Por uma (im)possível teoria da justiça no livro I da República

  • Flávio Clementino Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

Resumo

O objetivo desse artigo é apresentar a posição que Kerferd assume em seu artigo The doctrine of Thrasymachus in Plato’s Republic, sobre a teoria da justiça defendida por Trasímaco no primeiro livro da República. Em seu artigo, Kerferd elenca quatro teses (nihilismo, legalismo, direito natural e egoísmo psicológico), refuta três delas, sustentando a posição do direito natural. Kerferd em sua argumentação aproxima Trasímaco (República) ao Cálicles, interlocutor de Sócrates no diálogo Górgias, afirmando que as teses defendidas por ambos são semelhantes. Em nossa argumentação mostramos que há problemas na posição de Kerferd e não há necessariamente a defesa de uma teoria da justiça por parte do sofista, sendo este apenas uma materialização da visão de seu tempo, que deve ser refutada para sua sustentação em outras bases.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Clementino, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

Graduado em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre em Educação Tecnológica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Atualmente professor da disciplina de Filosofia da Educação na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia. Possui interesse nas temáticas sobre os usos dos mitos nos diálogos platônicos, retórica e teoria da argumentação.

Publicado
2022-07-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 103
  • pdf downloads: 36
Como Citar
CLEMENTINO, F. Por uma (im)possível teoria da justiça no livro I da República. Anãnsi: Revista de Filosofia, v. 3, n. 1, p. 73-82, 28 jul. 2022.