A QUEM SERVE A EDUCAÇÃO?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2019.v28.n56.p12-32

Palavras-chave:

Educação, Antropologia, Educação popular, Transformação

Resumo

A partir de algumas civilizações, e recorrendo a tradições conceituais diversas, este artigo é uma reflexão sobre a Educação. Recupera e resume ideias presentes em outros textos do mesmo autor sobre a participação da educação no processo de transformação social e sua relação com a democracia e com o poder. Mediante várias interrogações sobre o papel dos processos educativos em diferentes sociedades, busca-se indagar sobre as distintas práticas de educação, pensadas e vividas, seja como instrumentalização funcional de quem aprende apenas se “instruindo”, através de uma capacitação destinada a uma adaptação ao “mundo real do mercado”, seja uma educação praticada como formação integral com vistas à transformação de quem aprende através de uma inacabável partilha de saberes destinados à auto, alter e sociotransformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Rodrigues Brandão, PUC-SP

Doutor em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), Mestre em Antropologia pela Universidade de Brasília (UnB), especialista em Educação e Graduado em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ).Livre docente em Antropologia do Simbolismo pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), Professor-pesquisador da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Pesquisador do Instituto Paulo Freire (IPF).

Referências

ADORNO, Theodor. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

ARRUDA, Marcos. Educação para uma economia do amor – educação da práxis e economia solidária. Aparecida: Ideias e Letras, 2009.

BOÉTIE, Étienne de La. Discurso da servidão voluntária. São Paulo: Martin Claret, 2017.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Nós, os humanos – da vida ao homem, do homem à cultura. São Paulo: Cortez, 2016.

CARRILLO, Alfonso Torres. La educación popular – trayctória y actualidad. 2. ed. Bogotá: Editorial El Buho, 2012.

CALDART, Roseli Salete et al (org.). Dicionário da educação do campo. 2. ed. Rio de Janeiro: Expressão Popular/FIOCRUZ/E.P.S. Joaquim Venâncio, 2012.

CLASTRES, Pierre. Sociedade contra o Estado. São Paulo: UBU, 2017.

FÁVERO, Osmar (org.). Cultura popular e educação popular – memória dos anos sessenta. Rio de Janeiro: Graal, 1981.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2014.

MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia. São Paulo: EPU/EDUSP, 1974.

SANTOS, Boaventura de Souza. A crítica da razão indolente – contra o desperdício da experiência. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

SANTOS, Boaventura de Souza. Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2014.

TADEU DA SILVA, Tomaz. Teoria cultural e educação – um vocabulário crítico.

Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

TOLSTOI, Liev. Liev Tolstoi – os últimos dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

TORRES CARRILLO, Alfonso. La Educación popular: trayctória y actualidad. 2. ed. Bogotá: El Buho, 2012.

Publicado

2019-12-29

Como Citar

BRANDÃO, C. R. A QUEM SERVE A EDUCAÇÃO?. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 28, n. 56, p. 12–32, 2019. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2019.v28.n56.p12-32. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/7831. Acesso em: 30 set. 2023.