O MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO E A REPERCUSSÃO DOS RELATÓRIOS CRÍTICOREFLEXIVOS À LUZ DE PAULO FREIRE

Autores

  • Bento Selau Universidade Federal do Pampa
  • Lúcio Jorge Hammes Universidade Federal do Pampa
  • Silvana Maria Gritti Universidade Federal do Pampa.

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n47.p137-151

Palavras-chave:

Educação, Conceitos freireanos, Intervenção pedagógica

Resumo

Este trabalho tem como objetivo identificar as repercussões da execução dos Relatórios Crítico-Reflexivos, construídos no âmbito da modalidade de mestrado profissional do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pampa (PPGEdu/UNIPAMPA), à luz de conceitos freireanos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que utilizou a abordagem da pesquisa documental. Coletaram-se, aleatoriamente, oito trabalhos de conclusão de curso e os dados foram trabalhados pela análise textual discursiva. As repercussões evidenciam a proximidade das categorias freireanas, estabelecendo um diálogo fecundo entre a teoria e a prática, construindo alternativas e afirmando uma autonomia que não é concedida e nem tutelada, mas que se constrói no fazer-se. Os resultados apontam que a metodologia da pesquisa no PPGEdu apresenta desafios, tensionamentos e ensinamentos em relação às metodologias historicamente construídas e socialmente legitimadas, pois se constata o envolvimento do pesquisador e o protagonismo dos sujeitos participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bento Selau, Universidade Federal do Pampa

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). Líder do Grupo de Pesquisa Educação Inclusiva e
Defectologia de Vygotski.

Lúcio Jorge Hammes, Universidade Federal do Pampa

Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professor do Programa de Pós-Graduação em
Educação da Universidade Federal do Pampa. Líder do Grupo de Pesquisa Cultura Escolar, Práticas Pedagógicas e Formação
de Professores .

Silvana Maria Gritti, Universidade Federal do Pampa.

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor do Programa de Pós-Graduação
em Educação da Universidade Federal do Pampa. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade
Federal do Pampa. Integrante do Grupo de Pesquisa Cultura Escolar, Práticas Pedagógicas e Formação de Professores.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988.

______. Portaria Normativa Capes nº 17, de 28 de dezembro de 2009. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 29 dez. 2009. Seção 1, p. 20-21.

CASSANDRE, M. Metodologias intervencionistas na perspectiva da teoria da atividade histórico-cultural: um aporte metodológico para estudos organizacionais. 2012. 301f. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Administração, Universidade Positivo, Curitiba, 2012.

DAMIANI, M. F. et al. Discutindo pesquisas do tipo intervenção. Cadernos de Educação, Pelotas, RS, n. 45, p. 57-67, jul./ago. 2013. Disponível em: <http://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/issue/current>. Acesso em: 26 jun. 2016.

DANIELS, H. Vygotski e a pesquisa. São Paulo: Loyola, 2008.

DARIZ, M. R. Vídeo educativo-interativo: uma intervenção à luz da teoria histórico-cultural para promover a aprendizagem da ambiguidade lexical. 2013. 100f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, 2013.

ENGESTRÖM, Yrjo. From design experiments to formative interventions. Theory & Psychology, v. 21, n. 5, p. 598-628, Oct. 2011.

FREIRE, P. Conscientização. 3. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

______. Pedagogia da esperança: um encontro com a pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

______. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

______. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

______. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’água, 1997.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

LEONTIEV, A. N. Actividad, conciencia, personalidad. Habana: Pueblo y Educación, 1983.

______. O desenvolvimento do psiquismo. São Paulo: Cortez, 2004.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, Bauru, SP, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132003000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 14 maio 2010.

NEVES, A. B. Oficinas de jogos teatrais e suas repercussões em escolares. 2012. 112f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, 2012.

OLIVEIRA, M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

ROCHEFORT, R. S. Ensinar a ensinar... aprender para ensinar! As aprendizagens na formação inicial em Educação Física nas perspectivas das Teorias Histórico-Cultural e da Atividade. 2012. 347f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, 2012.

SANNINO, A. Activity theory as an activist and interventionist theory. Theory & Psychology, v. 21, n. 5, p. 571-597, 2011.

SANNINO, A.; SUTTER, B. Cultural-historical activity theory and interventionist methodology: classical legacy and contemporary developments. Theory & Psychology, v. 21, n. 5, p. 557-570, 2011.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D.; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, São Leopoldo, RS, v. 1, n. 1, p. 1-15, jul. 2009. Disponível em: <http://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/6/pdf>. Acesso em: 09 maio 2016.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Moscú: Editorial Pedagóguika, 1997.

______. The collected works of L. S. Vygotsky. New York: Plenum, 1999.

Publicado

2018-04-02

Como Citar

SELAU, B.; HAMMES, L. J.; GRITTI, S. M. O MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO E A REPERCUSSÃO DOS RELATÓRIOS CRÍTICOREFLEXIVOS À LUZ DE PAULO FREIRE. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 25, n. 47, p. 137–151, 2018. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n47.p137-151. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/4576. Acesso em: 13 jun. 2024.