DESAFIOS NO ÂMBITO ESCOLAR COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL

Palavras-chave: Violência Sexual, Crianças, Adolescentes, Escola

Resumo

As diversas formas de violência contra crianças e adolescentes é um assunto que vem sendo debatido nos mais variados espaços, entre eles, o escolar, jurídico e familiar. O presente artigo tem como objetivo principal analisar o papel da comunidade escolar na identificação dos casos de violência sexual com crianças e adolescentes, além de demonstrar a importância do acompanhamento psicológico a vítima e aos familiares. O referencial teórico contou com as contribuições de autores como Penco (2015) entre outros que embasaram essa pesquisa. A metodologia utilizada durante a produção deste artigo, foi a qualitativa de cunho bibliográfica, tendo como questão de pesquisa analisar: qual o papel da comunidade escolar diante dos casos de violência sexual infanto juvenil? Com isso, a presente pesquisa buscou destacar a necessidade formação especifica sobre essa temática para a comunidade escolar em geral e a importância do psicólogo e assistente social no acompanhamento das famílias nas escolas sejam elas: públicas municipais ou estaduais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Millena Carneiro Lima, Universidade Estácio de Sá - Brasil

Especialista em Direito do Processo do Trabalho e Direito Previdenciário pela Universidade Estácio de Sá -UNESA.

Adriana Santos Costa, Conselho Municipal de Educação de Feira de Santana

Especialista em Gestão Escolar pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci.

Erica Pastor de Araújo, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Aluna especial do Mestrado Profissional em Intervenção Educativa e Social (MPIES), UNEB.

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 13/09/2022.

BRASIL. Lei 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 13/09/2022.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov. br. Acesso em: 10/09/2022.

BRASIL. Lei 11829, de 25 de novembro de 2008. Altera a Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente, para aprimorar o combate à produção, venda e distribuição de pornografia infantil, bem como criminalizar a aquisição e a posse de tal material e outras condutas relacionadas à pedofilia na internet. Diário Oficial da União, Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 13/09/2022.

BRASIL. Lei n. 9.970, de 17 de maio de 2000. Institui o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Brasília, DF, 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov. br. Acesso em: 10/09/2022.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Lei n. 9.970, de 17 de maio de 2000. Institui o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Brasília, DF, 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov. br. Acesso em: 10/09/2022.

BRASIL. Ministério da Justiça. Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Infantojuvenil Brasília, DF, 2006.

BRINO, R.; WILLIAMS, L. Concepções da professora acerca do abuso sexual infantil. 2003

CANDAU, V. M. F. Cotidiano escolar e práticas interculturais. Rio de Janeiro. 2015.

CARVALHO, H. C. M. et al. Educação Sexual na Formação e Professores: Caminhos para prevenção da violência sexual contra crianças e adolescentes. 2021.

COELHO, C. S.; AMORIM, I. B.; CASTRO, S. D. B. Desafios da família na atualidade: perspectivas sobre a educação e religião. Religare, 2019.

DEMO, P. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2011.

DUBET, François. Mutações cruzadas: a cidadania e a escola. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v 16, n. 47, p. 289-305, maio/ago. 2011.

GABEL, M. Crianças vítimas de abuso sexual. São Paulo: Summus Editorial,1997.

NEVES, A. M. S. et al. Abuso sexual contra a criança e ao adolescente: reflexões interdisciplinares. Temas em Psicologia. vol. 18, n° 1, 2010.

PENCO, A. O projeto “escola que protege” em Dourados/MS : prevenção da violência sexual infanto-juvenil no âmbito educacional. Dourados, MS. UFGD, 2015.

SOARES, C. M. Psicopedagogia Clínica X Dificuldades na Aprendizagem: Consequências do Abuso Sexual de Crianças Institucionalizadas. Disponível em: <http://www.Psicopedagogia.com.br, 2009.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2001.

VIODRES, S. R. RISTUM, M. Violência sexual: caracterização e análise de casos revelados na escola. Estud. psicol. (Campinas) [online], vol.25, n.1, pp.11-21, 2008.

VOLNOVICH, J.R. Abuso sexual na infância. Rio de Janeiro: Lacerda, 2005.

Publicado
2022-10-14
Métricas
  • Visualizações do Artigo 65
  • PDF downloads: 48
Como Citar
LIMA, M. C.; COSTA, A. S.; DE ARAÚJO, E. P. DESAFIOS NO ÂMBITO ESCOLAR COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL. Diálogos e Perspectivas Interventivas, v. 3, p. e15313, 14 out. 2022.
Seção
Dossiê Temático EDUCAÇÃO E CIDADANIA: REFLEXÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS