Desafios e percalços na formação acadêmica: narrativas de uma professora de educação física com deficiência física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1142

Palavras-chave:

Deficiência física, Educação Física, Narrativa docente

Resumo

Este trabalho objetiva analisar e refletir sobre os percalços e desafios de uma professora de Educação Física com deficiência física na trajetória de formação. Procura-se trazer à luz aspectos que poderiam permanecer obscurecidos no esquecimento de sua história de vida. A investigação aqui apresentada está vinculada ao Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Práticas na Alfabetização e Inclusão em Educação (NEPPAI), certificado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). A metodologia de pesquisa adotada é a autobiográfica, utilizando-se da Entrevista Narrativa (EN) como ferramenta principal. A interpretação dos dados se orienta a partir de uma questão geradora, da qual emergiram as seguintes categorias: o corpo “normal” e o corpo com deficiência física; acessibilidade e (in)exclusão; capacitismo. Através da narrativa da professora participante, constatou-se que ela enfrentou barreiras de acessibilidade em espaços que deveriam ser acessíveis a todos. A análise revelou também percepções permeadas por preconceito, notadamente relacionadas ao capacitismo, e uma tendência a enxergar o corpo com deficiência como “anormal”. As vivências relatadas nesta pesquisa desvendam experiências significativas na formação acadêmica de pessoas com deficiência física e contribuem para a reflexão sobre a construção de uma sociedade mais equitativa e inclusiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabrício de Paula santos, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Professor na Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac) de Conselheiro Lafaiete. Integra o Núcleo de Estudos e Pesquisa Sobre Práticas na Alfabetização e na Inclusão em Educação (Neppai), certificado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), vinculado ao PPGE da UFOP.

Marco Antônio Melo Franco, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutor em Ciências da Saúde com ênfase em Saúde da criança e do adolescente pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor do Departamento de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Práticas na Alfabetização e na Inclusão em Educação (Neppai),  certificado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Membro do Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (OIIIIPe/CNPq). Coordenador do OIIIIPe-UFOP. Membro do Núcleo de Estudos Sociedade, Família Escola (Nesfe/CNPq). 

Regina Magna Bonifácio Araújo, Universidade Federal de Ouro Preto

Pós-doutorado pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, Portugal. Professora titular do Departamento de Educação da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação de Jovens, Adultos e Idosos (Gepejai). Coordenadora da série de Educação de Jovens e Adultos (EJA), na Coleção Docência em Formação, da Editora Cortez.

Referências

BRASIL. Decreto nº 5.296 de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nº 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 3 dez. 2004. Seção 1, p. 2

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, jul. 2015.

CARNIEL, Fagner; MELLO, Anahí Guedes de. Quem escreve pela deficiência no pensamento social brasileiro? Contemporânea – Revista de Sociologia da UFSCar, v. 11, n. 2, p. 490-505, maio-ago. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.4322/2316-1329.2021001. Acesso em: 10 de Janeiro de 2022.

COURTINE, Jean. Jacques. O Corpo Anormal – História e Antropologia culturais da deformidade. In: Corbin, Alain; Courtine, Jean-Jacques; Vigarello, Georges (org.) História do Corpo – As Mutações do Olhar: O Século XX – volume 3. Tradução e revisão: Alves, Ephraim Ferreira. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 253-240.

DA SILVA SOUSA, M. G.; DE OLIVEIRA CABRAL, C. L. A narrativa como opção metodológica de pesquisa e formação de professores. Horizontes, [S. l.], v. 33, n. 2, 2015. Disponível em: https://revistahorizontes.usf.edu.br/horizontes/article/view/149. Acesso em: 5 jan. 2022.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2012.

FERREIRA, Paloma Bessa et al. Comparação entre as condições de acessibilidade e inclusão social de 25 instituições públicas de ensino superior e um estudo de caso na UFTM. Cadernos CIMEAC, v. 11, n. 2, p. 121-149, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.18554/cimeac.v11i2.4929. Acesso em: 3 jan. 2022.

