Diálogo entre Paulo Freire e Walter Benjamin: inquietudes sobre a escola e a sociedade

  • Lidnei Ventura Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Vitor Malaggi Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Palavras-chave: Autobiografia, Paulo Freire, Walter Benjamin, Dialogismo entre autores, Educação escolar

Resumo

O artigo tem como objetivo colocar em diálogo ideias de Paulo Freire e Walter Benjamin, autores inquietos e críticos de seu tempo, a partir de rememorações de infância ressignificadas pelo olhar dos adultos, em duas obras exemplares: Cartas a Cristina e Infância em Berlim por volta de 1900. Foi usada a metodologia de Benjamin, cujo procedimento consiste em extrair, na forma de mônadas, o objeto literário do contínuo da história, a fim de analisar as relações dos fragmentos monadais com a totalidade histórico-cultural problematizada pelos autores. O artigo focaliza o olhar dos dois pensadores sobre a educação escolar do seu tempo, dirigindo a ela duras críticas e desvelando o seu caráter conservador e autoritário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lidnei Ventura, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Mestre em Educação e Cultura pela UDESC e Doutora em Educação pela UFSC. Professor adjunto do Centro de Educação a Distância da UDESC, atuando na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado de Ensino e outras disciplinas da base curricular da Pedagogia.
Vitor Malaggi, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Mestrado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU/UPF). Professor assistente do Centro de Educação a Distância da Universidade do Estado de Santa Catarina (CEAD/UDESC).

Referências

BENJAMIN, W. Documentos de cultura, documentos de barbárie: escritos escolhidos. São Paulo: Cultrix; Edusp, 1986.

______. Parque central; a modernidade. Tradução de João Barrento. Lisboa: Assírio & Alvim, 2006.

______. Passagens. Org. ed. alemã Rolf Tiedemann; Org. ed. brasileira Willi Bolle. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2007.

______. Obras Escolhidas I, Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio P. Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 2012a.

______. Obras escolhidas II, Rua de mão única. Tradução de Rubens J. T. Filho; José Carlos M. Barbosa. São Paulo: Brasiliense, 2012b.

______. Origem do drama trágico alemão. Tradução de João Barrento. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

CERTEAU, M. de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 21. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010a.

________. Educação como prática da liberdade. 33. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010b.

________. Extensão ou comunicação? São Paulo: Paz e Terra, 1977.

________. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

________. Cartas a Cristina: reflexões sobre minha vida e minha práxis. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GAGNEBIN, J-M. História e narração em Walter Benjamin. São Paulo: Perspectiva, 2013.

KOTHE, F. R. A alegoria. São Paulo: Ática, 1986.

SCHOLEM, G. Walter Benjamin: a história de uma grande amizade. São Paulo: Perspectiva, 1989.

WITTE, B. Walter Benjamin: uma biografia. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

Publicado
2019-04-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 565
  • PDF downloads: 770
Como Citar
VENTURA, L.; MALAGGI, V. Diálogo entre Paulo Freire e Walter Benjamin: inquietudes sobre a escola e a sociedade. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 4, n. 10, p. 284298, 19 abr. 2019.