Hilda Agnes Hübner Flores

história da educação de uma interiorana descendente de boêmios (1939-1955)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n63.p207-222

Palavras-chave:

Educação de mulheres, Biografia, Mulher interiorana, Educação feminina, Linha Duvidosa

Resumo

O artigo trata da formação escolar de Hilda Agnes Hübner Flores – mulher interiorana, professora, historiadora e descendente de boêmios – na interface com o contexto educacional feminino do segundo quartel do século XX, em Linha Duvidosa, no Sul do Brasil. Objetivou-se reconstituir historicamente a biografia de Hilda Flores com ênfase na análise do seu percurso formativo nas escolas riograndenses (1939-1955). Desenvolveu-se uma pesquisa do tipo biográfica, amparada teoricamente na História Cultural e metodologicamente na História Oral, que utilizou entrevistas livres como instrumento de coleta de dados, entrecruzadas com outras fontes. As análises revelaram que Hilda Flores teve uma educação diferenciada, pois, além de cursar o ensino primário em escola teuto-brasileira católica, pôde dar continuidade aos estudos em internatos religiosos e graduar-se em Serviço Social. Ela rompeu paradigmas socioculturais que relegavam à mulher ao semianalfabetismo e à vida doméstica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lia Machado Fiuza Fialho, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará, Pós-doutorada em Educação pela Universidade Federal da Paraíba e ´Pós-doutoranda na Universidade de Salamanca. Professora Adjunta do Centro de Educação da Universidade Estadual do Ceará, Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UECE) e do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas.  Líder do Grupo de Pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades - PEMO. Editora chefa da revista Educação & Formação do PPGE/UECE e Editora da coleção Práticas Educativas (EdUECE). Pesquisadora produtividade CNPq.

Cristine Brandenburg, Instituto Dom José - IDJ

Doutora pelo Programa de Pós Graduação em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará. Mestra pelo Programa de Pós Graduação em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará. Proferossa do Instituto Dom José. Vice Líder do grupo de pesquisa Práticas Educativas, Memórias e Oralidades.

José María Hernández Díaz, Universidad de Salamanca

Doctor em Educación por la Universidad de Salamanca (USAL). Catedrático de Teoría e História de la Educación. Coordinador del Programa de Doctorado en Educación por la Universidad de Salamanca. Director de História de la Educación – Revista Interuniversitaria. Director de AULA – Revista de Pedagogía de la Universidad de Salamanca. Director del Grupo de Investigación GIR: Helmántica Paideia.

Referências

ALBERTI, V. História dentro da História. In: PINSKY, C. B. (org.). Fontes históricas. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2015. p. 115-202.

ALBERTI, V. Ouvir contar: textos em História Oral. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2017.

ALMEIDA, D. B. A educação rural como processo civilizador. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (org.). História e memórias da educação no Brasil: vol. III: Século XX. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2018. p. 278-295.

ARANHA, M. L. A. História da Educação e da Pedagogia: Geral e Brasil. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2019.

AVELAR, A. S. Escrita da História, escrita biográfica: das possibilidades de sentido. In: AVELAR, A. S.; SCHIMIDT, B. B. (org.). Grafia de vida: reflexões e experiências com a escrita biográfica. São Paulo: Letra e Voz, 2012. p. 63-80.

BOSI, E. O tempo vivo da memória: ensaios de Psicologia Social. 3. ed. São Paulo: Ateliê, 2018.

BRANDENBURG, C.; FIALHO, L. M. F.; SANTANA, J. R. Diário de campo: um relato biográfico. Fortaleza: UFC, 2015.

BRASIL. Decreto-Lei nº 3.200, de 19 de abril de 1941. Dispõe sobre a organização e proteção da família. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Rio de Janeiro, DF, 20 abr. 1941.

BRAUM, F. K. História da imigração alemã no Sul do Brasil. Porto Alegre: Costoli, 2010.

BURKE, P. Abertura: a Nova História, seu passado e seu futuro. In: BURKE, P. (org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: Unesp, 2011. p. 7-38.

CERTEAU, M. A escrita da História. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2018.

DOSSE, F. O desafio biográfico: escrever uma vida. 2. ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2016.

FAUSTO, B. A vida política. In: SCHWARCZ, L. M. (dir.). Olhando para dentro: 1930-1964. Rio de Janeiro: Objetiva: Fundación Mapre, 2017. p. 91-142. v. 4.

FAUSTO, B. História do Brasil. 14. ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2015.

FERREIRA FILHO, A. História Geral do Rio Grande do Sul: 1503-1974. 4. ed. Porto Alegre: Globo, 1974.

FERREIRA, M. M.; AMADO, J. (coord.). Usos & abusos da História Oral. 8. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2016.

FIALHO, L. M. F.; FREIRE, V. C. C. Educação formativa de uma líder política cearense: Maria Luiza Fontenele (1950-1965). Cadernos de História da Educação, Uberlândia, v. 17, p. 343-364, 2018. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/43290. Acesso em: 28 jan. 2021.

FIALHO, L. M. F.; LIMA, A. M. S.; QUEIROZ, Z. F. Biografia de Aída Balaio: prestígio social de uma educadora negra. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 23, p. 48-67, 2019. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2019.231.04. Acesso em: 28 jan. 2021.

FIALHO, L. M. F.; SANTOS, F. M. B.; SALES, J. A. M. Pesquisas biográficas na História da Educação. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 26, p. 11-29, 2019. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/12743/6898. Acesso em: 30 jan. 2021.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. São Paulo: Artmed, 2009.

