A MÚSICA E AS ARTES NA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO: POLIVALÊNCIA OU INTERDISCIPLINARIDADE?

Autores

  • Sergio Luiz Ferreira de Figueiredo Institute of Techonology - RMIT University

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n48.p79-96

Palavras-chave:

Educação musical, Música e pedagogia, Formação de pedagogos, Polivalência, Interdisciplinaridade

Resumo

O objetivo deste texto é discutir questões relacionadas à música e às artes na formação do pedagogo que atua na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental. O foco da discussão está nos conceitos de polivalência e interdisciplinaridade, buscando entender de que forma tais conceitos se aplicam, se complementam, ou se sobrepõem em documentos oficiais. A metodologia baseia-se nos princípios da pesquisa documental, valendo-se de textos referentes à legislação educacional em diálogo com a literatura. Os resultados apontam para a imprecisão nas orientações legais referentes ao professor que deveria ensinar música ou artes, além da utilização também imprecisa ou incompleta do conceito de interdisciplinaridade em vários textos, o que contribui para a manutenção de práticas educacionais predominantemente disciplinares. No caso do ensino da música e das artes, apesar dos documentos oficiais não indicarem a polivalência como modelo pedagógico, a literatura evidencia a presença desta prática em diversos contextos educacionais. Como conclusão, é evidente a necessidade de mais estudos específicos sobre interdisciplinaridade e ensino das artes a fim de se construir um referencial mais sólido para as propostas educacionais na formação do pedagogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOSA, Ana Mae. John Dewey e o ensino de arte no Brasil. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

BELLOCHIO, Cláudia Ribeiro. A educação musical nas séries iniciais do ensino fundamental: olhando e construindo junto as práticas cotidianas do professor. 2000. 423f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2000.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Brasília, DF, 1971. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1970-1979/lei-5692-11-agosto-1971-357752-publicacaooriginal-1-pl.html>. Acesso em: 10 jan. 2017.

______. Parecer CFE nº 540, de 10 de fevereiro de 1977. Sobre o tratamento a ser dado aos componentes curriculares previstos no art. 7º da Lei 5.692/71. Documenta, Rio de Janeiro, n. 195, p. 22-34, fev. 1977. Disponível em: <http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/ fontes_escritas/7_Gov_Militar/parecer n. 540-1977 sobre o tratamento a ser dado aos comp curriculares.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2017.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB): Lei 9.394/96. Brasília, DF: Diário Oficial da União, Ano CXXXIV, n. 248, de 23/12/96, p. 27.833-27.841, 1996.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais (1ª a 4ª). Brasília, DF: Ministério da Educação/ Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº 2, de 8 de março de 2004. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Música e dá outras providências. Brasília, DF, 2004a. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES02-04.pdf >. Acesso em: 05 jan. 2017.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº 3, de 8 de março de 2004. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Dança e dá outras providências. Brasília, DF, 2004b. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES03-04.pdf>. Acesso em: 05 jan. 2017.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº 4, de 8 de março de 2004. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Teatro e dá outras providências. Brasília, DF, 2004c. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES04-04.pdf>. Acesso em: 05 jan. 2017.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, DF, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf>. Acesso em: 03 jan. 2017.

______. Presidência da República. Lei nº 11.769, de 18 de agosto de 2008. Altera a Lei n. 9.394/96, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino de música na educação básica. Brasília, DF, 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11769.htm>. Acesso em: 02 jan. 2017.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº 1, de 16 de janeiro de 2009. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Artes Visuais e dá outras providências. Brasília, DF, 2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/2009/rces001_09.pdf>. Acesso em: 05 jan. 2017.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº 2, resolução nº 2de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17719-res-cne-cp-002-03072015&category_slug=julho-2015-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 10 jan. 2017.

______. Presidência da República. Lei nº 13.278, de 2 de maio de 2016. Altera o § 6o do art. 26 da lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que fixa as diretrizes e bases da educação nacional, referente ao ensino da arte. Brasília, DF, 2016. Disponível em <http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/333393820/lei-13278-16>. Acesso em: 20 ago. 2016.

DALLABRIDA, Iara Cadore; SOUZA, Zelmieden Adornes de; BELLOCHIO, Cláudia Ribeiro. “Deu um tempinho, vamos fazer uma musiquinha!”: a música nos anos iniciais do ensino fundamental. In: BELLOCHIO, Cláudia Ribeiro; GARBOSA, Luciane Wilke Freitas (Org.). Educação musical e pedagogia: pesquisas, escutas e ações. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2014. p. 143-168.

DEL-BEN, Luciana. Et al. Sobre a docência de música na educação básica: uma análise de editais de concurso público para professor. Opus, v. 22, n. 2, p. 543-567, dez. 2016.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 18. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

FIGUEIREDO, Sergio Luiz Ferreira de. The music preparation of generalist teachers in Brazil. 2003. 364f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Faculdade de Educação, Royal Melbourne Institute of Technology (RMIT) University, Melbourne, Austrália, 2003.

