Violeta Parra e suas arpilleras decoloniais

Palavras-chave: Violeta Parra, Folclore chileno, Arpilleras, Decolonialidade, Arte popular latino-americana

Resumo

O presente trabalho debruça-se sobre a vida e obra da folclorista e multiartista Violeta Parra com foco em sua produção de arpilleras como uma contribuição fundamental para a constituição do legado artístico e cultural decolonial dos povos latino-americanos. Para tanto partimos do estudo analítico de Estivil (2016; 2018) que compreende a obra de Violeta Parra como expressão de uma arte decolonizadora determinada a emancipar a tradição popular chilena e andina do lastro da colonialidade/modernidade, o que a situa como uma das precursoras da Arte Contemporânea Latino-Americana. Para dialogar sobre a sua produção artística, seu processo criativo e sua missão artístico-cultural, tomamos como fonte principal o documentário Violeta Parra, Pintora Chilena (2007), de Ignacio Agüero. O texto está constituído por um breve histórico de vida e obra de Violeta, seguido de apresentação e análise de sua produção de arpilleras, concluindo com o desdobramento de sua contribuição para movimentos de resistência de mulheres de camadas populares no Chile e no Brasil. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Fresquet, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Psicopedagogia pela Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação Santa María de los Buenos Aires – Pontifícia Universidade Católica Argentina.  (Validado pelo Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília). Professora associada da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Grupo de pesquisa CINEAD: Laboratório de Educação, Cinema e Audiovisua

Wilson Cardoso Junior, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO). Professor adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Grupo de pesquisa: Artes, Educação e Interculturalidade.

Referências

AMENABAR, Isabel Cruz de. Violeta Parra, artista visual. In: AAVV. Violeta Parra. Obra visual. Santiago: Ocho Libros, 2012. p. 26-33.
BADAL, Gonzalo. Presentación. In: AAVV. Violeta Parra. Obra visual. Santiago: Ocho Libros, 2012. p. 16-17.
BUSQUETS, Monise Vieira. Bordando a luta: O Coletivo de Mulheres do Movimento dos Atingidos por Barragens e as oficinas de Arpilleras como estratégia de mobilização social. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS. V. 12. N. 23, p. 153-176, jan.-jun. de 2020. Disponível em: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v12i23.11179. Acesso em: 12 abr. 2021.
ESTIVIL, Patricia Virginia Cuevas. Imagens poéticas e decolonização na obra de Violeta Parra. 2018. 342 p. Tese (Doutorado em Letras, em Linguagem e Sociedade) – Programa de Pós-graduação em Letras, em Linguagem e Sociedade, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Campus Cascavel, Cascavel, 2018.
ESTIVIL, Patricia Virginia Cuevas. Violeta Parra: Uma vida dedicada ao resgate e à recopilação da cultura popular chilena. Revista de Literatura, História e Memória Pesquisa em Letras no contexto Latino-Americano e Literatura, Ensino e Cultura. UNIOESTE Campus de Cascavel, v. 12, nº 19, p. 231-24, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.48075/rlhm.v12i19.15024. Acesso em:12 abr. 2021.
FAJARDO-GIL, Cecilia y GIUNTA, Andrea. Mulheres radicais: arte latino-americana, 1965-1980. Curadoria e textos. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018.
MORAES, Frederico. Arte é o que eu e você chamamos arte: 801 definições sobre arte e o sistema de arte. Rio de Janeiro: Record, 1998.
PARRA, Ángel. Violeta se fue a los cielos. Santiago de Chile: Catalonia, 2006.
TRENCA, Roberto. Orelhas do livro. In: AAVV. Violeta Parra. Obra visual. Santiago: Ocho Libros, 2012. s/p.

Filmografia
Arpilleras: atingidas por barragens bordando a resistência. Direção: Coletivo de Mulheres do MAB. Brasil, 2020. Documentário. Duração: 1' 43".
Cantar con sentido, una biografía de Violeta Parra. Direção: Leonardo Beltrán. Chile, 2017. Documentário em stop motion, 22’ 33”, cor, espanhol.
Violeta foi para o céu. Direção: Andrés Wood, Chile, 2012. Ficção. Duração: 1'50'.
Violeta Parra, Pintora Chilena. Direção: Ignacio Agüero, Chile, 2007. Documentário. Duração: 120'.
Violeta Parra, Bordadora Chilena (Direção: Jean-Claude Diserens, Genebra, 1965 / 29' / Documentário
Publicado
2021-09-06
Métricas
  • Visualizações do Artigo 221
  • pdf downloads: 120
Como Citar
FRESQUET, A.; CARDOSO JUNIOR, W. Violeta Parra e suas arpilleras decoloniais. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 6, n. 18, p. 449-469, 6 set. 2021.