FLORÊNCIO, L. R. S. O reino da glória e a moral católica: memórias sobre a educação feminina e a prostituição na cidade de Crato-CE. 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

FLORES, H. A. H. Entrevista concedida a (retirado para preservação do anonimato) em xx de xx de 2016.

FLORES, H. A. H. Entrevista concedida a (retirado para preservação do anonimato) em xx de xx de 2017.

FLORES, H. A. H. História da imigração alemã no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EST, 2004.

FLORES, H. A. H. Imigrantes boêmios. Porto Alegre: IHGRGS, 2015a.

FLORES, H. A. H. Memórias de um imigrante boêmio: Josef Umann. Porto Alegre: Grafosul, 1981.

FLORES, H. A. H. Minha infância e a II Guerra. In: FLORES, H. A. H.; NEUBERGER, L. (org.). Segunda Guerra Mundial: reflexos no Brasil. Porto Alegre: Ediplat, 2015b. p. 65-70.

FRÖHLICH, C. C. Colônia de Santa Emília: Venâncio Aires. Nova Petrópolis: Amstad, 2005.

GOMES, A. C. População e sociedade. In: SCHWARCZ, L. M. (dir.). Olhando para dentro: 1930-1964. Rio de Janeiro: Objetiva: Fundación Mapre, 2017. p. 41-90. v. 4.

KOSSOY, B. Fotografia & História. 5. ed. São Paulo: Ateliê, 2018.

KREUTZ, L. Escolas étnicas na história da educação brasileira: a contribuição dos imigrantes. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (org.). História e memórias da educação no Brasil: vol. II – Século XIX. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2018. p. 150-165.

LAGE, A. C. P. Dos conventos e recolhimentos para os colégios de freiras: as diferenças da educação feminina católica nos séculos XVIII e XIX. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, n. 3, p. 47-69, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0102-46982016000300047&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 28 jan. 2021.

LEVI, G. Usos da biografia. In: AMADO, J.; FERREIRA, M. M. (coord.). Usos & abusos da História Oral. 8. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2016. p. 167-182.

LOPES, A. P. C. Legislação e processos educativos: a constituição da escola primária no Piauí (1845 a 1889). Educação & Formação, Fortaleza, v. 4, n. 1, p. 50-65, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/866. Acesso em: 28 jan. 2021.

LOURO, G. L. Mulheres na sala de aula. In: DEL PRIORE, M.; PINSKY, C. B. (org.). História das mulheres no Brasil. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2017. p. 443-481.

MAUAD, A. M. Poses e flagrantes: ensaios sobre história e fotografia. Niterói: UFF, 2008.

MENDES, M. C. F.; FIALHO, L. M. F.; MACHADO, C. J. S. Argentina Pereira Gomes: disseminação de - inovações - didáticas na educação primária na década de 1930. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 19, p. 527-550, 2019. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/viewFile/24959/23519. Acesso em: 28 jan. 2021.

PEDRO, J. M. Mulheres do Sul. In: DEL PRIORE, M.; PINSKY, C. B. (org.). História das mulheres no Brasil. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2017. p. 278-321.

RAMBO, A. B. A escola comunitária teuto-brasileira católica. São Leopoldo: Unisinos, 1994.

ROMANELLI, O. O. História da Educação no Brasil: (1930/1973). 40. ed. Petrópolis: Vozes, 2017.

SANTOS, A. V. dos. A escola primária teuto-brasileira rural: educação e sincretismo em Santa Catarina. Historia de la Educación, v. 38, p. 327-348, 2020. Disponível em: https://revistas.usal.es/index.php/0212-0267/article/view/hedu201938327348. Acesso em: 25 fev. 2021.

SANTOS, F. M. B.; GIASSON, F. F. Docência no ensino superior: formação, iniciação e desenvolvimento profissional docente. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades, Fortaleza, v. 1, n. 1, p. 1-12, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3543. Acesso em: 5 maio 2019.

SAVIANI, D. A política educacional no Brasil. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M. H. C. (org.). História e memórias da educação no Brasil: vol. III: Século XX. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2018. p. 29-38.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. 4. ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

SCHWARCZ, L. M. Olhando para dentro: 1930-1964. Rio de Janeiro: Objetiva: Fundación Mapre, 2017.

SCOTT, A. S. O caleidoscópio dos arranjos familiares. In: PINSK, C. B.; PEDRO, J. M. (org.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 15-42.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M.; EVANGELISTA, O. Política educacional. 4. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2011.

SILVA, K. N. S. O que a escola faz ao instituir o uso dos uniformes escolares?. In: CATANI, D. B.; GATTI JÚNIOR, D. (org.). O que a escola faz? Elementos para a compreensão da vida escolar. Uberlândia: UFU, 2015. p. 197-228.

THOMPSON, P. A voz do passado: História Oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

VILAS-BOAS, S. Biografismo: reflexões sobre as escritas da vida. 2. ed. São Paulo: Unesp, 2014.

Publicado

2021-09-29

Como Citar

FIALHO, L. M. F.; BRANDENBURG, C.; HERNÁNDEZ DÍAZ, J. M. . Hilda Agnes Hübner Flores: história da educação de uma interiorana descendente de boêmios (1939-1955). Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 30, n. 63, p. 207–222, 2021. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n63.p207-222. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/10966. Acesso em: 28 maio. 2024.