DESAFIOS PARA A INOVAÇÃO PEDAGÓGICA NA UNIVERSIDADE DO SÉCULO 21

Denise Leite

Resumo


As inovações que se desenvolvem nas universidades contem-porâneas refletem exigências das agências de avaliação ou de fomento à pesquisa, ou ainda demandas do setor produ-tivo. De certa forma, tais inovações têm caráter de inovação tecnológica e se destinam a ampliar as alternativas de inserção nos mercados globais. A inovação tecnológica tem relevância para os países integrados ao mundo competitivo. O desafio da universidade, no entanto, está em colocar ao lado da inovação tecnológica, a inovação pedagógica. Neste artigo, discuto o tema com apoio em pesquisas recentes.
Entendo que a inovação pedagógica responde ao compro-misso social de formação do humano docente e do humano aluno. Ela se afirma em uma universidade socialmente
empreendedora, uma universidade que forma para a cidadania democrática nos contextos contemporâneos, em suas contradições e paradoxos.


Texto completo:

PDF

Referências


BRAGA, Ana Maria e Souza; GENRO, Maria Elly Herz; LEITE, Denise Balarine Cavalheiro. Universidade Futurante:inova-

ção entre as certezas do passado e as incertezas do futuro. In: LEITE, Denise B. C.; MOROSINI, Marília (Org.). Univer-sidade Futurante: produção do ensino e inovação. Campinas: Papirus, 1997. p. 21-37.

BRASIL. Lei n. 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Lei da Inovação. Dispõe sobre incentivos à inovação à pesquisa

científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Brasília, DF, 2004. Disponível em:

www.mct.gov.br/index.php/content/view/3293.html>. Acesso em: 25 abr. 2012.

BRASIL. Lei n. 11.196, de 21 de novembro de 2005. Lei do Bem. Institui o Regime Especial de Tributação para a Plata-forma de Exportação de Serviços de Tecnologia da Informa-ção - REPES, o Regime Especial de Aquisição de Bens de Capital para Empresas Exportadoras – RECAP e o programa de Inclusão Digital; dispõe sobre incentivos fiscais para a inovação tecnológica dá outras providências. Brasília, DF, 2005. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2012.

CHARLOT, Bernard. O professor na sociedade contempo-rânea: um trabalhador da contradição. Revista da FAEEBA

– Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 30, p. 17-31, jul./dez. 2008.

FERNANDES, Cleoni Maria Barboza. Sala de aula universitária: ruptura, memória educativa, territorialidade – o desafio da construção pedagógica do conhecimento. 1999. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Univer-sidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HARVEY, Lee. Rankings of Higher Education Institutions: A Critical Review. Quality in Higher Education, v.14, n. 3, p. 187-207, Nov. 2008.

LEITE, Denise Balarine Cavalheiro. Innovaciones en la educa-ción universitaria. In: CSE/UDELAR. Primer Foro Innovaciones Educativas en la Enseñanza de Grado. Montevideo: CSE/Udelar; AUGM; Iesalc/Unesco, 2002. p. 45-53.

______. Innovaciones pedagógicas: desafios para l@s hij@s de Rousseau. In: MÁRQUEZ, Alma Herrera; ZAGAL,

Maricruz Moreno; CUEVAS, Lourdes Medina. Innovación y Curriculum. Desafíos para una convergência necessária. México: UAEM, 2003. p. 91-112.

______ et al. Inovação na zona cinzenta de transição. Cadernos de Educação FAE, Pelotas, v. 6, n. 8, p. 75-94,

jan./jun. 1997.

______; FERNANDES, Cleoni Maria Barboza. Indicadores de inovação pedagógica na universidade. In: MOROSINI,

Marilia Costa (Org.). Qualidade na educação superior: reflexões e práticas investigativas. Porto Alegre:EdiPUCRS, 2011. p. 293-312. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2012.

______; GENRO, Maria Elly Herz; BRAGA, Ana Maria e Souza. Inovação e Pedagogia Universitária. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2011.

LUCARELLI, Elisa. Innovaciones en el contexto de la relación universidad-sociedad. In: MOROSINI, Marilia;LEITE, Denise Balarine Cavalheiro (Org.). Universidade e integração no Cone Sul. Porto Alegre: Editora daUFRGS, 1992.

LUZ, Madel. Notas sobre a política de produtividade em pesquisa no Brasil: consequências para a vida acadêmica, a

ética no trabalho e a saúde dos trabalhadores. Política & Sociedade, Florianópolis, v. 7, n. 13, p. 205-228, out. 2008.

______. Perda de ética no trabalho acadêmico: geração de sofrimento e doença entre os trabalhadores universitários

a partir do produtivismo como valor fim entre os pesquisa-dores. In: PINHEIRO, Roseni; MATTOS, Ruben (Org.).

Razões públicas para a integralidade em saúde: o cuidado como valor. Rio de Janeiro: CEPESC; IMS; UERJ;ABRASCO, 2007. p. 357-368.

NEWFIELD, Christopher. The structure and silence of the cognotariat. Globalization, Societies and Education,Bristol, v. 8, n. 2, p. 175-189, Jun. 2010.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E O DESENVOLVI-MENTO ECONÔMICO – OCDE; GABINETEESTATÍSTICO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS – Eurostat. Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inova-ção. Brasília, 2005. Disponível em:

arquivos/manual_de_oslo/cap3_02_inovacao.html>. Acesso em: 23 abr. 2012.

SÁENZ, Tirso; SOUZA PAULA, Maria Carlota de. onsiderações sobre Indicadores de Inovação para América Latina. Interciencia, Caracas, v. 27, n. 8, p. 430-437, ago. 2002.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

______. A Universidade no Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. São Paulo: Cortez, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n38.p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2358-0194

 Classificação Qualis CAPES:

 Educação - A2

  Indexadores:

       

      

   

      

 

  Localização dos Acessos:


 

  Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0