______. Teaching music in the preparation of generalist teachers: A Brazilian experience. Bulletin of the Council for Research in Music Education, n. 161/162, p. 73-81, 2004a.

______. A preparação musical de professores generalistas no Brasil. Revista da ABEM, Porto Alegre, v. 11, p. 55-62, 2004b.

______. A pesquisa sobre a prática musical de professores generalistas no Brasil: situação atual e perspectivas para o futuro. Em Pauta, v. 18, n. 31, p. 30-50, 2007.

______. O ensino de música na educação brasileira: um breve panorama a partir da legislação educacional. In: ALCÂNTARA, Luz Marina; TEXEIRA, Edvânia Braz (Org.). O ensino de música: desafios e possibilidades contemporâneas, v. 1. Goiânia: SEDUC/Governo de Goiás, 2009. p. 81-89.

FIGUEIREDO, Sergio Luiz Ferreira de; MEURER, Rafael Prim. Educação musical no currículo escolar: uma análise dos impactos da Lei no 11.769/08. Opus, v. 22, n. 2, p. 515-542, dez. 2016.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FONTERRADA, Marisa Trench de Oliveira. De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação. São Paulo: Editora da UNESP, 2005.

FUCKS, Rosa. O discurso do silêncio. Rio de Janeiro: Enelivros, 1991.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HENTSCHKE, Liane; OLIVEIRA, Alda. Music curriculum development and evaluation based on Swanwick’s theory. International Journal of Music Education, v. 34, p. 14-29, 1999.

JANTSCH, Ari Paulo; BIANCHETTI, Lucídio. Universidade e interdisciplinaridade. In: ______ (Org.). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. 9. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 172-182.

MANZKE, Vitor Hugo Rodrigues. Formação musical de professores generalistas: uma reflexão sobre o processo de formação continuada. 2016. 157f. Dissertação (Mestrado em Música) – Centro de Artes, Programa de Pós-Graduação em Música, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://sistemabu.udesc.br/pergamumweb/vinculos/00001e/00001edd.pdf>. Acesso em: 03 jan. 2017.

OESTERREICH, Frankiele; GARBOSA, Luciane Wilke Freitas. A história da disciplina música no curso de pedagogia da UFSM (1984-2008) In: BELLOCHIO, Cláudia Ribeiro; GARBOSA, Luciane Wilke Freitas (Org.). Educação musical e pedagogia: pesquisas, escutas e ações. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2014. p. 89-116.

PAVIANI, Jayme. Interdisciplinaridade: conceitos e distinções. 3. ed. Caxias do Sul, RS: Educs, 2014.

PENNA, Maura. Professores de música nas escolas públicas de ensino fundamental e médio: uma ausência significativa. Revista da ABEM, nº 7, p. 7-19, 2002.

______. Música(s) e seu ensino. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2010.

PEREIRA, Joana Lopes. Et al. Modos de conceber a docência de música na educação básica: uma análise de editais de concursos públicos para professores. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA, 24., 2014, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPPOM, 2014.

SCHEIBE, Leda; DURLI, Zenilde. Curso de Pedagogia no Brasil: olhando o passado, compreendendo o presente. Educação em Foco, v. 14, n. 17, p. 79-109, jul. 2011.

STORI, Regina. As Diretrizes Curriculares de Arte do Estado do Paraná: uma análise dos fundamentos e da gestão do ensino de música em Ponta Grossa/PR (2003-2010). 2011. 192f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR, 2011.

SUBTIL, Maria José Dozza. A Lei n. 5.692/71 e a obrigatoriedade da educação artística nas escolas: passados quarenta anos, prestando contas ao presente. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas-SP, v. 12, n. 3, p. 125-151, set./dez. 2012.

TOURINHO, Irene. Usos e funções da música na escola pública de 1º grau. Fundamentos da Educação Musical, ABEM, Porto Alegre, v. 1, 91-113, 1993.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC. Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia. Florianópolis: FAED, 2010. Disponível em: <http://www.faed.udesc.br/arquivos/id_submenu/495/pedagogia_2012.pdf>. Acesso em: 08 jan. 2017.

WERLE, Kelly; BELLOCHIO, Cláudia Ribeiro. A produção científica focalizada na relação professores não-especialistas em música e educação musical: um mapeamento de produções da Abem. Revista da ABEM, Porto Alegre, v. 22, p. 29-39, set. 2009.

Publicado

2019-11-12

Como Citar

FIGUEIREDO, S. L. F. de. A MÚSICA E AS ARTES NA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO: POLIVALÊNCIA OU INTERDISCIPLINARIDADE?. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 26, n. 48, p. 79–96, 2019. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n48.p79-96. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/7567. Acesso em: 16 jun. 2024.