da Educação, v. 10, n. 1, p. 183-192, jan./jun. 2011.

DALLABRIDA, Norberto. A Reforma Francisco Campos e a modernização nacionalizada do ensino secundário. Educação, Porto Alegre, v. 32, n. 2, p. 185-191, maio/ago. 2009.

DELAMÔNICA, Adiléa Benedita. O Albhum Graphico do Estado de Mato Grosso e as representações sobre os trabalhadores negros (1914-1920). Revista Patrimônio e Memória, v. 2, n. 1, p. 17-39, 2006.

FRANCO, Gilmara Yoshihara. A construção da identidade Mato-grossense na escrita de Virgílio Corrêa Filho. 2007. 134 f. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dourados, MS, 2007.

GARMS, Armando. Pantanal: o mito e a realidade (uma contribuição à Geografia). 1993. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 1993.

GONZÁLEZ, Jorge Luiz Cammarano. Instituições Escolares: práticas. In: NASCIMENTO, Maria Isabel Moura; SANDANO, Wilson; SAVIANI, Dermeval (org.). Instituições Escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. São Paulo: Autores Associados, 2007. p. 177-192.

HAIDAR, Maria de Lourdes Mariotto. O ensino secundário no Império brasileiro. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1972.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, SP, n. 1, p. 9-43, jan./jun. 2001.

LEITE, Gervásio. Um século de instrução pública: o ensino primário em Mato Grosso. Goiânia: Rio Bonito, 1970.

LIMA, Solange Ferraz; CARVALHO, Vânia Carneiro. Fotografias: usos sociais e historiográficos. In: PINSKY, Carla; LUCA, Tânia Regina (org.). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009. p. 29-60.

MAGALHÃES, Justino de. Linhas de investigação em história da educação e da alfabetização em Portugal – um domínio do conhecimento em renovação. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS “HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL”, 3., 1996, Campinas, SP. Anais [...]. Campinas, SP: UNICAMP/HISTEDBR, 1996. p. 55-67

MAGALHÃES, Justino de. Tecendo nexos: história das instituições educativas. Bragança Paulista, SP: São Francisco, 2004.

MARCILIO, Humberto. História do ensino em Mato Grosso. Cuiabá: Secretaria de Educação, Cultura e Saúde do Estado de Mato Grosso, 1963.

MARQUES, Inês Velter. O ensino secundário no sul do antigo Mato Grosso: o Colégio Estadual Presidente Vargas de Dourados (1951-1974). 2014. 134 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dourados, MS, 2014. Disponível em: https://portal.ufgd.edu.br/pos-graduacao/mestrado-doutorado-educacao/dissertacoes-defendidas. Acesso em: 26 mar. 2020.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

NOSELLA, Paolo; BUFFA, Ester. Instituições escolares: por que e como pesquisar. Campinas, SP: Alínea, 2009.

NUNES, Clarice. O “velho” e “bom” ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 35-60, ago. 2000.

NUNES, Maria Thetis. Ensino secundário e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB), 1962.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

SÁ ROSA, Maria da Glória. Memória da cultura e da educação em Mato Grosso do Sul: histórias de vida. Campo Grande: UFMS, 1990.

SANFELICE, José Luís. História das Instituições Escolares. In: NASCIMENTO, Maria Isabel Moura; SANDANO, Wilson; SAVIANI, Dermeval (org.). Instituições escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. São Paulo: Autores Associados, 2007. p. 75-93.

SANTINI, Poliana Gianello. Contando histórias: a escola estadual Dom Bosco por meio de seu acervo fotográfico (1927-1949). 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dourados, MS, 2012.

SAVIANI, Dermeval. Breves considerações sobre fontes para a história da educação. In: LOMBARDI, José Claudinei; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura (org.). Fontes, história e historiografia da educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2004. p. 3-12.

SAVIANI, Dermeval. Instituições Escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. In: NASCIMENTO, Maria Isabel Moura; SANDANO, Wilson; SAVIANI, Dermeval (org.). Instituições escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. São Paulo: Autores Associados, 2007. p. 3-27.

SCHWARTZMAN, Simon; BOMENY, Helena Maria Bousquet; COSTA, Vanda Maria Ribeiro. Tempos de Capanema. São Paulo: Paz e Terra/Fundação Getúlio Vargas, 2000.

SILVA, Fabiany de Cássia Tavares. Estudo comparado: fundamentos teóricos e ferramentas de investigação. Educação e Pesquisa, v. 45, p. 1-20, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022019000100555&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 21 mar. 2020.

SILVA, Geraldo Bastos. A educação secundária: perspectiva histórica e teoria. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1969.

SILVA, Geraldo Bastos. Introdução crítica do ensino secundário. Rio de janeiro: MEC/CADES, 1959.

SILVA, Maria Cecília Serafim. Agentes e ações curriculares na história da Escola Estadual Maria Constança Barros Machado (1941-1966). 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campo Grande, 2016.

SILVA, Raquel Fortunato da. A presença do aluno negro no Liceu Cuiabano: formandos de 1945. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, 2015.

SOUZA, Roosilenny dos Santos. O ensino secundário em Corumbá, sul do estado de Mato Grosso: o Ginásio Maria Leite (1918-1937). 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Campo Grande, 2010. Disponível em: https://site.ucdb.br/cursos/4/mestrado-e-doutorado/32/mestrado-e-doutorado-em-educacao/13167/grupos-de-pesquisa/13171/. Acesso em: 26 mar. 2020.

SOUZA, Rosa Fátima de. A renovação do currículo do ensino secundário no Brasil: as últimas batalhas pelo humanismo (1920-1960). Currículo sem Fronteiras, v. 9, n. 1, p. 72-90, jan./jun. 2009. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol9iss1articles/4-souza.htm. Acesso em: 15 jan. 2016.

SOUZA, Rosa Fátima de. História da organização do trabalho escolar e do currículo no século XX: ensino primário e secundário no Brasil. São Paulo: Cortez, 2008.

VIDAL, Diana Gonçalves; ASCOLANI, Adrián (org.). Reformas educativas no Brasil e na Argentina: ensaios de história comparada da educação (1820-2000). São Paulo: Cortez, 2009.

VIÑAO FRAGO, Antonio. Os cadernos escolares como fonte histórica: aspectos metodológicos e historiográficos. In: MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio (org.). Cadernos à Vista: escola, memória e cultura escrita. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2008. p. 15-34.

ZOTTI, Solange Aparecida. Sociedade, educação e currículo no Brasil: dos jesuítas aos anos de 1980. São Paulo: Autores Associados, 2004.

Publicado

2020-10-28

Como Citar

SILVA, F. de C. T.; PESSANHA, E. C.; BRITO, S. H. A. de. Reescrita historiográfica da educação secundária em mato grosso (2000-2018). Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 29, n. 59, p. 62–76, 2020. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p62-76. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/8436. Acesso em: 19 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)