AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM: novas perspectivas para velhos problemas

Palavras-chave: Avaliação da aprendizagem, Modelos de avaliação, Mudanças.

Resumo

Este estudo traz uma breve análise sociológica sobre o tema avaliação da aprendizagem escolar, direcionando reflexões sobre a necessária superação de seu caráter excludente, classificatório e punitivo que contribui de forma significativa na exclusão escolar. Apresentamos neste texto o significado do termo “avaliação” puramente como é conceituado, abordamos brevemente sobre o que está disposto na legislação brasileira a respeito dessa questão. Tratamos da temática que diz respeito aos eixos: o significado da avaliação e suas novas representações; a avaliação sob uma nova perspectiva didática; a avaliação como fator de recompensa ou punição e, por fim - e tão importante quanto - o papel político-social do professor como mediador nesse processo. Os eixos temáticos apresentados aqui trazem uma mescla de nossas considerações axiológicas e empíricas sobre as práticas pedagógicas analisadas no contexto escolar, bem como os pontos-de-vista de alguns renomados pensadores contemporâneos sobre avaliação escolar numa perspectiva ou postura que privilegiem as práticas antirracistas e (de) coloniais. Estabelecemos ainda, as relações com temas transversais àquele, como formação de professores e o trabalho docente. Nosso objetivo com as discussões presentes neste estudo consiste em mostrar aos docentes, gestores, estudantes e o Estado, que acreditam na avaliação como nota, e não enquanto conceito, que estão equivocados inerentes ao processo avaliativo. Para isso, debatemos questões no afã de elucidar tais equívocos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Carlos Botelho, Secretaria Estadual de Educação SEDUC, Instituto Federal do Tocantins - IFTO E Universidade Federal do Tocantins -UFT
Mestre em Letras na área de Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Tocantins - UFT e pósgraduação Latu Sensu de Administração e Inspeção Escolar pela ISEIB/Instituto Pro Minas. Participou do Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores (PDPP) promovido pela CAPES, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, em Portugal. Tem pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior pela FACIT e Promoção e Gestão em Saúde, idem (2010). Possui Aperfeiçoamento em Qualificação dos Gestores do SUS (180h), pela ENSP/FIOCRUZ e ainda, o Curso de Apoiadores Institucionais da Política Nacional de Humanização (180h) promovido pela Escola Técnica do SUS no Tocantins - ETSUS/TO. Graduado em Letras Inglês/Português e respectivas literaturas pela Universidade Federal do Tocantins (2007). Atua como Professor, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - IFTO - Câmpus Palmas; Professor da Educação Básica pelo Governo do Estado do Tocantins, onde já atuou como Professor de Língua Portuguesa e Inglesa, Coordenador Pedagógico, Secretário Geral e Gestor (Interino) no Colégio Estadual Dr. Pedro Ludovico Teixeira, no município de Porto Nacional - TO; na UFT, atuou como Formador IES do Pacto pelo Fortalecimento do Ensino Médio na UFT e Supervisor do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID/Letras.
Maria Rilda Alves da Silva Martins, Instituto Federal do Tocantins - IFTO Câmpus Palmas - Universidade Federal do Tocantins- UFT - Porto Nacional e Universidade Federal do Pará - UFPA

Doutoranda em Letras - Estudos Linguísticos pelo Programação de Pós-graduação em Letras - Universidade Federal do Pará - Câmpus Belém. Mestra em Letras em Estudos Linguísticos: Abordagens de Análise Linguística - pela Universidade Federal Tocantins - UFT (2017), Câmpus de Porto Nacional Tocantins. Especialista em Língua Portuguesa e Espanhola - FAIARA (2012), Especialista em Linguística Aplicada em Língua Portuguesa - IGEP (2011), especialista em Gestão e Orientação Educacional - IGEP (2010) e Licenciada em Letras ? Português e Espanhol - UFT (2008). Professora EBTT do Instituto Federal do Tocantins, Campus - Palmas. Participa do Núcleo de Pesquisa em Linguagens e Artes ? NUPLA (IFTO). Desenvolve pesquisa na área da Sociolinguística Variacionista sobre A expressão de segunda pessoa do singular na fala tocantinense, vinculado ao projeto Construção do Acervo Audiovisual da Língua Falada no Tocantins, coordenado pelo Professor Dr. Daniel Marra da Silva. Desenvolveu o Projeto de Mestrado sobre Análise da Alternância dos Pronomes tu/você na fala de Porto Nacional (TO) à Luz da Sociolinguística Cognitiva; sob orientação da Professora Doutora Carine Haupt (UFT) e Coorientação do Professor Doutor Daniel Marra da Silva (IFTO- UFT).

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; MOLL, Jaqueline (Org.). Para além do fracasso escolar. Campinas, SP: Papirus, 1997. p. 161-172.

BOTELHO, J.C. “Avaliação da Escrita e Reescrita dos Textos Produzidos nas Oficinas do Pibid-UFT: uma prática a desenvolver” – Apresentado no Seminário do Plano de Desenvolvimento de Professores. Faculdade de Letras do Porto, Portugal. 2013.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 1987, p.170.

FRANCO,M.L.P.B. Subsídios Para Uma reflexão Teórica Acerca da Prática Avaliativa. In: Séries Idéias n. 8. São Paulo: FDE, 1998 (119-126)

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática ducativa / Paulo Freire. – São Paulo: Paz e Terra, 1996. – (Coleção Leitura)

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da aprendizagem escolar. 13º ed. São Paulo: Cortez, 2002.

PIMENTA, Selma Garrido (org). Saberes Pedagógicos e Atividades Docentes. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 2000.

SOBRINHO,J.D. Avaliação: políticas educacionais e reformas da educação. São

Paulo: Cortez, 2003.

SILVA, Cármen Duarte da, et al., “ De Como a Escola Participa da Exclusão Social: Trajetória de Reprovação das Crianças Negras” in ABRAMOWICZ, Anete, et al., Para Além do Fracasso Escolar, Col. Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico, Papirus Editora, Campinas, São Paulo, 1997, pp. 27-46.

SILVA, Cármen Duarte da,,Avaliação da Aprendizagem na Escola e a Questão das Representações Sociais. Eccos Revista Científica, vol. 4, fac. 02, Universidade Nova de Julho, São Paulo, pág. 79 a 88, 2002.

Publicado
2020-03-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 496
  • PDF downloads: 426