Poéticas Errantes e Andarilhas

sujeitos e processos educativos na EJA

Autores

Palavras-chave:

Poéticas de vida-formação, Literatura, Educação Emancipadora

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar as poéticas errantes e andarilhas de sujeitos da EJA, por meio das vozes literárias, que resultam das imersões dos/as pesquisadores/as na realidade alagoana, enquanto docentes em instituições de ensino básico e superior. Nesse sentido, é dado ênfase as narrativas de Carolina Maria de Jesus e Conceição Evaristo, que representam as vidas oprimidas de pessoas em um Brasil que não pensava em políticas públicas para aqueles que pertenciam a uma determinada classe social. Nesse percurso, caracterizamos a poética da vida percebida na leitura do livro Quarto de Despejo – da primeira autora citada–, tendo este sido trabalhado na graduação em Pedagogia da Ufal, nas turmas que cursavam a disciplina de EJA. Tal itinerário é entremeado com a potência com que Conceição Evaristo, em Becos da Memória, constrói as personagens: crianças, mulheres e homens que lutam por um mundo em que suas existências sejam consideradas.  Ressaltamos, que as perspectivas teóricas em que temos nos baseado, precipuamente a teoria freireana, que abarca os silêncios, os sussurros, e as caminhadas dos esfarrapados do mundo, os proibidos de ser, bem como os pressupostos do historiador francês Michel de Certeau, ao falar sobre os anônimos da história e defender uma cultura no plural. Entende-se, portanto, a partir das leituras dos autores e autoras referidas, a necessidade de se construir uma educação provocativa que sustente a formulação de currículos potentes, nos quais as culturas e saberes enlacem as vozes dos educandos e educadores, buscando privilegiar uma ação fundamentada e embasada nos temas e problemas das suas realidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andresso Marques Torres, Universidade Federal de Alagoas

Doutorando e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Alagoas (PPGE/Ufal). Licenciado em Pedagogia pela Universidade Estadual de Alagoas. Membro do Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Educação de Jovens e Adultos – Multieja/CNPq.

Ana Luísa Tenório dos Santos, Universidade Federal de Alagoas

Doutoranda, Mestra em Educação e Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Integrante do Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Educação de Jovens e Adultos – Multieja/CNPq.

Marinaide Lima de Queiroz Freitas, Universidade Federal de Alagoas

Doutora em Linguística. Professora e pesquisadora no campo da Educação de Jovens e Adultos do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira (PPGE) do Centro de Educação  da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Líder do grupo de pesquisa Multidisciplinar em EJA (MULTIEJA). É coordenadora do Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão sobre Alfabetização (Nepeal), Cedu/Ufal. É membro do GT 18 - Educação de Pessoas Jovens e Adultos   da Anped e também, da Cátedra Paulo Freire da Universidade Federal Rural  de Pernambuco e  do Fórum Alagoano de Educação de Jovens e Adultos (FAEJA).

Valéria Campos Cavalcante, Universidade Federal de Alagoas

Doutora em Educação. Atua como professora do curso de Pedagogia e do Programa de Pós – Graduação em Educação do Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas.Líder do Grupo Pesquisa em Educação, Currículo e Diferença (GEDIC) e Integrante do Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Educação de Jovens e Adultos – Multieja/CNPq e membro do Fórum Alagoano de Educação de Jovens e Adultos (FAEJA

Referências

CARERI, Francesco. Walkscapes: o caminhar como prática estética. 1. ed. São Paulo: Editora G. Gili, 2013.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. 22, ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2014 EVARISTO, Conceição. Becos da Memória. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

FREIRE, Paulo. Ação Cultural para a Liberdade: e outros escritos. 12. Ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 61ª edição. Rio de Janeiro/São Paulo. Paz e Terra. 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 73ª edição. Rio de Janeiro/São Paulo. Paz e Terra. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido, 29ªed. São Paulo/Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2021a.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Indignação. cartas pedagógicas e outros escritos. FREIRE, Ana Maria (ORG.)6ªed. São Paulo: Paz e Terra, 2021b.

JESUS, Carlina Maria de. Quarto de Despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Ática, 1993.

SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo. Uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed, 1999.

SKLIAR, Carlos. O ensinar enquanto travessia. Salvador: Edufba, 2014.

SANTOS, Boaventura de Souza. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências, Revista Crítica de Ciências Sociais, 2002.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-11-20

Como Citar

MARQUES TORRES, A.; TENÓRIO DOS SANTOS, A. L.; LIMA DE QUEIROZ FREITAS, M.; CAMPOS CAVALCANTE, V. Poéticas Errantes e Andarilhas: sujeitos e processos educativos na EJA. Revista Internacional de Educação de Jovens e Adultos, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 96–108, 2023. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rieja/article/view/19115. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê 11 10 Anos Comemorativos do MPJA: o legado na pesquisa e inserção social