Audiodescrição e acesso à cultura audiovisual para o empoderamento de pessoas com deficiência visual

Autores

  • Marisa Ferreira Aderaldo Universidade Estadual do Ceará (CH/UECE)
  • Élida Gama Chaves Universidade Estadual do Ceará (FECLESC/UECE)

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n50.p119-134

Palavras-chave:

Tradução audiovisual acessível, Audiodescrição, Pessoas com deficiência visual, Moça com brinco de pérola

Resumo

A cultura contemporânea é especialmente multimodal no sentido de que, para expressar-se, utiliza suportes variados como televisão, rádio, celulares, computadores etc, com emprego de diferentes linguagens e formatos. De modo a fazer um recorte nas linguagens associadas ao sentido da visão, este artigo procura focalizar determinada parcela da população, justamente aquela que, estando privada desse sentido (a pessoa com deficiência visual), carece de soluções que lhe possibilitem o usufruto e acesso à informação visual presente em espaços como cinemas, teatros, passeios turísticos etc. Um modo de compensar a ausência da visão e de tornar a imagem acessível é a audio-descrição, tratada neste artigo como tradução intersemiótica e audio-visual, pois traduz a informação visual em informação verbal (escrita ou oral).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marisa Ferreira Aderaldo, Universidade Estadual do Ceará (CH/UECE)

Doutora em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora do curso de Letras do 
Centro de Humanidades da Universidade Estadual do Ceará (CH/UECE). Membro do Grupo de Pesquisa em Legendagem e
Audiodescrição (LEAD/UECE)

Élida Gama Chaves, Universidade Estadual do Ceará (FECLESC/UECE)

Doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Ceará. Professora da Faculdade de Educação, Ciências e Letras
do Sertão Central da Universidade Estadual do Ceará (FECLESC/UECE). Membro do Grupo de Pesquisa em legendagem e Audiodescrição (LEAD/UECE).

Referências

ADERALDO, M. F. Proposta de parâmetros descritivos para Audiodescrição à luz da interface revisitada entre tradução audiovisual acessível e semiótica social – multimodalidade. 2014. 206f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

ADERALDO, M. F.; NUNES, M. S. A audiodescrição e a acessibilidade visual: breve percurso histórico. In: ADERALDO, M. F. Et al (Org.). Pesquisas teóricas e aplicadas em audiodescrição. Natal: Edufrn, 2016. Disponível em: <http://www.sedis.ufrn.br/bibliotecadigital/site/interativos.php>. Acesso em: 10 out. 2017.

ADORO CINEMA. Moça com brinco de pérola. Disponível em: <http://www.adorocinema.com/filmes/filme-45323/>. Acesso em: 07 fev. 2016.

ALVES, R. Concerto para corpo e alma. Campinas, SP: Papirus, 1998.

ALVES, S; TELES, V. C; PEREIRA, T. Proposta para um modelo brasileiro de audiodescrição para deficientes visuais. Tradução & Comunicação, n. 22, p. 9-29, 2011.

BRASIL. Presidência da República. Lei n° 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm>. Acesso em: 20 fev. 2016.

______. Ministério da Cultura. Agência Nacional de Cinema (Ancine). Instrução Normativa 116, de 18 de dezembro de 2014. Brasília, DF, 2014. Disponível em: <http://www.ancine.gov.br/legislacao/instrucoes-normativas-consolidadas/instru-o-normativa-n-116-de-18-de-dezembro-de-2014>. Acesso em: 07 fev. 2015.

CHEVALIER, T. Girl with a pearl earring. London: Penguin, 1999.

GIRL with a pearl earring. Direção: Peter Webber. Intérpretes: Scarlett Johansson; Colin Firth. Roteiro: Olivia Retreed. Reino Unido/Luxemburgo, 2003. 1 DVD (100 min), color. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=VbQQ1MjgD5s>. Acesso em: 24 jun. 2017.

HOLLAND, A. Audio description in the theatre and the visual arts: images into words. In: DÍAS-CINTAS, Jorge; ANDERMAN, Gunilla. Audiovisual translation: language transfer on screen. New York: Palgrave Macmillan, 2009.

JAKOBSON, R. On linguistic aspects of translation. In: VENUTI, Lawrence (Ed.). The translation studies reader. London: Routledge, 2000. p. 113-118.

MAURITIHUS. Johannes Vermeer – Girl with a Pearl Earring. Disponível em: <https://www.mauritshuis.nl/en/discover/mauritshuis/masterpieces-from-the-mauritshuis/girl-with-a-pearl-earring-670/>. Acesso em: 29 jun. 2017.

MIANES, F. L. Consultoria em audiodescrição: alguns caminhos e possibilidades. In: CARPES, D. S (Org.). Audiodescrição: práticas e reflexões. Santa Cruz do Sul, RS: Catarse, 2016. p. 10-21.

MOTTA, L. M. V. M.; ROMEU FILHO, P. (Org.). Audiodescrição: transformando imagens em palavras. São Paulo: Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2010.

O’TOOLE, M. A systemic functions of art. In: PETER, H. F.; GREGORY, M. (Ed.). Discourse in society: systemic function perspectives – meaning and choice in language: studies for Michael Halliday. Westport: Ablex Publ, 1995. p. 159-180.

______. The language of displayed art. 2. ed. New York: Routledge, 2011.

PLAZA, J. Tradução intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 1987.

PRAXEDES FILHO, P. H.; MAGALHÃES, C. M. A neutralidade em audiodescrições de pinturas: resultados preliminares de uma descrição via teoria da avaliatividade. In: ARAÚJO, V. L. S.; ADERALDO, M. F. Os novos rumos da pesquisa em audiodescrição no Brasil. Curitiba: CRV, 2013. p. 83-87.

SCHLEIERMACHER, F. D. E. Dos diferentes métodos de traduzir. Princípios, Natal, v. 14, n. 21, p. 233-265, jan./jun. 2007.

Publicado

2017-12-22

Como Citar

ADERALDO, M. F.; CHAVES, Élida G. Audiodescrição e acesso à cultura audiovisual para o empoderamento de pessoas com deficiência visual. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 26, n. 50, p. 119–134, 2017. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n50.p119-134. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/4267. Acesso em: 29 maio. 2024.