(RE)VALORIZAÇÃO DO TRABALHO: contribuições ergológicas para compreensão do trabalho real.

Autores

Palavras-chave:

trabalho, valor, ergologia

Resumo

Discute-se aqui os valores do trabalho a partir de sua ontologia perpassando pelos momentos históricos até chegar no estágio atual do capitalismo. A discussão é feita com base em uma abordagem aproximativa entre as contribuições ergológicas e uma revisão bibliográfica a respeito do conceito de trabalho. Têm-se como objetivo neste artigo, sobretudo ampliarmos a ideia de trabalho para além da conotação mercantil que o conceito admitiu no período pós-industrialização. Acredita-se que a abordagem ergológica, por compreender o trabalho não apenas do ponto de vista do resultado, mas também do processo, considerando, principalmente as individualidades de cada trabalhador, nos auxilie na retomada de valores não econômicos do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naim Rodrigues de Araújo, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Educação e docência pela UFMG. Atualmente é tecnico administrativo em educação pela UFMG. Desenvolve pesquisas relacionadas à inclusão de pessoas com deficiência, trabalho e educação.

Referências

ALBORNOZ, Suzana. O que é Trabalho: 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

ANTUNES, Ricardo. A nova morfologia do trabalho no Brasil: Reestruturação e precariedade. Nueva Sociedad, edição especial, junho, 2012. Disponível em: http://nuso.org/articulo/a-nova-morfologia-do-trabalho-no-brasil-reestruturacao-e-precariedade/. Acesso em: 26, Abr 2019.

ANTUNES, Ricardo. Desenhando a nova morfologia do trabalho no Brasil. Estudos avançados, v.81, nº28, SÃO PAULO, mai/ago, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142014000200004. Acesso em: 26, Abr 2019.

FILHO, Rubens Miguacclo. Reflexões Sobre O Homem E O Trabalho. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 18-32, Mar./Abr., 1994.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Trabalho. In: PEREIRA, Isabel Brasil; LIMA, Júlio César França. (Org.). Dicionário da educação profissional em saúde. 2.ed. rev. ampl. - Rio de Janeiro: EPSJV, 2008. p. 399-404.

KUBO, S, H; GOUVÊA, M, A; MANTOVANI, D, M, N. Dimensões Do Significado Do Trabalho E Suas Relações. PRETEXTO, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 28 – 49 jul./set., 2013.

OLIVEIRA, M, C, L; SILVEIRA, S, B. O(s) sentido(s) do trabalho na contemporaneidade. VEREDAS ON-LINE, Juiz de Fora, v. 1, p. 149-165, jan/jul., 2012.

SCHWARTZ, Yves. A comunidade Científica Ampliada e o Regime de Produção de Saberes. Tradução SANTOS, E, E; CUNHA, D. Trabalho e Educação, Belo Horizonte: NETE, n,7, jul-dez, p. 38-46, 2000.

SCHWARTZ, Yves. Manifesto Por Um Ergoengajamento. In: SHWARTZ, Y; DURRIVE, L (org). Trabalho e Ergologia II: diálogos sobre a atividade humana. Belo Horizonte: Fabrefactum, p. 325-369, 2016.

SCHWARTZ, Yves. Trabalho e uso de si. Pro-posições, v. 1, nº5, Julho, 2000.

SCHWARTZ, Yves. Trabalho e valor. Tempo Social, Rev. Sociol. USP, S. Paulo, v8, nº2, p. 147-158, outubro, 1996.

SCHWARTZ, Yves; DURRIVE, Louis. Trabalho & Ergologia: conversas sobre a atividade humana. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora EDUFF, 2007.

SCHWARTZ. Yves. Entrevista. In Trabalho, Educação e Saúde. RJ: Fiocruz, v.4, n 2, p. 457 – 466, 2006.

TRINDADE, Valter. Trabalho Prescrito e Real no Atual Mundo do Trabalho. Trabalho e Educação, nº1, fev/jul, Belo Horizonte, 1997.

TRINQUET, Pierre. Trabalho E Educação: O Método Ergológico. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 93-113, ago, 2010. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/38e/art07_38e.pdf. Acesso em: 25, ago. 2018.

Downloads

Publicado

2020-05-11

Como Citar

RODRIGUES DE ARAÚJO, N. (RE)VALORIZAÇÃO DO TRABALHO: contribuições ergológicas para compreensão do trabalho real. Revista Encantar, [S. l.], v. 1, n. 3, p. 172–181, 2020. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/encantar/article/view/8462. Acesso em: 27 maio. 2023.

Edição

Seção

I Simpósio Latino-Americano de Ergologia