Caminhos e possibilidades para o Atendimento Educacional Especializado de jovens e adultos

Autores

Palavras-chave:

Prática Educativa, Atendimento Educacional Especializado, Educação de Jovens e Adultos

Resumo

O propósito deste estudo é examinar a relação entre a Educação Especial e a Educação de Jovens e Adultos (EJA), destacando a abordagem pedagógica freireana como um potencial meio para conduzir jovens e adultos com deficiência na direção de sua emancipação sócio-acadêmica. Para isso, inicialmente, realizaremos uma análise histórica das normas e regulamentos que fundamentaram a Educação Especial no Brasil, concentrando-nos, especialmente, no seu principal componente de intervenção, o Atendimento Educacional Especializado (AEE). Posteriormente, discutiremos sobre as especificidades dos indivíduos que atualmente integram a EJA, dentre eles estão os jovens e adultos com deficiência. A partir dessas análises e discussões, apresentaremos a visão freireana de prática educativa e como ela pode revelar-se como um caminho propício para a emancipação sócio-acadêmica dos educandos da EJA no contexto do AEE. Baseamos nossa abordagem teórica principalmente nos trabalhos do educador Paulo Freire e nas diretrizes legais e normativas relacionadas à Educação Especial e a EJA. Em síntese, conclui-se que a prática educativa do profissional do AEE deve ser centrada na emancipação dos educandos, valorizando suas capacidades, estimulando suas potencialidades e buscando uma formação em prol de transformações sociais com vistas a uma sociedade mais inclusiva e democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, M. A. F. P. Percepções docentes sobre a inclusão de estudantes com deficiência na Educação de Jovens e Adultos: (im) possibilidades no âmbito da formação continuada. Orientador: Patrícia Carla da Hora Correia. 2018. 129 f. Dissertação (Mestrado em Educação de Jovens e Adultos) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2018. Disponível em: http://www.cdi.uneb.br/site/?cat-trabalhos-academicos=dissertacoes-do-mpeja&termo=filtro-todos&termo-valor=Ara%C3%BAjo. Acesso em: 1 ago. 2023.

ARROYO, M. G. Educação de jovens-adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, L.; GIOVANETTI, M. A. G. C.; GOMES, L. L. (Org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

BARROS, M. C. S. Do papel reciclado ao papel social: a arte terapia e a arte educação no processo de inclusão de estudante da EJA com deficiência intelectual. Orientador: Patrícia Carla da Hora Correia. 2021. 147 f. Dissertação (Mestrado em Educação de Jovens e Adultos) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2021. Disponível em: http://www.cdi.uneb.br/site/?cat-trabalhos-academicos=dissertacoes-do-mpeja&termo=filtro-todos&termo-valor=barros. Acesso em: 1 set. 2023.

BENEVIDES, M. V. Cidadania e Direitos Humanos. Disponível em: www.iea.usp.br/artigos. Acesso em: 01 jul. 2022.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário oficial da União, Poder Legislativo.

BRASIL. Ministério da Educação e Desporto. Declaração dos Direitos das Pessoas Deficientes. 1975. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/dec_def.pdf . Acesso em: 20 de ago. de 2022.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei 7.853, de 24 de outubro de 1989. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7853.htm. Acesso em: 01 de jun. 2022.

BRASIL. Lei 13.146, de 6 de julho de 2015. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 7 jul., 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146 .htm. Acesso em: 20 de abr. de 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC, jan. 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 20 abr. 2022.

BUDEL, G. C.; MEIER, M. Mediação da aprendizagem na educação especial. Curitiba: InterSaberes, 2012.

BUENO, O. M.; OLIVEIRA, R. de C. S. Atendimento Educacional Especializado para estudantes com deficiência intelectual na Educação de Jovens e Adultos: vozes da pesquisa científica na área (2008-2020). Revista Educação Especial, [S. l.], v. 35, p. e2/1–26, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/65908. Acesso em: 22 jan. 2022.

CARVALHO, E. N. S. Educação especial e inclusiva no ordenamento jurídico brasileiro. Revista Educação Especial, [S. l.], v. 26, n. 46, p. 261–276, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/4662. Acesso em: 31 jul. 2021.

DANTAS, T. R. A educação de jovens e adultos: singularidades e perspectivas. Revista Internacional de Educação de Jovens e Adultos, v. 1, n. 1, p. 72-88, 11. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rieja/article/view/5256. Acesso em: 22 jun. 2022.

