Narrativas sobre experiências de leitura em uma cadeia pública feminina: fronteiras borradas

Palavras-chave: Literatura, Leitura, Experiência, Trágico, Cadeia feminina

Resumo

O texto objetiva analisar percepções de intervenções, cujo mote é a leitura literária, ocorridas em uma Cadeia Pública Feminina, no interior do Projeto de Extensão “Leituras sem grades”, desenvolvido em uma Universidade Federal brasileira. O objetivo do Projeto de Extensão consistia em compartilhar leituras com pessoas reclusas e disponibilizar escuta sensível desencadeada a partir dos textos lidos. Junto com a extensão ocorria a pesquisa de caráter participante, de base antropológica, sendo que os excertos trazidos para este texto são oriundos dos Diários de Campo de duas professoras universitárias que participaram do projeto, escritos em forma de narrativas autobiográficas da experiência vivida. O suporte teórico utilizado neste texto articula perspectivas da literatura (CANDIDO, 2002, 2004; TODOROV, 2014), elementos da filosofia trágica (NIETZSCHE, 2009a; 2009b), reflexões sobre o Outro em pesquisas (AMORIM, 2001) e uma visão socio-histórica do desenvolvimento humano (BRONFENBRENNER, 2005/2011; BARROCO; SUPERTI, 2014). Esse multifacetado campo teórico é trazido pelas professoras que narram a partir de suas inserções epistemológicas. Os resultados mostram que instantes aparentemente banais, mediados pela literatura, afetaram as autoras, fazendo-as refletir sobre o lugar que ocupam como educadoras, borrando as fronteiras de disciplinas das ciências humanas para tratar de educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elni Elisa Willms, UFMT/Campus de Rondonópolis
Professora do curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) da UFMT, Campus de Rondonópolis. Membro dos Grupos de Pesquisa Lab_Arte (Laboratório Experimental de Arte-Educação & Cultura); do GEIFEC (Grupo de Estudos sobre Itinerários de Formação em Educação e Cultura), ambos da FE-USP e GEIJIC (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Infância, Juventude e Cultura Contemporânea, da UFMT/CUR). Áreas de interesse e pesquisa: Educação, Educação Infantil, Autobiografia, Antropologia, Literatura, Guimarães Rosa, Arte e Educação. Brincar.
Cancionila Janzkovski Cardoso, Universidade Federal de Mato Grosso
Professora Titular (Aposentada) da UFMT. Pesquisa: alfabetização e letramento, história da alfabetização, cartilhas escolares e memórias de professoras. É coordenadora do Grupo de Pesquisa ALFALE - Alfabetização e Letramento Escolar.
Milady da Silva Oliveira, Atualmente é psicóloga da Rede Municipal de ensino do município de Nova Mutum-MT
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso (2013). É mestra em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2016), vinculada ao Centro de Estudos Psicológicos - CEP-Rua. Iniciou curso de especialização em Terapia Sistêmica com indivíduos, casais e famílias em 2018 pelo CEFI (Centro de Estudos da Família e do Indivíduo). Atuou como psicóloga no Centro de Referência em Direitos Humanos, órgão vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado de Mato Grosso (2013-2014).Atualmente atua como professora substituta no curso de Psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Rondonópolis (2016-atual). Possui interesse nos temas: gênero, feminismo, desenvolvimento humano ao longo do ciclo vital em diferentes contextos (escola, família, comunidades, trabalho e instituições), Abordagem Bioecológica do Desenvolvimento Humano e Psicologia Sócio-Histórica.

Referências

ALMEIDA, Rogério de. Educação contemporânea: a sociedade autolimpante, o sujeito obsoleto e a aposta na escolha. Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, v. 20, n. 34, p. 47-64, jan./jun. 2010.

ALMEIDA, Rogério de. O mundo, os homens e suas obras: filosofia trágica e pedagogia da escolha. 2015. 204 f. Tese de livre docência. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

ALMEIDA, Rogério de; FERREIRA-SANTOS, Marcos. (Orgs). O cinema como itinerário de formação. São Paulo: Képos, 2011.

AMORIM, Marília. O pesquisador e seu outro: Bakhtin nas Ciências Humanas. São Paulo: Musa Editora, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BARROCO, Sonia Mari Shima; SUPERTI, Tatiane. Vigostski e o estudo da psicologia da arte: contribuições para o desenvolvimento humano. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 26, n. 1, p. 22-31, 2014.

