Reflexões Sobre A Literatura No Dizer Dos Velhos

gêneros textuais no ensino de língua portuguesa na escola

Autores

Palavras-chave:

Gêneros textuais orais, Conto de tradição, Memória dos mais velhos, Educação de Jovens e Adultos, Contadores de Histórias

Resumo

No presente texto, expõe-se um breve estudo bibliográfico que tem como principal objetivo promover uma reflexão em torno da importância do uso dos gêneros orais, especificamente, no contexto das aulas de Língua Portuguesa, dos Anos Finais do Ensino Fundamental - EJA. Para discutir as questões relacionadas às práticas de oralidade em sala de aula foram utilizados, como fundamentos para a reflexão, os documentos oficiais Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Propomos, neste artigo, pensar sobre as questões ligadas à figura dos velhos como contadores de histórias e do conto de tradição oral que povoa a memória desse narrador tradicional, a partir da perspectiva teórica oferecida nos estudos de Cascudo (2014) e Santos; Apoema; Arapiraca (2018), entre outros. Como resultado decorrente da reflexão proposta, evidencia-se que, ao se utilizar as práticas de produção de oralidade no contexto de sala de aula, a partir da escuta da memória de velhos, é possível identificar nos discursos orais uma ferramenta didática significativa ao âmbito educativo. Desse modo, o uso consciente dos gêneros orais configura-se como uma via para a preservação de valores, crenças, idiomas, linguagens, gestos e expressões culturais de um grupo social determinado, aspectos importantes para a formação do estudante, especialmente, aquela vinculada a educação de jovens e adultos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valdilene Jesus de Souza, Colégio Estadual Professor Isaías Aleixo

Mestre em Educação pelo Mestrado Profissional em Letras – PROFLETRAS – pela Universidade Estadual de
Feira de Santana (UEFS). Professora do Colégio Estadual Professor Isaías Aleixo Feira de Santana, Bahia, Brasil.

Luciene Souza Santos, Universidade Estadual de Feira de Santana

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora Titular da Universidade Estadual
de Feira de Santana (UESF). Feira de Santana, Bahia, Brasil.

Cristian Javier Lopez, Universidade Estadual do Maranhão

Pós-doutorando em Literatura, Memória e Cultura pela UEMA/MA – Bolsista CAPES/BRASIL. Doutor em Estudos Literários pela Universidade de Vigo/Espanha em regime de cotutela com a Universidade Estadual do
Oeste do Paraná/Brasil. Integrante do Grupo de Pesquisa “Ressignificações do passado na América: processos
de leitura, escrita e tradução de gêneros híbridos de história e ficção – vias para a descolonização”

Referências

BAKHTIN, Mikhail. (1952). A Estética da criação verbal. Traduzido diretamente do russo por Paulo Bezerra desde a quarta edição, em 2003. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Conselho Nacional de Educação.BNCC– Base Nacional Comum Curricular. Brasília DF. 2018.
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.
CÂNDIDO, Antônio. O direito à literatura. In: Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995.
CASCUDO, Câmara. Contos de Tradição Oral no Brasil. 1ª edição. São Paulo – SP: Global, 2014.
CASCUDO, Câmara. Literatura Oral no Brasil. 1ª edição digital. São Paulo – SP: Global, 2012.
CASTILHO, Ataliba Teixeira de. A língua falada no ensino de português. São Paulo: Contexto, 1998.
CODES, Silvia Correia de. Histórias de antigamente – Cultura e memória nas lavras diamantinas. Feira de Santana: UEFS Editora, 2013.
DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita: elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004.
KLEIMAN, Ângela B. Preciso “ensinar” o letramento? Não basta ensinar a ler e escrever? Série Linguagem e Letramento em foco. São Paulo: Unicamp, 2005.
MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. 3.ed. Editora Parábola, 2008.
ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.
SANTOS, Luciene Souza; APOEMA, Keu; ARAPIRACA, Mary de Andrade. (orgs.) Contação de Histórias – seguindo o curso das águas. 1ª edição: Feira de Santana. UEFS Editora, 2018.
ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. São Paulo: Hucitec, 1997.
ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz: a “literatura medieval”. Tradução de Amálio Pinheiro. São Paulo: Companhia das Letras,1993.

Downloads

Publicado

2023-01-20

Como Citar

SOUZA, V. J. de .; SANTOS, L. S. .; JAVIER LOPEZ, C. . Reflexões Sobre A Literatura No Dizer Dos Velhos : gêneros textuais no ensino de língua portuguesa na escola. Revista Internacional de Educação de Jovens e Adultos, [S. l.], v. 4, n. 08, p. 31–42, 2023. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rieja/article/view/16294. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê 8 Leitura, Literatura e Educação de Jovens e Adultos