DIAS, S. S.; OLIVEIRA, M. C. S. L. Deficiência intelectual na perspectiva histórico-cultural: contribuições ao estudo do desenvolvimento adulto. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 19, n. 2, p. 169-182, 2013.

DUPIN, A. P. S. Q.; SILVA, M. O. Educação Especial e Legislação brasileira: revisão de literatura. Scientia Vitae. Edição especial. Vol 10. n. 29. p. 65. 2020. Disponível em: http://revistaifspsr.com/v10n297690.pdf. Acesso em: 01 jul. 2021.

ELOY, A. C. M.; COUTINHO, L. C. S. O direito à educação na perspectiva da pedagogia histórico-crítica e a educação especial. Revista Educação Especial, Santa Maria/RS, v. 33, 2020, pp. 1-20. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/41161/pdf. Acesso em: 07 jun. 2022.

FALCÃO, A. P. A inclusão de jogos digitais educativos na Sala de Recursos Multifuncional. 2020. 78 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos) - Programa de Pós-graduação em Educação de Jovens e Adultos - MPEJA. Departamento de Educação, Campus I, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Salvador, 2020. Disponível em: http://www.cdi.uneb.br/site/?cat-trabalhos-academicos=dissertacoes-do-mpeja. Acesso em: 12 mai. 2022.

FIORI, E. M. Aprender a dizer a sua palavra (Prefácio). In: FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, n. 14, p. 108-130, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 32. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, P. Educação e Mudança. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

JANNUZZI, G. Algumas Concepções de Educação do Deficiente. Revista. Brasileira. Ciência e Esporte. Campinas, v.25, n.3, p.9-25, 2004. Disponível: http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/235. Acesso em 10 mai. 2021.

LANNA J.; MARTINS M. C. História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2010.

MAIA, H. C. A.; PAZ, J. S.; DANTAS, T. R. Quem é e o que faz o estudante da Educação de Jovens e Adultos? In: AMORIM, A; DANTAS, T. R.; FARIAS, E. M. S. Identidade, Cultura, Formação, Gestão e Tecnologia na Educação de Jovens e Adultos. Salvador: EDUFBA, 2016. p. 29-52.

MENDES, E. G. Breve histórico da educação especial no Brasil. Revista Educación y Pedagogía, Medellín, v. 22, n. 57, p. 93-109, 2010. Disponível em: https://revistas.udea.edu.co/index.php/revistaeyp/article/download/9842/9041/. Acesso em: 11 mai. 2022.

SANTANA, L. B. C. D. Educação de Surdos e deficientes auditivos no contexto da EJA prisional: Possibilidades de Formação Docente no Colégio Professor George Fragoso Modesto. Orientador: Patrícia Carla da Hora Correia. 2019. 76 f. Dissertação (Mestrado em Educação de Jovens e Adultos) - Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2019. Disponível em: http://www.cdi.uneb.br/site/?cat-trabalhos-academicos=dissertacoes-do-mpeja&termo=filtro-todos&termo-valor=Santana. Acesso em: 1 set. 2023.

SANTOS, J. S.; PEREIRA, M. V.; AMORIM, A. Os sujeitos educandos da EJA: um olhar para a diversidade. Revista Internacional de Educação de Jovens e Adultos, Salvador, v. 1, n. 1, p. 122-135, 2018. Disponível em: https://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/14598/2/Os_sujeitos_educandos_da_EJA_um_olhar_para_as_diversidades.pdf. Acesso em: 4 maio 2022.

SASSAKI, R. K. Inclusão: Construindo uma sociedade para todos. 8. ed. Rio de Janeiro: WVA, 2010.

UNESCO. Declaração de Salamanca: sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca, 1994. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em 20 de abr. de 2022.

UNICEF BRASIL. Declaração Universal dos Direitos Humanos, 1948. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-universal-dos-direitos-humanos. Acesso em: 20 de abr. 2022.

TRENTIN, V. B. Escolarização de jovens e adultos com deficiência nas pesquisas de pós-graduação no período de 2009 a 2015. Revista Educação Especial, [S. l.], v. 29, n. 55, p. 361–372, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/19693. Acesso em: 30 jan. 2023.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-11-20

Como Citar

RIBEIRO, R.; CARLA DA HORA CORREIA, P. Caminhos e possibilidades para o Atendimento Educacional Especializado de jovens e adultos. Revista Internacional de Educação de Jovens e Adultos, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 188–201, 2023. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rieja/article/view/18450. Acesso em: 25 fev. 2024.