Narrativas sobre a docência no contexto da pandemia: experiências de resistência e esperança

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n19.p1137-1154

Palavras-chave:

Pandemia, Docência, Resistência, Pesquisa Narrativa

Resumo

O artigo visa apresentar tessituras de narrativas de professoras no contexto da pandemia da Covid-19 no Brasil, em um esforço individual e coletivo de dar sentido ao vivido, trazendo diferentes experiências de vida e formação em situações diversas da docência. Neste sentido, por meio da escrita narrativa, as histórias constroem-se em articulação com a materialidade dos contextos imediatos dos grupos restritos: família, escola e trabalho, os quais vêm contribuindo para a construção de nossa cultura docente: ideias, crenças e percepções. Para isso, os relatos sinalizam processos formativos e educacionais sobre a perspectiva da pesquisa narrativa (auto)biográfica como investigação teórico e metodológica, buscando refletir sobre as condições de vida pessoal e profissional de cada professora como exercícios de resistência e produção de novas experiências para sua profissão. Para isso buscou-se as contribuições de Nóvoa, Benjamin, Josso, entre outros pesquisadores, sobre a formação de professores, o conceito de experiência e narrativas como processos formativos. As narrativas revelaram que embora nossas experiências sejam com segmentos diferentes da educação, elas nos unem e nos fazem constituir uma comunidade narrativa. Desafiadas pelo exercício da docência durante a pandemia, nos reinventamos, nos conectamos e produzimos novos sentidos para a docência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Santos Lima Lanter Lobo, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora assistente do curso de Pedagogia da Universidade Estácio de Sá. Professora colaboradora do curso de pós-graduação em Pedagogia Social para o Século XXI na UFF. Técnica em Assuntos Educacionais da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes) da UFF. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Processos de Formação Institucionais (Gepprofi) da UFF. 

Joelma da Conceição da Silva Henrique e Souza, Universidade Federal Fluminense

Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora de apoio especializado do município de São Gonçalo, Fundação Municipal de Educação de Niterói. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa de Processos Institucionais de Formação (Gepprofi) da UFF. 

Adriana Pires de Arezzo, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Mestre em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ) da Universidade Candido Mendes (UCAM). Professora assistente do Centro Universitário LaSalle-RJ (Unilasalle-RJ). Professora do Ensino Médio da Secretaria Estadual de Educação (SEEDUC-RJ). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa de Processos Institucionais de Formação (Gepprofi) da UFF

Verônica Fabiola Neves Rodrigues, Universidade Federal Fluminense

Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora da Educação Infantil da Prefeitura Municipal de Niterói (RJ). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa de Processos Institucionais de Formação (Gepprofi) da UFF. 

Penha Mabel Farias do Nascimento, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Pedagoga da Fundação Municipal de Educação (FME) de Niterói. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa de Processos Institucionais de Formação (Gepprofi) /UFF).

Andreia Viana da Silva Diniz, Universidade Federal Fluminense

Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora do Curso Normal do Instituto de Educação Clélia Nanci, Fundação Municipal de Educação (FME). Pedagoga do Programa Criança na Creche da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia de Niterói. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa de Processos Institucionais de Formação (Gepprofi) da UFF. 

Referências

BARBIERI, Stela. Interações: onde está a arte na infância? 3.ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher Ltda., 2017.

BARROS, Manoel. Exercício de ser criança. Rio de Janeiro: Salamandra, 1999.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet; 10. ed. São Paulo: Brasiliense, 2012. (Obras escolhidas; v. 1).

BOCCACCIO. Decamerão. Tradução de Torrieri Guimarães. São Paulo: Editora Nova Cultural Ltda, 2003.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Histórias de vida e formação de professores: diálogos entre Brasil e Portugal. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, 2010.

CUNHA, Maria Isabel da. Narrativas de Formação de Professores: Uma Abordagem Emancipatória. In: SOUZA, Elizeu C. e GALLEGO, Rita de Cássia (org.). Espaços, Tempos e Gerações: perspectivas (auto) biográficas. Ed. Cultura Acadêmica, 2010. p. 199-214.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica: projeto epistemológico e perspectivas metodológicas. In: Abrahão, Maria Helena Menna Barreto; PASSEGI, Maria da Conceição (Orgs.). Dimensões epistemológicas da pesquisa (auto) biográfica: Tomo I. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 71-93.

FERRAROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, Antônio; FINGER, Mathias. (Org.) O método (auto) biográfico e a formação. São PauloNatal: Editora da UFRN; Paulus, 2014.

GUIMARÃES ROSA, João. Grande Sertão: Veredas. 5 ed. Liv. José Olympio, 1967.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de Vida e Formação. 2 ed. EDUFRN. 2010.

LARROSA, Jorge. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

MARINAS, José Miguel. La escucha em lá história oral: palavra dada. Editorial Síntesis, 2007.

NÓVOA, Antônio. Conversa com António Nóvoa - A Educação em tempos de pandemia (COVID-19/Coronavirus). Canal do YouTube, 2020. Disponível em: https://youtu.be/FNF7iDpflo. Acesso em: 15 jul. 2020.

NÓVOA, António. Profissão professor. 2ª Ed. Portugal: Porto editora. 1999.

NÓVOA, António; FINGER, Matthias (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

NÓVOA, António. A formação tem que passar por aqui: as histórias de vida no Projeto Prosalus. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. (Org). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010. p. 143-175.

OLIVEIRA, Martha Khol de. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: Um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1997.

PASSEGGI, Maria da Conceição. A formação do formador na abordagem autobiográfica. A experiência dos memoriais de formação. In: SOUZA, Elizeu Clementino. Tempo, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS, Salvador: EDUNEB, 2006. p. 203-218.

PÉREZ, Carmen Lúcia Vida (Org.). Experiências e Narrativas em Educação Série: Experiências e narrativas. Niterói: Eduff, 2017.

RINALDI, Carla. Diálogos com Reggio Emilia: escutar, investigar e aprender. Tradução Vania Cury. São Paulo: Editora Paz & Terra, 2012.

SAMPAIO, Carmen Sanches; RIBEIRO, Tiago e SOUZA, Rafael de. Conversa como metodologia de pesquisa - uma metodologia menor? In: SAMPAIO, Carmen Sanches; RIBEIRO, Tiago e SOUZA, Rafael de (Orgs.). Conversa como metodologia de pesquisa: por que não? – Rio de Janeiro: Ayvu, 2018. p. 21-40.

TERRAGROSA, Apolline. Da arte e da narração à sensível textura de nós. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene; SOUZA, Elizeu Clementino (orgs.) Pesquisa Narrativa: interfaces entre histórias de vida, arte e educação. Santa Maria: Ed. Da UFSM, 2017. p. 303-321.

VIGOTSKI, Lev S. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico: livro para professores. Tradução Zoia Prestes. São Paulo: Ática, 2010.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

LOBO, A. P. S. L. L.; SOUZA, J. da C. da S. H. e; AREZZO, A. P. de; RODRIGUES, V. F. N.; NASCIMENTO, P. M. F. do; DINIZ, A. V. da S. Narrativas sobre a docência no contexto da pandemia: experiências de resistência e esperança. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 6, n. 19, p. 1137–1154, 2021. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n19.p1137-1154. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/9251. Acesso em: 29 maio. 2024.