Veredas epistêmicas e metodológicas da poesia oral

Resumo

No seio da Literatura, a poesia oral, ou as poéticas da oralidade como um todo, abarcam metodologias de análise que se diferem daquelas da Crítica e Teoria Literárias conservadoras e tradicionalistas, uma vez que seu amplo suporte teórico e conceitual relaciona o escopo literário com muitos outros campos epistêmicos, como o do teatro, da música, da antropologia, da sociologia, da etnologia, entre outros. Em vista disso, este trabalho aspira discutir alguns pontos teóricos no que concerne à poesia oral e sua genealogia nas culturas populares, incursionando em suas interfaces metodológicas e epistemológicas. Para tanto, nos pautamos em uma revisão de literatura de textos e pesquisas de autores como: Zumthor (1993), Fernandes (2007), Culler (1999), Santos (1994), Burke (1989), entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Santos Xavier, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Mestrando em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), graduado em Letras, Língua Portuguesa e Literaturas pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Integrante do Grupo de Pesquisa Linguagens, Estudos Culturais e Formação do Leitor (LEFOR).

Denise Dias de Carvalho Sousa, Universidade do Estado da Bahia (UNEB) - DCH - Campus IV

Doutora em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS). Docente da Universidade do Estado da Bahia (UNEB – DCH IV) na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação e Diversidade (PPED). Líder do Grupo de Pesquisa Linguagens, Estudos Culturais e Formação do Leitor (LEFOR).

Referências

ARAÚJO, N. A. Na cadência das águas do Velho Chico: poética oral do samba de roda ribeirinho. 220 f. Il. 2015. Tese (Doutorado) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia. Salvador, 2015.

BURKE, P. Cultura popular na idade moderna: em busca da cultura popular. Campinas: Companhia das Letras, 1989.

COSTA, E. S. Cultura Brasileira: singular e plural. In: COSTA, Edil Silva. Sete estudos de literatura oral e cultura popular. Salvador: EDUNEB, 2016.

COSTA, E. S.; FERNANDES, F. A. G.; ARAÚJO, N. A. (Orgs.). Vozes, performances e arquivos de saberes. Salvador: Eduneb, 2018.

CULLER, J. Teoria literária: uma introdução. Trad. Sandra Vasconcelos. São Paulo: Beca Produções Culturais Ltda., 1999.

DÖRING, K. As vozes nas tradições orais – poéticas sonoras!. In: COSTA, E. S.; FERNANDES, F. A. G.; ARAÚJO, N. A. (Orgs.). Vozes, performances e arquivos de saberes. Salvador: Eduneb, 2018. p. 249-290.

FERNANDES, F. A. G. A voz e o sentido: poesia oral em sincronia. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

HALL, S. Notas sobre a desconstrução do “popular”. In: HALL, S. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Liv Sovic (Org.). Trad. Adelaine La Guardia Resende et al., Belo Horizonte: Editora da UFMG/Humanitas/Unesco, 2003.

MATTELART, A.; NEVEU, É. Introdução aos estudos culturais. Trad. Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2004.

SANTOS, J. L. dos. O que é cultura. 14. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

XAVIER, L. S. Diálogos literários e identitários na chula “Tempo da Fartura”, cantada por um grupo de samba de roda do sertão baiano. Anais: Edição 2018 – XIV ENECULT (Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura). CULT/UFBA. Salvador, 2018.

ZUMTHOR, P. A letra e a voz: a “literatura” medieval. Trad. Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

ZUMTHOR, P. Introdução à poesia oral. Trad. Jerusa Pires Ferreira et al. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

ZUMTHOR, P. Performance, recepção, leitura. Trad. Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich. 1. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2014.
Publicado
2022-06-23
Métricas
  • Visualizações do Artigo 130
  • PDF downloads: 159
Como Citar
XAVIER, L. S.; SOUSA, D. D. DE C. Veredas epistêmicas e metodológicas da poesia oral. Tabuleiro de Letras, v. 16, n. 1, p. 116-126, 23 jun. 2022.
Seção
ARTIGOS