Ensino secundário no casarão da praça da bandeira:

ginásio paraense (1930-1937)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p162-179

Palavras-chave:

Ginásio Paraense, Ensino secundário, Sistema de avaliação, Belém do Pará

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar o processo de organização do ensino secundário público no Ginásio Paraense, em Belém do Pará, nos anos de 1930 a 1937. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa documental e bibliográfica.  Para compreender esse processo, buscou-se reunir uma diversidade de fontes, como legislação do ensino, mensagens de governo e jornais. Os autores base deste estudo são Dallabrida (2009), Nunes (2000), Silva (2018), Souza (2008), Pessanha (2000), entre outros. Trata-se do primeiro estabelecimento de ensino secundário público, criado em Belém do Pará em 1841, tendo, ao longo dos anos, se constituído referência de estudos secundários na região norte do país. No ano de 1937, era o único da região a oferecer o curso secundário fundamental e complementar. Um lugar de difusão do conhecimento científico e literário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria do Perpétuo Socorro Gomes de Souza Avelino de França, Universidade do Estado do Pará

Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade  Estadual de Campinas. Professora do Progrma de Pós-Graduação em Educação e do Curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Pará. Integrante do Grupo de Pesquisa História da Educação da Amazônia

Laura Maria Silva Araújo Alves, Universidade Federal do Pará

Doutora em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). É Mestre em Letras (área de Linguística) pela Universidade Federal do Pará. Professora Titular da Universidade Federal do Pará. Líder do Grupo de Pesquisa Constituição do Sujeito, Cultura e Educação (ECOS).

Referências

A FASE agitada e inquieta das provas parciais no Ginásio Paraense. Jornal Folha do Norte, Belém, p. 8, 03 jun. 1938.

ANDRADE, Nadia Arabadgi. A luta pela educação: conflitos e impasses pelo acesso ao ensino secundário no Estado de São Paulo (1930 a 1945). 2019. 146 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2019. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/2208. Acesso em: 10 maio 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Decreto nº 19.890, de 18 de abril de 1931. Dispõe sobre a organização do ensino secundário. Rio de Janeiro, 1931a. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19890-18-abril-1931-504631-publicacaooriginal-141245-pe.html. Acesso em: 10 jan. 2019.

BRASIL. Portaria Ministerial s/n, de 31 de julho de 1931. Programas do curso fundamental do ensino secundário e instruções metodológicas. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, p. 12105-12127, 31 de julho de 1931b. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/104322/1931%20-%20Portaria%20Ministerial%20-%20DOU%2031-07-1931%20-%20Programas%20do%20curso%20fundamental%20do%20ensino%20secund%C3%A1rio%20e%20instru%C3%A7%C3%B5es%20metodol%C3%B3gicas.pdf?sequen. Acesso em: 10 fev. 2020.

CHAVES JUNIOR, Sergio Roberto. A educação física do Ginásio Paranaense ao Colégio Estadual do Paraná: contribuições para a construção de uma história de uma disciplina escolar (1931-1951). 2004. 216 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, 2004. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/33170. Acesso em :15 jan. 2020.

COELHO, Maricilde Oliveira. A escola primária no Estado do Pará (1920-1940). 2008. 203 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2008. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-30012009-165255/publico/Maricilde_Oliveira_Coelho.pdf. Acesso em: 8 agot.2020. Acesso em: 10 jan. 2020.

DALLABRIDA, Norberto. A reforma Francisco Campos e a modernização nacionalizada do ensino secundário. Educação, Porto Alegre, v. 32, n. 2, p. 185-191, maio/ago. 2009. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/5520/4015. Acesso em: 10 jan. 2020.

FONTES, Edilza Joana Oliveira. Cultura e política dos anos trinta no Brasil e as memórias do interventor do Pará, Magalhães Barata (1930-1935). Revista Estudos Políticos, Niterói, RJ, v. 4, n. 8, p. 131-151, 2013. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revista_estudos_politicos/about/contact. Acesso em: 24 mar. 2020.

MONTEIRO, Ana Nicolaça; SOUZA, Rosa Fátima de. Educação musical e nacionalismo: a história do Canto Orfeônico no ensino secundário brasileiro (1930-1960). Revista de História da Educação, Pelotas, RS, v. 7, n. 13, p. 115-137, ago. 2003. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/30537/pdf. Acesso em: 15 fev. 2020.

NUNES, Clarice. O “velho” e “bom” ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 35-60, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782000000200004&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 jan. 2020.

PARÁ. Mensagem apresentada ao Congresso Legislativo do Pará em sessão solene de abertura da 1ª reunião de sua 14ª Legislatura, a 7 de setembro de 1930, pelo governador do Estado, Dr. Eurico de Freitas Valle. Diário Oficial do Estado do Pará, Belém, 08 set. 1930, p. 62-63.

PARÁ. Ginásio Paraense: instruções para o exame de admissão ao curso ginasial. Diário Oficial do Estado do Pará, Belém, 04 fev. 1932, p. 23.

PARÁ. Decreto nº 991, de 21 de julho de 1933. Reforma do Ginásio Paraense. Interventoria Federal do Estado do Pará. Diário Oficial do Estado do Pará, Belém, 22 jul. 1933, p. 1-6.

PARÁ. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa do Pará, em sessão solene de abertura da 2ª reunião de sua 1ª legislatura de 16 de julho de 1936, pelo Governador do Estado, Dr. José Carneiro da Gama Malcher. Diário Oficial do Estado do Pará, Belém, 1936, p. 63-65.

PARÁ. Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa do Pará, em sessão solene de instalação da 3ª reunião ordinária de sua 1ª legislatura, a 16 de julho de 1937, pelo governador do Estado, José Carneiro da Gama Malcher. Diário Oficial do Estado do Pará, 17 jul. 1937, p. 56-59.

PESSANHA, Eurize Caldas. História das disciplinas e do currículo como base para a escrita da história do ensino secundário no Brasil. Pedagogía & Saberes, Colômbia, n. 42, p. 99-107, 2015. Disponível em: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/PYS/article/view/3720. Acesso em: 25 mar. 2020.

REGO, Clóvis Silva de Moraes. Subsídios para a história do Colégio Estadual “Paes de Carvalho. Belém: EDUEPA/L&A, 2002.

SILVA, Cristiani Bereta. Era uma vez uma editora, um livro: Admissão ao Ginásio, Editora do Brasil (Décadas de 1940-1960). Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, PR, v. 18, n. 32, p. 1-15, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S2238-00942018000100221&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso: 20 jan. 2020.

SOUZA, Rosa Fátima de. História da organização do trabalho escolar e do currículo no século XX: ensino primário e secundário no Brasil. São Paulo: Cortez, 2008.

ZUIN, Elenice de Souza Lodron. Da régua e do compasso: as construções geométricas como um saber escolar no Brasil. 2001. 211 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2001. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/FAEC-85DGQB. Acesso em: 20 fev. 2020.

Publicado

2020-10-28

Como Citar

DE FRANÇA, M. do P. S. G. de S. A.; SILVA ARAÚJO ALVES, L. M. Ensino secundário no casarão da praça da bandeira: : ginásio paraense (1930-1937). Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 29, n. 59, p. 162–179, 2020. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p162-179. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/8319. Acesso em: 20 jun. 2024.