FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: A INCORPORAÇÃO DIALÓGICA DO DIREITO DE APRENDIZAGEM NOS ANOS INICIAIS

Palavras-chave: Aprendizagem;, Direito de Aprender;, Formação de Professor;

Resumo

O presente artigo apresenta reflexões acerca da incorporação dialógica entre o direito de aprender e os processos que envolvem a formação de professores da educação básica. Tem como objetivo refletir e discutir sobre os processos que envolvem a aprendizagem, o direito de aprender e a formação continuada de professores como promoção da aprendizagem. Como aporte teórico, utilizamos Candau (2008, 2011) e Arroyo (2015), que discutem sobre o direito de aprender, Vygotsky (1991), Wallon (1995), Ciasca (2003), sobre os processos de aprendizagem, Tardif (2014), Nóvoa (2009) e Gatti (2012), autores que contribuíram com este estudo com relação à temática formação de professores. O trabalho tem caráter exploratório-descritivo, pois usamos como metodologia a pesquisa bibliográfica de caráter qualitativo. O estudo revelou ser necessário entender a formação continuada de professores como um processo reflexivo, dialógico e transformador da realidade e, para que a aprendizagem aconteça, não basta formar o professor, é preciso aproximar os sujeitos de forma horizontal. Com efeito, busca-se uma formação de educadores que seja capaz de favorecer a construção de cidadãos críticos e reflexivos, tendo em vista ser este um caminho propício à luta por uma proposta educativa democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érica Santos Araújo, Coordenadora Pedagógica na Secretaria Municipal de Educação em Serrinha-BA

Especialização em Tecnologias digitais aplicadas à educação pela Faculdade do Grupo UNIASSELVI, FAMESUL.

Leilany Marry Brizolara Silva, Preceptora dos cursos de Pedagogia e Serviço Social da Universidade Paulista (UNIP)

Especialização em Psicopedagogia pela Faculdade Regional de Filosofia, Ciências e Letras de Candeias, FAC.

Mariana Lopes de Queiroz, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Especialização em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela Faculdade Euclides da Cunha, FAEC.

Referências

AMORIM, Ivonete Barreto de; RABINOVICH, Elaine Pedreira. Ser estudante para continuar sendo docente: olhares migrantes sobre a formação no ensino superior. In: ROCHA, Nívea Maria Fraga; RABELO, Patrícia Fraga Rocha. (org.). Educação, desenvolvimento humano e responsabilidade social: fazendo recortes na multidisciplinaridade. Salvador: Étera, 2013. p. 107-26.

ARROYO, Miguel G. O direito à educação e a nova segregação social e racial - Tempos insatisfatórios?. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 3, p.15 -47, jul.-set., 2015.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 29 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 set. 2022.

BRASIL. Lei nº 11.274, de 06 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos arts. 29, 30, 32 e 87 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei nº 11.274. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11274.htm. Acesso em: 10 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

BRASIL. Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm. Acesso em: 30 ago. 2022.

BRASIL. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF., 26 jun 2014. Disponível em: https://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014. Acesso em: 30 ago. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Referenciais para a formação de professores. Brasília: MEC/SEF, 2002.

CANDAU, Vera Maria. Direitos Humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 37, p. 45-56, jan./abril, 2008.

CANDAU, Vera Maria. Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem fronteiras, v. 11, n. 2, p. 240-255, jul./dez., 2011.

CIASCA, Sylvia Maria. Apresentação. In: CIASCA, Sylvia Maria. (org.) Distúrbios de Aprendizagem: proposta de avaliação interdisciplinar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

CODO, Wanderley; GAZZOTTI, Andrea Alessandra. Trabalho e Afetividade. In: CODO, Wanderley. (coord.) Educação, Carinho e Trabalho. Petrópolis-RJ: Vozes, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 34. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

GAUTHIER, Clermont. Apresentação. In: Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijui: UNIJUI, 1998. p.17-37.

GAUTHIER, Clermont; TARDIF, Maurice; MAGALHAES, Lucy. Teorias e práticas da antiguidade aos nossos dias. Editora VOZES, ISBN 853262426X, 9788532624260. págs. 480, 2014.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de professores e profissionalização: contribuições dos estudos publicados na Ebep entre 1998 e 2011. Estudos RBEP, Brasília, v. 93, p. 423-442, maio/ago. 2012.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Políticas docentes no Brasil: um estudo da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2014.

LEITE, Sérgio Antônio da Silva. Afetividade nas práticas pedagógicas. Periódicos Eletrônicos em Psicologia, 2012, v. 20, 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1413-. Acesso em: 23 ago. 2022.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-V). Tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento et al. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MORAIS, Maria Cândida. (org.). Educação a distância: fundamentos e práticas. Campinas: SP, 2002. Disponível em: http://www.nid.unicamp.br/oea. Acesso em: 20 ago. 2022.

NÓVOA, Antônio. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. In: NÓVOA, Antônio. Professores Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009. p. 25-45.

NÓVOA, ANTONIO. Vidas de Professores. Porto: Porto Editora, 1995.

PIAGET, Jean. Biologia e conhecimento: ensaio sobre as relações entre as regulações orgânicas e os processos cognoscitivos. 4. ed. Petrópolis: Editora Vozes. [1967] 2003.

PIAGET, Jean. Seis Estudos de Psicologia. 24. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

SANTOS, Boaventura de Souza. Pelas mãos de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

SANTOS, Boaventura de Souza. A Gramática do tempo: Para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

SOUZA, Maria Thereza Costa Coelho de. As relações entre afetividade e inteligência no desenvolvimento psicológico. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 27, n. 2, p. 249-254, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ptp/a/byCS7FDbNwLSZZNRmBSvdJD/?lang=pt. Acesso em: 30 ago. 2022.

TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. Imaginação e Criatividade na Infância. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

WALLON, Henri. As origens do pensamento na criança. São Paulo: Manole, 1986.

WALLON, Henri. A evolução psicológica da criança. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1995.

Publicado
2022-10-06
Métricas
  • Visualizações do Artigo 61
  • PDF downloads: 41
Como Citar
ARAUJO, E. S.; SILVA, L. M. B.; QUEIROZ, M. L. DE. FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: A INCORPORAÇÃO DIALÓGICA DO DIREITO DE APRENDIZAGEM NOS ANOS INICIAIS. Diálogos e Perspectivas Interventivas, v. 3, p. e15277, 6 out. 2022.
Seção
Dossiê Temático EDUCAÇÃO E CIDADANIA: REFLEXÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS