A ontologia humana enquanto referência para uma educação popular emancipatória

Autores

  • Luciano Sérgio Ventin Bomfim Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2015.v24.n43.p107-120

Palavras-chave:

Ontologia humana. Princípio educacional. Educação. Subjetividade.

Resumo

Este ensaio partiu de uma questão aparentemente resolvida, qual seja, a de que todos têm clareza do que seja o ser humano, já que os textos educacionais raramente colocam em questão a necessidade de fazer este esclarecimento. O objetivo deste ensaio é explicitar a assunção dos atributos humanos em Marx enquanto princípios didáticopedagógicos na perspectiva de uma concepção de Educação Popular emancipatória.
Partimos da tese de que a assunção da ontologia humana como pilar para se desenvolver e afirmar as diversas referências identitárias livra o ser humano da possibilidade de reproduzir em sua práxis social a lógica reificante do Capital. Assumir a ontologia humana como referência para o estabelecimento de uma práxis social e educacional emancipatória implica na assunção dos atributos humanos como princípios didáticopedagógicos, quais sejam, o trabalho, a consciência, a universalidade, a sociabilidade e a liberdade. Esta decisão exigirá uma atitude de reconhecimento humano do educando, bem como do acolhimento de suas referências identitárias e modos de interpretar o real como necessários e legítimos à formação humana do educando e de si mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Sérgio Ventin Bomfim, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutor em filosofia pela Universidade de Kassel (GHK) – Alemanha. Professor Adjunto B do Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em disponibilidade para o Departamento de Tecnologias e Ciências Sociais do Campus III da UNEB.

Referências

ARROYO, M. G. Indagações sobre currículo– educandos e educadores: seus direitos e o currículo. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/indag2.pdf>. Acesso em: 30 nov. 2014.

FREIRE, P. Educação como prática de liberdade. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 1967.

______. Educação e mudança. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 1979.

______. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HEGEL, Fridirch W. G. Fenomenologia do espírito,2004. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/gu006698.pdf>. Acesso em: 10 abr. 2015.

HEYDORN, Heinz-Joachim. Gesamtes Werk. Vaduz,Liechtenstein: Topos Verlage, 1995.

LIMA, Eduardo Sales de. Paulo Freire: a pedagogia de uma vida. Brasil de Fato, São Paulo, 03 maio 2007. Disponível em: <http://www.brasildefato.com.br/node/2509>. Acesso em: 10 abr. 2015.

MÁRKUS, G.: Anthropology and marxism. Assen: Van Gorcum, 1978.

MARX, K. Thesen über Feuerbach. In: MARX, K; ENGELS, F. Gesamtes Werk. Band 03. Berlin: Dietz Verlag, 1968a.

______. Die Grundrisse der politischen Ökonomie. In: MARX, K; ENGELS, F. Gesamtes Werk. Berlin: Dietz Verlag, 1968b.

______. Método da Economia Política. Disponível em: <http://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/documento11Documento.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2015.

______. Zur Kritik der Hegelschen Rechtsphilosophie. In: MARX, K; ENGELS, F. Gesamtes Werk. Band. 1. Berlin: Dietz Verlag, 1968c.

______. Formen, die der kapitalistischen Produktion vorhergehen. In: MARX, K; ENGELS, F. Gesamtes Werk. Berlin: Dietz Verlag, 1968d. s. 396.

______. Die Pariser Manuskripten. Berlin: Dietz Verlag, 1968e.

______. Die Verhandlungen des 6. rheinischen Landtags. Berlin: Dietz Verlag, 1968f.

______. O método da Economia Poítica, 2010. Disponível em: <http://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/

arquivos_biblioteca/documento11Documento.pdf>. Acesso em: 10 abr. 2015.

______. Die Deutsche Ideologie. In: MARX, K; ENGELS, F. Gesamtes Werk. Band 3. Berlin: Dietz Verlag, 1968g.

Publicado

2015-06-19

Como Citar

BOMFIM, L. S. V. A ontologia humana enquanto referência para uma educação popular emancipatória. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 24, n. 43, p. 107–120, 2015. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2015.v24.n43.p107-120. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/1312. Acesso em: 23 jul. 2024.