ERGOLOGIA E AVIAÇÃO CIVIL: perspectivas de pesquisa

Autores

Palavras-chave:

Aviação Civil, Ergologia, Fatores Humanos.

Resumo

Na Aviação Civil, os Fatores Humanos são os maiores ativos e a maior fonte de risco na execução da atividade diante da automação presente no setor. O objetivo do estudo é apresentar a significância dos estudos sobre Fatores Humanos na aviação a partir da abordagem ergológica. A metodologia consiste na realização de um levantamento bibliográfico utilizando como base de dados os principais autores da Ergologia, revistas científicas e instituições da Aviação Civil. O resultado evidencia a pertinência de se compreender a subjetividade das atividades do setor, cujo desempenho humano é essencial para a garantia da segurança operacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayara Vieira Henriques, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ)

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção e Sistemas do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - CEFET/RJ

Alexandre de Carvalho Castro, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ)

Docente do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção e Sistemas do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - CEFET/RJ

Referências

ADAMS, D. A Layman’s Introduction to Human Factors in Aircraft Accident and Incident Investigation. Australian Transport Safety Bureau. Austrália, 2006.

BESSI, P. Fator Humano Na Investigação E Prevenção De Acidentes Aeronáuticos: Estudo de Caso do Acidente com a Aeronave Pr-Som. Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Palhoça, 2018.

CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS (CENIPA). Painel Sipaer. Panorama dos Acidentes nos últimos 10 anos. Disponível em: <http://painelsipaer.cenipa.aer.mil.br/>. Acesso em: 07/02/2019.

DEJOURS, C. O Fator Humano. Fundação Getúlio Vargas (FGV), 2005.

DI RUZZA, R., LACOMBLEZ, M., SANTOS, M. Ergologia, Trabalho, Desenvolvimentos. Série Trabalho e Sociedade, Belo Horizonte, 2018.

HARRIS, D. Human Performance On The Flight In Deck. Taylor & Francis Group, 2011.

HAWKINS, H, F. Human Factors in Flight. Routledge, 2016.

HOLZ, E. B. Pesquisa Ergológica: Cientificidade, Coerência, Paradigma e Articulação Conceitual. Revista Gestão & Conexões. Vitória (ES), v. 2, n. 1, jan./jun. 2013.

KANKI, G. B., HELMREICH, L. R., ANCA, J. Crew Resource Management. Elsevier Inc, 2010.

LANDMAN, A., GROEN, E. L., VAN PAASSEN, M. M., BRONKHORST, A. W., MULDER, M. Dealing With Unexpected Events on the Flight Deck: A Conceptual Model of Startle and Surprise. Human Factors: The Journal of the Human Factors and Ergonomics Society, 59(8), 1161–1172, 2017.

MAURINO, D. S. E. Human Factors in Aviation. Elsevier Inc, 2010.

MORIARTY, D. Pratical Human Factors for pilots. Elsevier Inc, 2015.

MOTTA, S. V. Formações Discursivas na Aviação: do Embate entre a Máquina e o Homem-Executor, ao Debate de Normas do Homem-Trabalhador. Tese de Doutorado. Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.

SCHWARTZ, Y. Abordagem Ergológica e Necessidade de Interfaces Pluridisciplinares. ReVEL, edição especial n. 11, 2016. [www.revel.inf.br].

WISE, A. J, HOPKIN, D. V. Human Factors in Certification. Taylor & Francis e-Library, 2009.

Downloads

Publicado

2020-05-08

Como Citar

HENRIQUES, M. V.; CASTRO, A. de C. ERGOLOGIA E AVIAÇÃO CIVIL: perspectivas de pesquisa. Revista Encantar, [S. l.], v. 1, n. 3, p. 166–171, 2020. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/encantar/article/view/8397. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

I Simpósio Latino-Americano de Ergologia