Educação e dever de memória: as possibilidades de emancipação na sociedade de mercado

Pedro Savi Neto

Resumo


O presente artigo, fundamentado em uma pesquisa teórica, tem como objetivo
analisar algumas consequências do direcionamento cada vez mais explícito e
intenso da educação para o atendimento de interesses econômicos, a partir
do ferramental teórico da Teoria Crítica da Sociedade, em especial do Novo
Imperativo Categórico de Theodor W. Adorno. Partindo desse relacionamento
cada vez mais íntimo, pretende-se pensar as possibilidades de emancipação do
sujeito pela educação no interior de um mundo administrado por interesses
econômicos. Em contraposição a isso, será tensionada a tarefa fundamental da
educação com o dever de memória, tal qual tematizado por Reyes Mate.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2019.v28.n54.p111-124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

  Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0