GEOGRAFIA E MÚSICA: PENSAR A PARTIR DO KOSMOS SONORO GUARANI

Autores

  • Cláudio Benito Oliveira Ferraz Universidade Estadual Paulista (FCT/UNESP)
  • Anedmafer Mattos Fernandes Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n48.p167-185

Palavras-chave:

Geografia, Música, Guarani, Ensino, Espaço

Resumo

Este artigo é resultado das atividades desenvolvidas no interior do Grupo de Pesquisa Linguagens Geográficas, que se desdobraram na pesquisa de Doutorado Outras Imaginações Espaciais: experimentações e derivas entre sons e imagens no ensino de geografia, elaborada na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), em Mato Grosso do Sul (MS), a partir das experimentações ocorridas no Instituto Técnico Federal de Educação de Campo Grande (MS) com alunos do 1º ano do Ensino Médio durante o ano letivo de 2015. O objetivo foi experienciar outros pensamentos espaciais a partir do contato com a musicalidade Guarani. O método exercitado foi o de agir/pensar no contexto da Geofilosofia apresentada por Gilles Deleuze e Felix Guattari na articulação de várias ações trabalhadas na sala de aula (análises de imagens e narrativas jornalísticas, dos livros didáticos, de textos científicos, de fotografias e vídeos etc.). Tais ações tensionaram a visão generalizante da identidade indígena pelos não indígenas. Como decorrência disso, os alunos puderam perceber a trama social de negação e desconhecimento da riqueza cultural Guarani. Conclui-se que a força da musicalidade Guarani instiga a outros pensamentos espaciais, a outra geografia possível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORIM, A. C. Imagens e narrativas entrecortando a produção de conhecimentos escolares. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 25, n. 86, p. 37-56, 2004.

BENJAMIN, Walter. Origem do drama barroco alemão. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

CASTRO, Eduardo V. A inconstância da alma selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2002.

______. Metafísicas canibais. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

DELEUZE, Gilles; Conversações. São Paulo: Editora 34, 2013.

DELEUZE, Gilles; GUATTARRI, Félix. O que é a filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

______. Mil platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Vol. 2. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

FERNANDES, Anedmafer M. Outras imaginações espaciais: experimentações e derivas entre sons e imagens no ensino de geografia. 2016. 172 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, 2016.

FERRAZ, Cláudio Benito O.; NUNES, Flaviana G. Identidade nacional e/ou territorial: conflito entre Indígenas e fazendeiros no centro-oeste brasileiro. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE GEOCRÍTICA, 12., 2012, Bogotá. Anais eletrônicos... Bogotá: Universidad Nacional de Colombia, 2012. p. 1-13. Disponível em: <http://www.ub.edu/geocrit/coloquio2012/actas/08-C-Oliveira.pdf>. Acesso em: 23 ago. 2014.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins fontes, 2002.

GALLO, Silvio. Deleuze e a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

GLOWCZEWSKI, Bárbara. Devires totêmicos: cosmopolítica do sonho. São Paulo: n-1 edições, 2015.

HABERMAS, Jürgen. Teoria do agir comunicativo: racionalidade da ação e racionalização social. Vol 1. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.

HUR, Domenico U. Memória e tempo em Deleuze: multiplicidade e produção. Athenea Digital, v. 13, n. 2, p. 179-190, jul. 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2016.

JAHN, Lívia P. O canto e a voz guarani: a divindade da palavra oral. In: Revista do GT de Literatura Oral e Popular da ANPOLL, Londrina, PR, n. 12, p. 138-150, jul./dez. 2011.

KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

LARROSA, Jorge. Dar a palavra: notas para uma dialógica da transmissão. In: LARROSA, Jorge; SKILIAR, Carlos (Org.). Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 281-296.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

MEMÓRIA VIVA GUARANI. Ñande Arandu Pyguá. Direção geral: Antônio Maurício Fonseca. São Paulo: MCD, p1999. 1 CD.

______. Ñande Reko Arandu. São Paulo: Instituto Teko Arandu, p2004. 1 CD.

NO SESC, a trilha sonora do sonho guarani. Estadão, São Paulo, 30 jun. 2006. Cultura, p. 1. Disponível em: <http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,no-sesc-a-trilha-sonora-do-sonho-guarani,20060630p4341>. Acesso em: 10 dez. 2016.

OLIVEIRA JÚNIOR, W. M. Grafar o espaço, educar os olhos. Rumo a geografias menores. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 20, n. 3, p. 17-28, set./dez. 2009.

PACHECO, Eduardo G. Ensaio da (des)educação musical. In: CORAZZA, Sandra M. (Org.). Fantasias da escritura: filosofia, educação, literatura. Porto Alegre: Sulina, 2010. p. 23-36.

PLACER, Fernando G. O outro hoje: uma ausência permanentemente presente. In: LARROSA, Jorge; SKLIAR, Carlos (Org.). Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011. p. 79-90.

PERRONE, Cláudia M. Esquizoanálise. In: AQUINO, Julio G.; CORAZZA, Sandra M. (Org.). Abecedário: educação da diferença. Campinas, SP: Papirus, 2009. p. 60-63.

RUSSOLO, Luigi. A arte dos ruídos. In: FLO MENEZES (Org.). Música eletroacústica: história e estéticas. São Paulo: EDUSP, 2009. p. 51-56.

SANTOS, Douglas. O que é Geografia? 2007. Disponível em: <http://www.ebah.com.br/content/ABAAAffIwAD/que-geografia-douglas-santos>. Acesso em: 25 nov. 2016.

SEEGER, Anthony. Por que cantam os Kisêdjê: uma antropologia musical de um povo amazônico. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

SEQUERA, Guillermo. Kosmofonia Mbya Guarani. Organizado por Douglas Diegues. São Paulo: Mendonça & Provazi/O Morto q Fabla, 2006.

SILVA, Paulo Alexandre G. C. O Lugar do corpo: elementos para uma cartografia fractal. 1995. 330 f. Tese (Doutorado em Ciência do Desporto) – Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física da Universidade do Porto, Porto, Portugal, 1995.

VILELA, Eugénia. Corpos inabitáveis. Errância, Filosofia e memória. In: LARROSA, Jorge; SKLIAR, Carlos (Org.). Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 233-254.

WAINWRIGHT, Joel. Nietzsche contra the real world. ACME: An International E-Journal for Critical Geographies, v. 9, n. 1, p. 21-33, 2010. Disponível em: <https://www.academia.edu/12251165/ACME_An_International_E-Journal_for_Critical_Geographies_volume_9_issue_2_2010>. Acesso em: 09 nov. 2016.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas. São Paulo: Nova Cultural, 2000.

Publicado

2019-11-12

Como Citar

FERRAZ, C. B. O.; FERNANDES, A. M. GEOGRAFIA E MÚSICA: PENSAR A PARTIR DO KOSMOS SONORO GUARANI. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 26, n. 48, p. 167–185, 2019. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n48.p167-185. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/7582. Acesso em: 24 maio. 2024.