BRONFENBRENNER, Urie. Bioecologia do desenvolvimento humano: tornando os seres humanos mais humanos. Porto Alegre: ArtMed, 2011. (Originalmente publicado em 2005)

CANDIDO, Antonio. A literatura e a formação do homem. In: ______. Textos de intervenção. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2002. p. 77-92

CANDIDO, Antonio. Vários escritos. 4. ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul; São Paulo: Duas Cidades, 2004.

CAPIBA, Lourenço da Fonseca Barbosa. Madeira de lei que cupim não rói, 1963. Disponível em: <https://www.letras.mus.br/capiba/174179>. Acesso em: 10 ago. 2018.

CARDOSO, Cancionila Janzkovski. Diário de Campo. Acervo do Projeto de Extensão “Leituras sem grades”, 2017.

CIARALLO, Cynthia R. C. A.; GALINKIN, Ana Lúcia. Mulheres, representações e justiça: contribuições para o debate. In: GALINKIN, Ana Lúcia; SANTOS, Claudiene. (Orgs.). Gênero e psicologia social: interfaces. Brasília, DF: TechnoPolitik, 2010. p. 485-504.

DAVIM, Brenda Karolina Guedes; LIMA, Cátia Santos. Criminalidade feminina: desestabilidade familiar e as várias faces do abandono. Revista Transgressões: ciências criminais em debate, Natal, v. 4, n. 2, p.138-157, nov. 2016.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. 2. ed. Natal: EDUFRN, 2014.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 27.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GRIBEL, Christiane. Minhas férias, pula uma linha, parágrafo. São Paulo: Editora Salamandra, 1999.

IRLANDINI, Isabella. Por uma ontologia plural de vozes singulares: o embate de Adriana Cavarero com a metafísica. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 23, n. 1, p.269-287 jan./abr. 2015.

LAPLANTINE, François. Aprender antropologia. São Paulo: Brasiliense, 2000.

LARROSA, Jorge. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

LARROSA, Jorge. SKLIAR, Carlos. (Orgs). Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

MÃE, Valter Hugo. O paraíso são os outros. Porto: Porto Editora, 2014.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Etnografia como prática e como experiência. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 15, n. 32, p. 129-156, jul./dez. 2009.

MAFFESOLI, Michel. O instante eterno: o retorno do trágico nas sociedades pós-modernas. São Paulo: Zouk, 2003.

MAFFESOLI, Michel. A sombra de Dioniso: contribuição a uma sociologia da orgia. São Paulo: Zouk, 2005.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra. São Paulo: Martin Claret, 2009a.

NIETZSCHE, Friedrich. Ecce homo. São Paulo: Companhia das Letras, 2009b.

OLIVEIRA. Milady da Silva. Diário de Campo. Acervo do Projeto de Extensão “Leituras sem grades”, 2017.

PASSEGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena M. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Tomo II. Salvador: EDUNEB, 2012.

RUSSO, Renato. Por enquanto. In: Legião Urbana. Rio de Janeiro: EMI-Odeon, faixa 11, 1985.

SALMASSO, Rita de Cássia. Criminalidade e condição feminina: estudo de caso das mulheres criminosas e presidiárias de Marília - SP. Revista de Iniciação Científica da FFC, v. 4, n. 3. Marília, p.16-31, 2004.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. 5. ed. Rio de Janeiro: DIFEL, 2014.

VERNANT, J-P. La mot dans les yeux – Figures de l’autre dans la Grèce Ancienne. Paris: Hachete, 1985.

WILLMS. Elni Elisa. Narrativas potentes do projeto de extensão “Leituras sem grades”. In: CARDONA, Ana Cecilia Osorio; CAMARGO, Mercedes Rodríguez; ALMEIDA, Rogério de. Red de educación contemporánea en Latinoamérica: tendencias latinoamericanas en investigación. Bogotá: Universidad La Gran Colombia, 2017. p. 135-164.

Publicado
2019-12-26
Métricas
  • Visualizações do Artigo 640
  • PDF downloads: 402
Como Citar
WILLMS, E. E.; CARDOSO, C. J.; OLIVEIRA, M. DA S. Narrativas sobre experiências de leitura em uma cadeia pública feminina: fronteiras borradas. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 4, n. 12, p. 939-958, 26 dez. 2019.