É possível estudar gênero no ensino técnico e tecnológico? Experiências de um laboratório em prol de equidade no IFMA campus Pedreiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2022.v7.n.14023

Palavras-chave:

educação, gênero, equidade, LGIP, IFMA

Resumo

O presente estudo apresenta as experiências exitosas do LEGIP — laboratório de estudos de gênero do IFMA campus Pedreiras, discutindo além dos referenciais teóricos-metodológicos que orientaram sua prática as dificuldades enfrentadas. Fundado em 2018 o laboratório preocupa-se em promover debates e pesquisas na área dos Estudos de Gênero, voltados principalmente para a educação básica. Embora o Instituto Federal do Maranhão campus Pedreiras seja seu maior campo de atuação, o laboratório busca parcerias com diversas agências de fomento para suas ações extensionistas. Desse modo, as pesquisas realizadas produziram múltiplos materiais didáticos voltados para o ensino fundamental e médio. Taís produtos didáticos foram distribuídos em escolas e secretárias de educação dos municípios a qual o instituto atende. Dessa forma, acreditar-se contribuir tanto com a popularização da ciência quanto com uma educação antirracista, antimachistas e anti-homofóbica, necessária em todas as modalidades de ensino, não excluído assim o Ensino Técnico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nila Michele Bastos Santos, Instituto Federal do Maranhão - campus Pedreiras

Doutoranda em História na Universidade Estadual do Maranhão. Mestra em História Social pela Universidade Federal do Maranhão (2016) Especialista em Formação de Professores: Didática, Teorias de Ensino e Práticas Escolares pela Unidade de Ensino Superior Dom Bosco (2011). Especialista em Psicopedagogia Clínica e institucional pela Faculdade Santa Fé (2006). Historiadora. Licenciada em História pela Universidade Federal do Maranhão (2004). Professora EBTT da disciplina de História no Instituto Federal do Maranhão (IFMA) - Campus Pedreiras, Maranhão. Coordenadora do Laboratório de Estudos de Gênero do campus Pedreiras - LEGIP. Foi Coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiro e Indígenas campus Pedreiras (NEABI) de 2017 a 2021. Recebeu o terceiro lugar no prêmio 15 anos de políticas públicas para Mulheres SEMU/FAPEMA (2022) Atualmente é secretária geral da ANPUH-MA, gestão biênio 2021-2022. Tem experiência na área de História e Ensino, atuando principalmente nas temáticas: Gênero, Relações Étnicas, História do Brasil, História e Cultura Afro-brasileira, Educação Inclusiva.

Referências

BRASIL, LEI Nº 11.892, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília, DF, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em: 01 abril 2022.

BRASIL, Ministério de desenvolvimento Agrário. Secretaria de desenvolvimento Territorial. Caderno territorial Médio Mearim. Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://sit.mda.gov.br/download/caderno/caderno_territorial_140_M%C3%83%C2%A9dio%20Mearim%20-%20MA.pdf Acesso em: 13 abril 2022.

BUTLER, Judith. Os atos performativos e a constituição do gênero: um ensaio sobre fenomenologia e teoria feminista. Tradução de Jamille Pinheiro Dias. Caderno de leituras nº 78 - junho de 2018. Online, Edições Chão da Feira. – Disponível em: https://chaodafeira.com/wp-content/uploads/2018/06/caderno_de_leituras_n.78-final.pdf Acesso em 11 de abril de 2022.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. Tradução Renato Aguiar. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

FÓRUM DE BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Violência contra mulheres 2021. v5, pdf 2022. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2022/03/violencia-contra-mulher-2021-v5.pdf Acesso em: 14 de abril de 2022.

GROSZ, Elizabeth. “Corpos Reconfigurados”. Pagu (14), 2000, p. 45-86.

GRUPO GAY DA BAHIA (GGB). “Mortes Violentas de LGBTI+ no Brasil – Relatório 2021”, pdf. 2022. Disponível em: https://grupogaydabahia.files.wordpress.com/2022/02/mortes-violentas-de-lgbt-2021-versao-final.pdf Acesso em: 14 abr. 2022.

HALL, Stuart. Quem Precisa de Identidade? In. SILVA, Tomaz. T. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2008.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade / tradução de Marcelo Brandão Cipolla. - São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

HOSBAWN, Eric e RANGER, Terence. A Invenção das Tradições. – Tradução de Celina Cavalcante – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. “Gênero, sexualidade e poder”. In. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 7ª ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2004.

NICHOLSON, Linda. “Interpretando o Gênero”. Estudos Feministas, vol. 8, n. 2, 2000, p. 9-41.

PEREIRA, Luana Martins; SANTOS, Nila Michele Bastos. CORPO, FEMINISMO, QUEER E OUTRAS TEORIAS / Laboratório de Estudos de Gênero do IFMA Pedreiras — LEGIP. Pedreiras. 2021. Recife: Even3 Publicações, 2021. DOI: 10.29327/544169. Disponível em: https://publicacoes.even3.com.br/book/corpo-feminismo-queer-e-outras-teorias-441695 Acesso em: 14 abr. 2022.

PRPGI/IFMA (Pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do IFMA). São Luís (MA) ANEXO II. In: EDITAL PRPGI nº 102/2020 PIBIC EM CNPq (vigência: out/2020 a ago/2021).

SANTOS, Vitoria Regina Guimarães dos; SANTOS, Nila Michele Bastos. O que é que é? Gênero, Patriarcalismo, Heteronormatividade. Laboratório de Estudos de Gênero do IFMA Pedreiras — LEGIP. Pedreiras. 2021. Recife: Even3 Publicações, 2021. DOI: 10.29327/544167 Disponível em: https://publicacoes.even3.com.br/book/o-que-e-que-e-genero-patriarcalismo-heteronormatividade-441675 Acesso em: 14 abr. 2022.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. Educação & Realidade, v20, n. 2. P. 71-99 jul./dez. 1995. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/download/71721/40667. Acesso em: 11 abr. 2022.

SILVA, Tomaz Tadeu da A produção social da identidade e da diferença IN: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.) HALL, Stuart, WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

2022-05-19

Como Citar

SANTOS, N. M. B. É possível estudar gênero no ensino técnico e tecnológico? Experiências de um laboratório em prol de equidade no IFMA campus Pedreiras. Plurais - Revista Multidisciplinar, Salvador, v. 7, p. 1–20, 2022. DOI: 10.29378/plurais.2447-9373.2022.v7.n.14023. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/plurais/article/view/14023. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Mulheres na Educação Profissional e Tecnológica