GAUDENZI, Paula e ORTEGA, Francisco. Problematizando o conceito de deficiência a partir das noções de autonomia e normalidade. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2016, v. 21, n. 10. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-812320152110.16642016. Acesso em: 19 jan. 2022.

GOELLNER, Silvana. A educação dos corpos, dos gêneros e das sexualidades e o reconhecimento da diferença. Cadernos de Formação RBCE, v. 1, n. 2, p. 71-83, mar. 2010. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/105085. Acesso em: 10 jan. 2022.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS (Inep). Censo da Educação Superior: Sinopse Estatística – 2019. Disponível em: https://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2020/Apres entacao_Censo_da_Educacao_Superior_2019.pdf. Acesso em: 2 jan. 2022.

JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin. Entrevista Narrativa. In: BAUER, Martin; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 90-113.

LARROSA, Jorge. Tremores: escritos sobre experiência. Tradução: Cristina Antunes e João Wanderley Geraldi. 1. ed. 4. reimpressão. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

LOPES, Julia da Fonseca; BECK, Dinah Quesada. “Esse negócio de padrão é muito retrógrado”: o corpo como superfície de inúmeras interpretações. Revista Teias, [S.l.], v. 22, n. 65, p. 431-446, maio 2021. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/revistateias/article/view/50738. Acesso em: 20 jan. 2022.

LUDKE, M. & ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: Abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

LUSTOSA, Francisca. Geny.; RIBEIRO, Disneylândia. Maria. Inclusão de estudantes com deficiência no Ensino Superior: exigências de reconfiguração de saberes, concepções e práticas docentes. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. esp2, p. 1523–1537, 2020. DOI: 10.21723/riaee.v15iesp2.13825. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13825. Acesso em: 14 nov. 2021.

MARQUES GARCIA, R. Corpos estigmatizados na Educação Física: distanciamentos e aproximações de um reconhecimento legítimo. Revista Ponto de Vista, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 01–09, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/12557. Acesso em: 16 jan. 2022.

MELLO, Anahi Guedes. Deficiência, incapacidade e vulnerabilidade: do capacitismo ou a preeminência capacitista e biomédica do Comitê de Ética em Pesquisa da UFSC. Ciência e Saúde Coletiva, v. 21, n. 10, p. 3265-3276, out. 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-812320152110.07792016. Acesso em: 10 jan. 2022.

PACHECO, Dalmer. Freak e a exclusão social. Revista apontamentos midiáticos. Alagoas. V. 3, n. 3, 2011. Disponível em: http://www.ichca.ufal.br/grupopesquisa/intermidia/resumos/resumo_dalmerpacheco.htm. Acesso em: 5 jan. 2022.

PEREIRA, Ray. Anatomia da diferença: normalidade, deficiência e outras invenções. São Paulo: Casa do psicólogo, 2008.

PESSOA, Sônia Caldas. Imaginários sociodiscursivos sobre a deficiência: experiências e partilhas. Belo Horizonte: PPGCOM, 2018.

SANTOS, Fabrício de Paula. A educação física além da prática: o deficiente físico como personal training. 2019. 86f. Dissertação (Mestrado em Estudos Culturais Contemporâneos) – PPGECC, Universidade FUMEC, Belo Horizonte, 2019.

SOUZA, Elizeu Clementino de. A arte de contar e trocar experiências: reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, v. 25, n. 11, p. 22-39 jan./abr. 2006. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/8285. Acesso em: 15 jan. 2022.

VENDRAMIN, Carla. Repensando mitos contemporâneos: o capacitismo. In: III Simpósio Internacional Repensando Mitos Contemporâneos. Anais...Sofia: Entre o saber e o não saber nos processos artísticos e culturais. Memória, experiência e invenção, UNICAMP, Campinas, p.16-25, ago. 2019. Disponível em: https://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/simpac/article/view/4389/4393. Acesso em: 1 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2023-12-26

Como Citar

SANTOS, F. de P.; FRANCO, M. A. M.; ARAÚJO, R. M. B. Desafios e percalços na formação acadêmica: narrativas de uma professora de educação física com deficiência física. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1142, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1142. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/13566. Acesso em: 13 abr. 2024.