Emoção e argumentação: um estudo das cartas de romeiros endereçadas ao Padre Cícero

Resumo

Este artigo objetiva analisar os aspectos argumentativos presentes em cartas de romeiros endereçadas ao Padre Cícero, com o intuito de observar de que maneira os escritores expressam emoções no discurso e que aspectos extralinguísticos e linguísticos são utilizados no sentido de construir essas impressões emocionais nas cartas. Como aportes teóricos, a pesquisa se fundamenta nos princípios defendidos por Amossy (2018), Bakhtin (2016) e Braga (2007). O corpus da investigação se constitui de cinco (05) cartas e, com base nesses textos, os resultados revelam que os produtores acionam as emoções (pathos) no discurso (logos), considerando a imagem (ethos) revelada de si, estando, portanto, esses três princípios (ethos, logos e pathos) articulados na empreitada persuasiva. Nessa construção, a imagem do locutor alcança uma dimensão valorativa graças aos aspectos interacionais envoltos nos contextos sociais, culturais e enunciativos os quais incluem a esfera cotidiana e familiar como mediadora e reguladora dos efeitos emocionais, além dos recursos linguísticos utilizados para instigar os efeitos patêmicos suscitados nas cartas de romeiros. Os aspectos emocionais funcionam como parte integrante do discurso na tentativa de influenciar o outro, considerando, sobretudo, as subjetividades do auditório.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edmar, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutora em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (PosLA), da Universidade Estadual do Ceará (UECE); Mestra em Letras pelo Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Professora Adjunta do Departamento de Letras Vernáculas (DLV), da Faculdade de Letras e Artes (FALA) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras/UERN, Campus Avançado de Pau dos Ferros/RN.

Marcia, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Mestra em Letras pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte - UERN. Pós-graduada em gestão escolar pela UFC - Universidade Federal do Ceará; Pós-graduada em Língua Portuguesa e Arte Educação, e licenciada em Letras pela Universidade Regional do Cariri - URCA. Professora de Língua Portuguesa no Estado do Ceará. 

Maria José, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutoranda em Letras, pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (PPGL/UERN/CAPF), mestra em Letras, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PROFLETRAS/UFRN). Professora de Língua Portuguesa do quadro efetivo da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura do Rio Grande do Norte (SEEC/RN).

Talita, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutoranda em Letras, pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (PPGL/UERN/CAPF); Mestra em Letras, pelo Programa de Pós-graduação em Letras (PPGL) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Professora efetiva de Língua Portuguesa na Educação Básica.

Referências

AMOSSY, R. A argumentação no Discurso. Tradução (coord.): Eduardo Lopes Pires e Moises Olímpio Ferreira. São Paulo: Contexto, 2018.

ARISTÓTELES. Retórica das paixões. Trad. do grego Isis Borges B. da FONSECA. Prefácio de Michel MEYER. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

ARISTÓTELES. Retórica. Trad. de Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena, Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2005 (Biblioteca de Autores Clássicos).

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016.

BRAGA, A. M. C. Padre Cícero: sociologia de um padre, antropologia de um santo. 2007. 419f. Tese (Doutorado em Antropologia Social), Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BRANCO, N. M. O dialogismo e a construção de sentido nas cartas encíclicas do Papa Bento XVI. 2012. 170f. Dissertação (Mestrado em Linguística), Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

FIORIN, J. L. Argumentação. 1. ed. São Paulo: Contexto, 2018.

NASCIMENTO, J. A relação entre lógica, páthos e éthos na Arte Retórica de Aristóteles. Anais de Filosofia Clássica, Rio de Janeiro, v. 9, n. 17, p. 38-60, 2015. ISSN 1982-5323 Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/FilosofiaClassica/article/view/1431/2689. Acesso em 25 ago. 2020.

NASCIMENTO, R. L. O gênero carta de romeiros escrita pelos devotos do Padre Cícero: da estrutura e do uso à conceituação. 2018. 238f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada), Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

RAMOS, F. R. L. Papel Passado – Cartas entre os devotos e o Padre Cícero. Fortaleza: Instituto Frei Tito de Alencar, 2011.
RODRIGUES-ALVES, M.S.; RADI, A.R. Uma conexão cósmica passional: o desastre pensado por Pasternak. In: FIGUEIREDO, M. F.; FERREIRA, F. A.; RODRIGUES-ALVES, M. S. (org.) O animal que nos habita: a retórica das paixões em Relatos Selvagens. Vários autores. Franca, SP: Unifran, 2016. 208 p.

ROJO, R. Gêneros do discurso e gêneros textuais: questões teóricas e aplicadas. In: MEURER, J. L.; BONINI, A.; MOTA-ROTH, D. (org.). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 184-207.

VOLÓCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. 1. ed. São Paulo: Editora 34, 2017.
Publicado
2021-12-22
Métricas
  • Visualizações do Artigo 43
  • PDF downloads: 45
Seção
ARTIGOS