Uma “nãobiografia” “nãonarrativa” de “Agripina é Roma-Manhattan”, de Hélio Oiticica

Palavras-chave: Narrativa, Biografia, Cinema

Resumo

Este artigo considera que o conceito crítico de “nãonarração”, criado por Hélio Oiticica e aplicável ao seu filme curta-metragem “Agripina é Roma-Manhattan”, registrado na região da Wall Street na cidade de New York, sugere uma analogia com nossa reflexão sobre uma possível “nãobiografia” relativa às significações que sua protagonista estabelece com os ambientes de encenação. A personagem consiste em uma referência incompleta e indireta de Agripina Menor, mãe do imperador romano Nero, que vivera entre os anos 15 e 59 d.C.. Sem diálogos, sons ou legendas, as únicas remissões à Agripina são seu nome no título, duas personagens femininas e alguns edifícios cujos estilos arquitetônicos nos remetem ao período greco-romano clássico e ao avanço do império sobre o Norte da Europa, especialmente em sua versão cristianizada e expressa por uma igreja gótica presente na paisagem do filme. Objetivando verificar a pertinência da mencionada hipótese consultamos alguns teóricos da história, do cinema e das artes que trataram dos conceitos de narrativa, biografia e personagem de maneira crítica é relativa. Prosseguimos com uma análise do filme realizando algumas divisões sistemáticas a fim de corresponder os conteúdos e as sintaxes das cenas com nossos conceitos e hipótese.

Palavras-chave: Narrativa. Biografia. Cinema.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Japiassú de Queiroz, Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Letras – Teoria da Literatura – pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Pós-doutorado pela Universidade do Algarve (UALG), Portugal. Professor associado de Teoria da Literatura, Crítica Literária e Laboratório de Crítica no Departamento de Letras Vernáculas e professor permanente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Cinema da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Paloma da Silva Santos , Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Cinema pelo Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Cinema da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Referências

BARROS, Jorge D’Assunção. Teoria da história: a Escola dos Annales e a Nova história. Volume V. Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

BRAGA, Paula (Org.). Hélio Oiticica: singularidade, multiplicidade. São Paulo: Perspectiva, 2013.

CAMPOS, Augusto de. Ecos do ‘Inferno de Wall Street’. IN: CAMPOS, Augusto de; CAMPOS, Haroldo de. Re Visão de Sousândrade. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2002. p. 565-576.

CAMPOS, Augusto de; CAMPOS, Haroldo de. Re Visão de Sousândrade. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2002.

COELHO, Frederico Oliveira. Hélio Oiticica – Um escritor em seu labirinto. Revista Sibila, Rio de Janeiro, ano 4, n. 7, p. 215-232, nov. 2004. AHO, nº de tombo 2587.04.

DUARTE, Miguel de Ávila. Nocagions: relações entre escrita e notação em John Cage e Hélio Oiticica. 2017. 262 f. Tese (Doutorado em Letras) – Pós-Graduação em Estudos Literários, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

DUARTE, Theo Costa. Lágrima-Pantera, a míssil: cinema Subterrânia. Revista ARS (São Paulo), São Paulo, v. 15, n. 30, p. 181-205, Aug. 2017b. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-53202017000200181&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 29 set. 2018.

GOMBRICH, Ernst. A propagação do novo saber: Alemanha e países baixos, início do século XVI. In: GOMBRICH, Ernst. A história da arte. Tradução de Álvaro Cabral. 16ª ed. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1999, p. 341-360.

GUIMARÃES, Selva. Didática e prática de ensino de história. 13a ed., São Paulo: Papirus, 2013.

IANNINI, Gilson et al. Freud e o infamiliar. In: FREUD, Sigmund. O infamiliar. Tradução de Ernani Chaves et al.. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019, p. 7-26 (Obras incompletas de Sigmund Freud; 8)

LOBO, Luiza. Introdução. In: SOUZANDRADE(SOUZÂNDRADE), Joaquim de. O Guesa. Introdução, organização, notas, glossário, fixação e atualização do texto da edição londrina de Luiza Lobo. Rio de Janeiro: Ponteio, 2012. p. 9-32.

LOTMAN, Iuri. A estrutura do texto artístico. Tradução de Maria do Carmo Vieira Raposo et al.. Lisboa: Editorial Estampa, 1978.

MACHADO JR., Rubens. Agripina é Roma-Manhattan, um belo quase-filme de HO. ARS (São Paulo), São Paulo, v. 15, n. 30, p. 161-179, ago. 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ars/v15n30/2178-0447-ars-15-30-00161.pdf>. Acesso em: 29 set. 2019.

MARZLIAK, Natasha; SOBRINHO, Gilberto Alexandre. Os quase-cinemas de Hélio Oiticica: experimentações transcinematográficas de instalação. Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Rebeca), v. 6, n. 2, jul.-dez. 2017. Disponível em: <https://rebeca.socine.org.br/1/article/download/257/275>. Acesso em: 23 ago. 2019.

PROJETO HÉLIO OITICICA. Projeto HO. Site. Disponível em: <http://www.heliooiticica.org.br/projeto/projeto.htm>. Acesso em: 17 set. 2018.

QUEIROZ, Beatriz Morgado de. Hélio Oiticica e o não cinema. 2012. 194 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

RAMOS, Fernão. Cinema marginal (1968/1973): A representação em seu limite. São Paulo: Brasiliense, 1987.

RICOEUR, Paul. Entre tempo e narrativa: concordância/discordância. Kriterion, Belo Horizonte, v. 53, n. 125, p. 299-310, Jun. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2012000100015&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 18 jul. 2018.

SCHOPENHAUER, Arthur. Arquitetura e hidráulica. In: SCHOPENHAUER, Arthur. A metafísica do belo. Tradução de Jair Barbosa. São Paulo: Editora UNESP, 2003, p. 127-148.

SHEERY, Yardena do Baixo. Agripina é Roma-Manhattan e outras experiências héliocinematográficas. 2015. 98 f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Programa de Pós-Graduação em Artes, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2015.

SOUZANDRADE(SOUZÂNDRADE), Joaquim de. O Guesa. Rio de Janeiro: Ponteio, 2012.

Publicado
2021-09-06
Métricas
  • Visualizações do Artigo 40
  • pdf downloads: 35
Como Citar
JAPIASSÚ DE QUEIROZ, C. E.; SANTOS , P. DA S. Uma “nãobiografia” “nãonarrativa” de “Agripina é Roma-Manhattan”, de Hélio Oiticica. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 6, n. 18, p. 509-528, 6 set. 2021.